TRANSLATOR( BLOG OR POST)

24 de dez de 2014

Lola, Lolita, Lolosa, Pretosa

Acredito que os bichos nos escolhem, apesar de pensarmos que nós os escolhemos.

Assim, Lola me escolheu pra cuidar dela no seu tempo final por aqui. Foi um ano duro para ela, que apresentou tumores aos primeiros meses em minha casa e depois passou por três inúteis cirurgias.Recuperação sempre delicada, porque a doença foi avassaladora e rápida.

Teve uma vidinha complicada. Veio de um acumulador de animais e ninguém sabia sua idade. Pra mim ela teve pouco mais de um ano, que foi o tempo que esteve comigo.

Não acredito em céu nem para humanos, mas gosto de pensar que tem uma nova estrelinha no céu dos gatos, a partir de hoje.

Ela me ensinou muita doçura e paciência. Muita fofura e paixão pelo sol, que só buscava quando convidada, de tão tímida.

Obrigada por me deixar cuidar de você.

Adeus, Lola, minha Pretosa!


19 de dez de 2014

Um novo ano a cada dia

É minha placa de direção de vida.  Todos os dias completo um ano e a cada  novo dia inicio outro.

Mas quando o calendário oficial avisa que termina um ciclo, é hora de deixar a vida rolar como se fosse uma bolinha de gude. Alegra uns, encanta outros, causa alguma tristeza na perda, acerta, erra e continua pronta para novos jogos.

Este foi o ano do cavalo segundo os chineses. Trotei fininho, galopei, cansei, mas não parei nunca. Mesmo quando a paisagem foi triste havia alguma luz e cor.

Assim, colha o que teve de bom, use as festas de final e início de ano pra comer tudo o que puder -só o que puder- e abrace muito.

Principalmente, não economize sorrisos. Todos os dias.


BOAS FESTAS!

15 de dez de 2014

Barata e de babar!

O bonitão do Paul mandou essa receita de babar na TV.
Mas você acha complicada, cheia de leros, difícil arranjar aquele fermento e coisa e tal?

Vai a minha versão preguiçosa, que pode ser a glória da sobremesa de Natal. Ou para você devorar inteirinha sem culpa.

Compre um bolo de laranja, ou de massa branca ou de chocolate, daquele de padaria, de supermercado, prontinho e fresquinho. Ou meta a mão na batedeira e prepare um bolinho que você já faz com facilidade.

Se você for mesmo pão-dura vale até pão doce sem casca.

Depois de pronto, deixe esfriar, corte em fatias médias e coloque as fatias ao redor(do lado de dentro, pelamor!) de uma tigela de fundo redondo, de preferência de média pra grande pra não se enganar. Calcule pelo tamanho do bolo. Forre, como se fosse fazer um empadão.

Aí vem a delícia. Compre frutas vermelhas em calda. Framboesa, morango, amoras, cerejas. Se tiver mais calda que fruta primeiro misture as frutas numa vasilha e no final vá acrescentando a calda, pra não virar ensopado. Ou prepare sem muita calda, ou sem calda nenhuma, se forem mais morangos. Coloque pelo menos meio copo de alguma bebida alcoólica, de preferência licor de frutas vermelhas, mas pode ser conhaque adocicado, ou outro licor, menos de ovos, que é um desastre.

Coloque essa delícia dentro desse poço de bolo. Vá alternando a mistura de frutas com fatias de bolo. Quando o bolo estiver bem encharcado é a medida. Tampe com algumas fatias de bolo e coloque um prato sobre a massa para forçar até encostar na massa e fechar bem.

Coloque na geladeira e espere pelo menos 2 horas. Vire essa montanha de gostosura numa tigela bem lindona. Enfeite com frutas frescas ou pedacinhos de chocolate branco ou mesmo escuro.

Sirva com sorvete, queijo cremoso de sua preferência ou até creme de leite, mascarpone, chantilly..., invente!

Vale tudo pra ganhar tempo e gastar menos.

Gentemmmm! Se vocês não gostarem desse pudim/sobremesa vocês são ETs!

5 de dez de 2014

Esponja, pra que te quero?

O que você faz com as esponjas velhinhas e prontas para a sacola de lixo?


Valorize o material. Reduza o lixo. Lave bem, corte ou rasgue em pedacinhos e coloque no fundo de vasos e floreiras ou misture com a terra. Até no jardim elas tem muita utilidade. Fazem a terra ficar mais solta e absorvem umidade na medida certa.

Vai viajar e tem receio de que a terra fique muito seca? Cubra a superfície do vaso com esponjas úmidas, que conservam a umidade e temperatura.

Coloque esponjas velhas limpas no pratinho dos vasos de flores em lugar de areia para não acumular água(lá vem a época da dengue!). A água que escorre dos vasos fica na esponja.

Antes de dispensar as esponjas, saiba que dois minutos no microondas conseguem matar as bactérias, que podem contaminar a cozinha, as mãos e sabe lá mais o quê. Faça isso sempre depois de cada lavagem de louças.

Nunca é demais lembrar, que o lado mais áspero das esponjas bicolores nunca deve ser usado para esfregar recipientes com teflon. Isso solta partículas do material, que é altamente tóxico.

26 de nov de 2014

Quando vem a Brisa

Ei! Quem é você?

Cheguei agorinha, de mala e cuia.

Meu nome é Brisa, mas já vou avisando: eu sou quase um furacão de pura energia e doçura.




Que troço engraçado é esse? Ah! É pra beber?

Agora que já sentei na tigela, vou ver como é beber nesse poço tão grande.

Cansei, viu? Gostei desses panos que tem o mesmo cheiro da casa onde eu morava antes. Boa noite, pessoal!

16 de nov de 2014

Mãos sujas

Desta vez, seus calhordas, vocês chegaram ao fundo do poço.

Não esqueçam que o petróleo é nosso, não de vocês!

Imagem: Google, sem autoria explícita

30 de out de 2014

Din! Den! Don!

Sem ideias para presentear aquele povo que tem de tudo, ou não quer repetir presente?

Bem, eu aceitaria qualquer pacote cheiroso e gostoso deste site.

Quer ver como ajuda?

Neste ano você dá o moedor. Tem de todo preço, a partir de pouco mais de R$100,00. A família inteira vai gostar.


No próximo Natal, ou aniversário, você dá uma cafeteira francesa. Bonita, prática e impressiona. Pouco mais de R$150,00

Depois de dar a cafeteira ou o moedor nunca mais vai faltar ideia, porque o que tem de café diferente e excelente pra escolher é um abuso! 

Um pacote de café de uma marca que o sujeito ou a sujeita nunca viram, garanto que vai fazer sucesso.

Presta atenção, aí. Falta pouco para aquela correria de final de ano. 









27 de out de 2014

Testado e (a)provado

O menino se nega a comer banana? Aveia nem pensar? O ferro do açúcar mascavo é o bicho?

Lá vai uma receita da Rita Lobo, que acabei de testar e aprovar em grandes bocados. Serve para o café da manhã, aquele lanche da tarde, o café da noite, para aquela visita que vem esperando delicias...

Você vai precisar de

2 bananas maduras grandes ou três médias
1/2 xíc. aveia(farinha, flocos, tanto faz)
1/2 xíc. farinha de trigo branca
1/2 xíc. farinha de trigo integral
1/2 xíc. de açúcar
1/2 xíc. óleo
2 ovos inteiros
1 colher de chá bem cheia de fermento em pó
uma colher de chá bem cheia de canela em pó

Agora minhas dicas:

O importante é que as medidas sejam iguais para todos os ingredientes. O tamanho da xícara pouco importa.
Se quiser que seja mais saudável troque o açúcar branco por demerara ou mascavo. 
Pode usar azeite virgem ou extra-virgem.
Para ficar menos calórico use aquele açúcar de baixa caloria(Magro, Finn, etc). Use quantidade menor de açúcar, que também fica muito bom. Só não pode usar adoçante líquido, certo? 
Não use só farinha de trigo integral para não ficar pesadão.
Invente  moda: coloque castanhas raladas e depois me conte.

Amasse as bananas com um garfo.Tudo na tigela, mexa com uma colher e coloque numa forma de bolo inglês, ou aquela com buraco no meio, enfim o que tiver na sua cozinha, mas não muito baixa para não torrar sua delícia de pão de aveia com banana. Unte antes, claro!

Pouco mais de meia hora de forno(fure com um palito; se sair seco desligue o forno) e ulalá! Acredite, você vai ter que resistir bravamente para não comer mais do que eu comi. Esqueci que tinha a foto por fazer e lá se foi a ponta.


Claro que você tem que provar enquanto está quente. Tem mais alguém aí que gosta de bolinho que acabou de sair do forno?

No dia seguinte continua uma maravilha, mas experimente colocar algumas fatias na torradeira. Mama mia!!!!

Juro que comer fruta e fibra nunca foi tão fácil.

24 de out de 2014

Atopia canina é cruel

Não é que eles tenham consciência de sua aparência, mas em algum lugar do cérebro deles, tem o registro de mudanças, principalmente as que acontecem de repente.

Há vários artigos sobre atopia canina. Deixo sua curiosidade ativa para pesquisar.

Aqui em casa lido com essa doença há quase sete anos. Ela em nada diminuiu a energia ou a alegria e disposição de Sunshine. Somente quando as tentativas de alimentação deram errado e ele quase se esvaia em problemas intestinais, tinha febres altas e tomava muitas picadas de injeção para diminuir seus sintomas. Aí ficava prostrado de dar dó.  Aos poucos, com testes de laboratório e por eliminação de alimentos, fomos acertando a dieta e ele come muito bem.

Mas a doença é cruel com a aparência deles, pois eles sentem muita coceira, a pele fica extremamente seca, acabam se ferindo de tanto se coçar e mordiscar. Muito hidratante, muito ômega 3  e 6, muitos cuidados, shampoos de todo tipo, complementos alimentares, tudo em vão. Aquela pelagem exuberante vai diminuindo, até pela medicação tópica que é bem agressiva e queima a raiz dos longos pelos.

Que eram assim.

Para dar um pouco de conforto, tosamos um pouco os pelos para que não criassem nós, acertamos o comprimento dos bigodes, desmanchamos e cortamos uma infinidade de bolas de pelos. Ah, clareamos os bigodes com colírio de eufrásia. 
Quem resiste a esses olhinhos negros?

Este ano, em poucos meses, a pelagem desistiu de lutar e ele ficou assim.

Esta semana nos rendemos e deixamos os pelinhos bem rasos, já que o calor está mais amigo. Os hidratantes e cremes chegam mais facilmente à pele.

A reação dele foi radical. Continua comendo, sai para caminhar contra a vontade, com a pele pelada protegida, bem cedinho. Mas desde ontem parou de brincar, só fica deitado, de roupinha de inverno. Ficou friorento de tremer.

Não é de dar dó?

Eles, dizem, também ficam deprimidos. Isso passa em alguns dias. Já aconteceu antes.

Mas para quem está ao lado, é de rachar o coração, não é, não?

17 de out de 2014

Debaixo d'água

Para alegrar e provocar seus olhos e emoções veja essas fotos diferentes.

Explore a página, o site, os links. É um mundo de coisas lindas.

A propósito de fotografias, você sabia que um, digamos, tapado diretor da National Geographic pediu demissão(que bom!), porque há tempos idos, não concordava que a revista passasse a apresentar também fotografias, em lugar de só textos?

Bom final de semana.

5 de out de 2014

Comme il faut

Encosto a cabeça no travesseiro, acendo a luz do abajur, espero o cão acomodar o sono no almofadão, apago a luz e num suspiro lanço um sorriso no escuro.

Tudo está no seu lugar! A casa prendeu o botão, o chão foi varrido das sujeiras acumuladas nesses três dias de ausência. Limpou-se o vômito do gato guloso que roeu a embalagem de ração. O susto com o cheiro da comida azeda do cão passou depois que ele encheu a pança, avidamente, com sardinha misturada com farinha de rosca(o que  a mãe da criatividade nos obriga a inventar!). A gata cirurgiada(se não existia isso passa a existir agora) saiu de seu triste isolamento na gaiola do veterinário, onde ficou por três noites, pobrezinha, para não apanhar do gato gulosão. Um pano molhado limpa mal e rapidamente a trilha onde passa o senhor bispo. 

Enquanto o filho avisa a esposa que chegamos depois de vencer um “puta engarrafamento” eu nem sei para que lado virar e dar conta de tantas coisas a fazer antes de considerar que este voltará a ser o meu ninho e de meus patudinhos.

Há menos de duas horas eu estava ansiosa esperando a liberação. Agora pareço uma faxineira cansada e mal treinada, contratada às pressas. Uma banana mastigada sem medo para que o vazio não cause nova crise(vade retro!). Lixo que foi largado no meio da pia, louça sem lavar nem guardar, chinelo atravessado no tapete, trapos e panos dos bichos esticados como bandeiras protestando contra o abandono. Nessas horas a lista de prioridades se define.

O primeiro a lançar sua incontida saudação foi o cão, que de repente descobriu que nada disso de abandono: Ela voltou!!!! Subir pelo ombro ou lamber o rosto? Oferecer a orelha ou deitar de barriguinha? Braços e abraços desenrolados e só depois de um banho purificador e simbólico eu me dou o direito de sentar e comer, decentemente, alguma coisa. Nada na geladeira que eu pudesse comer. CREMOSO, disse o poderoso doutor, separando as sílabas e VOLTE SEMPRE QUE QUISER, disse alto ao sair. Pelo menos temos humor.

Reconhecer a forma da cama, a textura da fronha, o cheirinho de suas roupas que nada tem de antisséptico, acomodar-se sem medo de cair da cama. Eu confesso, aquelas camas são altas demais, são estreitas demais. Cada vez que eu me viro nelas sinto o medo subir pelos quadris. Parece que meus joelhos vão crescendo e vou parecer batata podre caída no chão. Como dormir com aqueles travesseiros que escorregam debaixo de sua nuca, não param debaixo de sua orelha, não afundam com o peso de sua cabeça? Como dormir com aquela rotina de leva e traz coisas a cada quarto, a cada quarto de hora?

Agora tudo está no seu lugar. Reconheço o estado de graça por ter superado mais uma e estar em casa, saída de mais um pesadelo. Apenas quatorze dias depois de enterrar a mãe, saio à procura de socorro para ir ao hospital, dobrada de dores. Velhas inimigas desde a cirurgia em 2003. Aprendi a fingir que estou num teatro e que em breve a apresentação vai terminar. Não diminui a dor, mas ajuda na passagem dos dias, que deveriam ser dois e viraram três. Aprendi a fazer o que é possível a distância e deixar o resto para consertar, se possível. Isso mantém a pressão estável e não assusta o doutor.

Então, hoje estou em casa outra vez. Apago os dias que me tiraram daqui. O gato disputa uma ponta de cobertor(sim, voltamos aos 14 graus). O cachorrinho dorme cansado de esperar por mim e de barriguinha cheia. O cobertorzinho mal se mexe, tamanho o cansaço da espera. Resmungo baixinho, com a garganta ainda raspando por ter ficado três dias sem comer nem beber absolutamente necas: What a wonderful world e fecho os olhos. 

É preciso sempre reconhecer o estado de felicidade e aplicar o que repassei a uma das enfermeiras: encontre sempre um motivo por dia para comemorar.

VIVA! Estou em casa.

Hoje, um dia depois da volta, estico esse texto jackkerouackiano na telinha e encerro o capítulo.


Uma voz que vem do ombro esquerdo, cochicha debochada: Então, porque você não conseguiu dormir essa noite, hein espertinha?

5 de set de 2014

Liso como gelo

Abre pra cá e abre pra lá. Empurra pra cima, puxa pra baixo. Um belo dia, aquela janela e aquelas portas que te deixam ver o mundo, que te escondem do som, do sol, do vento, da curiosidade alheia, começam a virar academia de musculação. Travam, não deslizam, ficam difíceis de abrir.



Fica barato consertar isso. Compre silicone líquido. O spray é bom, mas desperdiça muito. Você encontra em lojas de ferragens, de material de construção, academias, lojas de material de ginástica, grandes lojas. Enfim, é fácil de encontrar. Dura décadas.Compre embalagem pequena. Mesmo que você more num palácio com duzentos quartos, só vai precisar de uma dúzia de gotas.

Limpe os trilhos das janelas ou das portas, espere secar e passe um pequeno chumaço de algodão com o silicone. Não precisa encharcar o algodão, viu? Rende barbaridade. Serve para trilhos de metal e de madeira. 

Você só vai renovar a operação depois de meses, principalmente nos trilhos de metal.

Melhor que cera, melhor que esfregar vela e outras coisas ditas miraculosas. Funciona, minha filha, meu filho. Funciona.

Gostou da janela-jardim? Eu amei.

28 de ago de 2014

Quem sabe faz assim



Cerimônia dos dos Jogos Olímpicos da Juventude.

A narração é em mandarim, mas eu duvido que você preste atenção nas falas.

Veja em tela cheia.

 Obrigada pela dica, Lê.

3 de jul de 2014

O vírus da burrice

Toda a semana, todos os dias é possível ouvir recomendações para não abrir mensagens de remetentes desconhecidos. Não abra links, não abra mensagens de desconhecidos, instale anti-vírus, anti pishing, firewall, etc, etc, etc ad infinitum. Mas basta um curioso receber uma mensagem que desperte sua curiosidade e pimba! 

Pois bem. Anote aí : R$8.000.000.000,00. É isso! Oito bilhões.

Este é o valor "doado" até agora por burrinhos(sem querer ofender os quadrúpedes, por favor!) aos espertinhos. 

Como? Com uns cliques em palavrinhas e arquivos, o dono do computador abre a porta  para que os espertalhões coloquem um programinha no computador. Ele não se denuncia. Fica quietinho esperando a chance. Maldita curiosidade.

Quando o incauto efetua qualquer operação bancária(pagamentos principalmente), os danadinhos acessam a conta, acessam tudo e fazem uma limpa na conta bancária. Você paga uma conta com código de barras e acaba dando o dinheiro pra eles. Faz uma transferência e lá estão eles.

Os personagens burrinhos podem ser qualquer pessoa que tenha Windows. Pô, Bill Gates, faça-me o favor! Os espertinhos, infelizmente, fazem parte de uma quadrilha brasileira.

A FEBRABAN  faz boca de siri. O Banco do Brasil trava meu laptop com seu fajuto e temerário anti-vírus.

Mas tem solução a partir do usuário. Coloque suas contas em débito programado, débito em conta, ou seja lá a nomenclatura que seu banco use. Não pague via internet.

Mas principalmente, faça uma campanha com seus conhecidos, empregados, colegas, família e qualquer pessoa que tenha computador, para que abdique do selo de burrinho e pare de abrir mensagens, arquivos e links de endereços desconhecidos. 

Banco não manda mensagem por e-mail. Banco não telefona para conferir cadastro.

Ensine a usar as configurações da conta de e-mail para definir filtros e determinadas palavras e remetentes como riscos. As mensagens vão diretamente para a lixeira. Escolha limpar a lixeira sem ver o que está lá. Resista à curiosidade. Ela tem um preço. Até agora foram oito bi. Chega, né?

18 de jun de 2014

O que você coloca na boca

Se você tem problemas nesta peça...
seria conveniente conversar com seu cardiologista, ou, no mínimo com seu odontologista, antes de comprar antissépticos bucais. 

Esses produtos eliminam bactérias ruins, o que é bom, mas junto com elas se vão as que preservam o coração de quem tem lá seus problemas.

Por enquanto evite os que contenham  chorhexidine na fórmula.

Para saber mais entre aqui  (http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=383)

13 de jun de 2014

Famoso quem?

Estou curiosíssima para saber quanto o famoso(?) belga levou para fazer essa abertura da copa do mundo de futebol, tão sem graça e mixuruca, para não dizer vergonhosa.

A ideia até que foi muito apropriada, mas que pobreza de elementos! Que amostra grátis de cada peça de nossa cultura! Pelo menos tivesse colocado uns cinquenta dançarinos de cada alegoria.

Não tinha escuridão para valorizar o globo iluminado? Então por que fazer a abertura àquela hora tão cedo e depois esperar uma hora pelo início do jogo?

Desnecessária também aquela exibição vulgar de Cláudia Leite, com rebolado sensual e de segunda categoria, quando a campanha é para tirar o selo de turismo sexual de nosso país. Classe, minha filha! Classe! Você foi vista por bilhões de pessoas expondo uma dança que não nos retrata. Para ser sensual não é necessário ser vulgar. 

Qualquer coreógrafo de escola de samba ou professor de escola média faria melhor essa abertura. Muito melhor.

Que decepção!

12 de jun de 2014

Ôooo torcida...

Que horas começa esse jogo, afinal?




Já estou quase perdendo a pose.

Não avisei?

Demorou!

30 de mai de 2014

Esta até o Cascão aprovaria

Já dizia Dercy Gonçalves, sabe aquela?, que o povo tomava banho demais, estragava a pele, segundo ela. Tirava gorduras que são necessárias para a pele ficar bonita. 

Morreu a Dercy, veio uma enxurrada de humoristas sem graça e surgiu a ideia revolucionária, que tem tudo a ver com o que ela dizia. Banho sem produtos que agridem a pele. Chega de sabonete, shampoo, sais e etc todos os dias. Repare que eu escrevi todos os dias.

Achei a notícia que vi na Tv , via Jorge Pontual(o homem que sempre tem novidades sobre assuntos dessa natureza)muito interessante e fui pescar na rede.

Em resumo, trata-se de um spray de bactérias benéficas, que oxidam as que temos sobre a pele e cabelos e nos "sujam" quando morrem ou reagem a processos químicos. Eliminam, sem matar as bactérias que precisamos. 

Sei. A primeira coisa que passou pela minha mente e nariz foi a nhaca geral, mas  lendo com mais cuidado, nota-se que não se elimina o banho com água como conhecemos, mas dispensa o uso diário de água para o corpo todo em situações especiais e, definitivamente, acaba com produtos que "limpam" a pele.

Longe de esquecer o uso de água de vez em quando, o produto já foi até testado. Leia mais na reportagem,que conta a experiência de uma mulher, que ficou sem usar produtos de limpeza e higiene por algum tempo e raramente usava banho com água. Calma lá. Os países baixos e as axilas com certeza ela lavava e muito bem.

Imagino a maravilha dos desdobramentos disso. Pessoas doentes, esportistas, escaladores, essa turma que passa semanas sem ver um pote de água e dorme em barracas, situações depois de desastres, pessoas com alergia a produtos de higiene. Minha mente viajou na malinha!

Confesso que estou doidinha pra ver isso chegar ao Brasil. Ah! Naqueles dias de baixíssima temperatura, quem não trocaria a agonia do banho por um spray e um chap-chap caprichado, hein?



21 de mai de 2014

"Ripa na xulipa...."

Que saudade desse moço narrando as peripécias da bola!

Essa linguagem de narrador de futebol é de arrancar os neurônios de desavisados.  A gíria para descrever passes e dribles é uma maravilha. Até a definição de áreas do campo, como zona do agrião, por exemplo. Você sabe o que é? 

Mesmo quem não é muito chegado a um gramado e uma bola com 22 marmanjos correndo atrás dela(como disse a menininha surpresa: Por que não dão uma bola pra cada um deles, coitadinhos!), vale uma visita a este site  (http://jangadabrasil.com.br/revista/junho91/al91006a.asp) e
também este (http://deolhonogol.blogspot.com.br/2009/10/pequeno-dicionario-da-giria-do-futebol.html).

Já que esse evento promete uma vergonha generalizada pela falta de estrutura(se eu fosse estrangeira jamais viria para essa Copa no Brasil), pelo menos vamos aproveitar para aumentar os conhecimentos sobre o assunto.

Brasileiro é de uma fé inigualável. Mesmo sabendo que os pobres turistas vão amargar horas de aeroporto e caminhadas extras para assistir jogos, fora a bagunça das manifestações, que já ninguém aguenta mais, fiz minha fezinha e pendurei uns verde-amarelos na sacada. Quem sabe isso ajude a reduzir o constrangimento, se nosso time ganhar algum jogo.

Ai Zuzuis! Nem lençol, nem chapeu, nem o drible da vaca vão salvar essa jogada.

Quem sabe uma caneta?


Assista em tela cheia e pule o anúncio do início, que é uma chatice. Explore os outros vídeos e divirta-se! Recomendo o "15 minutos de puro futebol engraçado". Você vai se achar um craque.

3 de mai de 2014

Para aplaudir de pé

Quando vi  isto na televisão, fiquei maravilhada. Emoção de dar nó na garganta.

Que ideia mais inspirada. 

Tomara que os outros moradores criem sua própria arte nas demais casas. 

Eu ia colocar o vídeo aqui, mas o texto é pra ser lido e relido, não só ouvido.

29 de abr de 2014

Se não fosse triste...

...poderia ser uma piada

Mas não é. A pobrezinha esteve enfaixada com metros e metros de gaze, que cobriam os 96 pontos que levou na barriga. Foram-se todas as mamas e tecidos adjacentes. 

Repare na pose de doente e emburrada. Com direito a pijama com cruz verde e tudo. Parecia um coró gigante. Não ficou em pé por três dias. Típico de felinos com alguma coisa estranha nas costas, o que tira o equilíbrio deles. Muitos tombos enquanto consegui mantê-la fechada no box do banheiro.

Conseguem imaginar a cena de euzinha segurando a gata pelos flancos e fazendo SHHHHHHHH para ver se provocava um xixizinho na areia? Pois é!

Parece que o pior já passou. Continuam muitos miados manhosos, exigente para comer-cheira e vira o focinho- e de beber só de seringa. Rotina toda mudada, os outros bichos reparando em tudo.

Depois de seis dias, foi-se a faixa, ficaram ainda os pontos, o pijama de hospital e a manha. 

Pelo menos já dormimos todos há duas noites, até o raiar do sol.

21 de abr de 2014

Os Sobreviventes

Acreditem, este é um pé de feijão De vaso. Chamado feijão héstia. Se não vierem as bagas já é um colírio, concordam? Em geral as flores de vagens e feijões são muito lindas.

Este pé sobreviveu à curiosidade da gata, que destruiu uma outra tentativa num vaso, depois veio uma praga de lagartas, que quase acabou com todos os meus verdes e me fez mudar de ideia sobre borboletas e, neste final de semana, aguentou um temporal daqueles.


E estes são pés de vagem blauhilde ou vagem inglesa. Basta colocar essas vagens vermelhas em água quente e ficam verdinhas, macias,deliciosas. Os pés carregam generosamente. 

Reparem bem no canto inferior direito que tem uma vagem pretzel louquinha pra aparecer na foto.

São todas sobreviventes dessas aventuras da natureza, algumas comidas agorinha mesmo. Nham! Nham!

Para conseguir sementes dessas delícias entrem no site da Tabutins.

Preços interessantes e atendimento ótimo. Duro é resistir e só comprar o que cabe no seu espaço.

1 de abr de 2014

Noc! Noc!

Pessoas... que abandono este bloguinho. 

Assunto não falta. Falta ânimo.

Depois de muitas horas ouvindo serras elétricas a moldar, cortar e cortar(ZUIIIIIIIMMMMMM!!!!!!)  eu garanto:
Não acredito em inferno, mas se por acaso existir alguma coisa do gênero, diabinhos seriam seres com serras elétricas de alimentação infinita, cortando esquadrias, ali, logo ali, a menos de dois metros de meus ouvidos, enquanto um cachorro assustado late sem parar. Mais de oito horas dessa sinfonia.
(Não esqueçam que passei dois anos ouvindo a construção do prédio aqui quase dentro de casa. Tenho quase peninha de mim, snif!)

Depois vem a limpeza, o cheiro de cola e mais faxina pra retirar farpinhas enfiadas em todo canto, até sobre as hortaliças e flores. 

Gatos trancados para não pularem para o telhado, pois foi-se a tela de proteção para colocar vidraças. Ai, que a gatona conseguiu fugir duas vezes e tive que caçá-la à custa de guloseimas. Imaginem essa cena às 7 da matina.

Melhorou nos últimos dias, mas ainda não terminou. Hoje mesmo um incompetente não viu jeito de recolocar a tela de proteção. Mais telefonemas, mais horas de espera com gatos trancados.

Como pano de fundo, mas não menos importante, minha mãe briga contra o sistema, que não autoriza a quimioterapia necessária para o câncer que se espalhou.

Minha mais recente gatinha também faz quimioterapia e vai ter que fazer mais uma cirurgia para retirar todas as mamas e linfonodos.

E aí fica fácil entender porque bati o carro, não é?

Eu vou respirando fundo e lido com uma pedra de cada vez. Algumas delas tenho vontade de pegar e acertar a testa de uns e outros. Aí dou um jeito de ver as pedras de curling e durmo fora de hora.

Grande abraço. Visitas em breve, tá bem?

A moça bonita aí de cima veio daqui, um lugar cheio de frases sábias.


10 de mar de 2014

Hora da siesta

Na Espanha estão programando acabar com essa moleza de horário de siesta, com a desculpa do calor. Bem, a moleza não vai diminuir, mas terão de aguentá-la em pé, ou, no máximo, recostados numa poltrona. Toca a trabajar muchachos, que estamos em crise!!!

Já aqui em casa eles sabem o direito que tem de puxar um ronco depois do almoço. Ou a qualquer hora.

Parece que tombam onde estiverem, mas eu desconfio que tenha a ver com o caminho da brisa, nestes dias de calor andante.

 Aproveita-se a montanha de roupas de cama, antes que alguém resolva arrumar.
Vale roubar a cama do cachorro.
Delícia! Por aqui passa vento encanado. 
 Esse saco vermelho de guardar brinquedos tem algum cheiro especial, porque é disputadíssimo pra deitar.

Quem teria coragem de expulsá-los da cama?

Não tem jeito. Eles escolhem o lugar onde tombar primeiro. Depois, se sobrar um cantinho, eu me estico e perco uma parte do programa da TV depois do almoço. 

Ufa! Ainda bem que não moramos na Espanha.

24 de fev de 2014

Vamos fugir, deste lugar, baby!

Por favor, vejam em tela cheia!

E as pessoas que se chamam de humanos, tem a coragem estúpida de colocar os que voam em gaiolas. 

10 de fev de 2014

Serve pra você?

Um texto de uma blogueira de quem sou fã confessa(tem o dom essa menina) me fez lembrar do que talvez sirva pra alguém.

Há muitos séculos tive uma conversa muito franca(eu consegui!) com um namorado sobre violência policial. Ele era da turma. De rara inteligência e espírito voador. Falamos sobre exageros. Foi um tempo em que aposentados travaram uma das pontes aqui da Ilha de Santa Catarina e um velhinho levou algumas tristes e vergonhosas bordoadas.

Depois de muita fala e indignação fervorosa(minha) ficou um conselho, que carrego comigo como um salva-vidas, um air bag. Ele pegou minhas mãos e olhos nos olhos, explicou:

Escuta com atenção. 
Se um dia você estiver na rua, ou em qualquer lugar onde tenha algum tumulto, se você ouvir aquele som de passos ritmados e aquela turma de farda escura(batalhão especial)vindo em grupo fechado...FUJA!!!  
Mesmo que você não tenha nada a ver com a coisa, FUJA!!! 
Eles são treinados para eliminar o problema, resolver a situação. Eles não sabem e não querem saber em quem batem, se for necessário para limpar o espaço. Então fuja! FUJA! 
Procure um lugar pra se esconder. 
É o tipo de cara que no dia seguinte salva uma vida, defende mulher que apanha, enfrenta bandido, tira pessoas de ferragens,ajuda uma criança a nascer, mas naquela hora ele só sabe obedecer, foi treinado pra isso. Ele não sabe que você é mulher ou velho.
FUJA!!!

Engoli o choro de indignação e arquivei.

Confesso que tenho uma aversão profunda, de me dar náuseas, por amontoados de gente e violência. Ninguém jamais me verá em passeatas, desfiles, torcida organizada e coisas do gênero. 
Sou árvore de um tronco só. Não crio riscos. 
Sempre há outros modos de contribuir sem se expor, ainda mais agora que as pernas já não são as mais fortes e nem posso seguir o conselho de Cláudio. 
É. Eles também tem nome. Para o bem e para o mal.

28 de jan de 2014

Chega de cheiro

Quem nunca pegou na mão um pincel(eu quase escrevi brocha) e brincou de pintar alguma coisa, que comece agora! Ou quem nunca teve uma arteiro ao seu lado depois de pintar uma porta ou um cadeira em casa, que fosse?

O duro é suportar aquele cheiro horroroso de solvente pra tirar os respingos de tinta, que só ficam charmosos em filmes.

Então foi assim que eu descobri uma alternativa sem cheiro. Saí do banho depois de fazer umas artes com tinta a óleo nessa sauna em que estamos neste mês e, imagine se eu não havia esquecido uma lambuzada da mais pura cor de nogueira no meio da perna. 

Como eu pretendia dormir sem aquele mau cheiro, fui buscando entre os neurônios, algum coisa que não fosse o solvente. 

Hum... Óleo de cozinha tira manchas de piche da praia, que são basicamente feitas de petróleo, de onde provavelmente vem as tintas. 

Lá do fundo do armário do banheiro salta o glorioso óleo mineral.

Tiro e queda! Bom até para algum restinho que fique nos dedos, embaixo das unhas. 

Nunca mais aquele cheirinho que não desgruda.

A foto veio daqui.

21 de jan de 2014

Fogo na praia

O helicóptero passou às duas da tarde e se foi. O fogo continuou fechando a paisagem, enchendo tudo de fumaça. 
Depois de sete horas fechada em casa, chega, finalmente, o barriga d'água, que vai e volta do mar. Já contei mais de trinta viagens. 



Desculpem a falta de qualidade do videozinho. A maquineta é um fió de simples. As marteladas saíram muito bem  :D

Mais notícias e fotos profissionais, aqui.

Talvez amanhã os pássaros voltem a voar e cantar. Mas muitos perderam seus ninhos e casas, com certeza.

Quem precisa de brinquedo novo?

Pois...

Você tira um tempo e fica clicando em sites e mais sites, à procura de preços e artigos que convençam seus bichinhos a brincar longe de seu colo.

Aí, eles escolhem...isto!


Aproveito caixas grandes, abro janelas e reforço a parte de cima com uma fita adesiva. Eles treinam picote para reciclagem e fazem a caixa ficar na sua casa por meses. Serve de casinha, de cama, de esconderijo. Custo quase zero!

Põe na sacada, tira da sacada, põe na sacada...

Essa da foto está servindo a bicharada desde antes do Natal.

15 de jan de 2014

Com merda na cabeça

Caso 1

Os jovens saem de uma festa e um deles resolve "brincar" de assaltante de carro. Errou o alvo e deu de cara com um motorista armado, que acertou o alvo.

Caso 2

Depois de dois anos nos EUA, o panaca resolve testar a segurança da empresa aérea e manda mensagens com ameaça de bomba.

Caso 3

A mãe do menino, que parece ter sido morto pelo padastro, viciado e ciumento, vai para a cadeia por omissão. Sabia do risco que os filhos corriam com esse desqualificado dentro de casa. Hã???? Daria pra escrever um livro. 

Detalhe: O outro filho é do padrasto e tem menos de um ano. Agora fica sem pai nem mãe. 

Caso 4 

A menina Maria Clara, seis anos, morre com mais de noventa por cento do corpo queimado. Foi assada viva. O animal jogou combustível na mãe e nas meninas dentro do ônibus e ateou fogo.

Detalhe mórbido: Um dia antes, a mãe de um dos animais, que obedeciam ordens vindas de um presídio, recebeu um telefonema, gravado pela polícia, avisando que não usasse ônibus no dia seguinte.

Tem alguém aí que possa esclarecer por que essa mãe não foi presa por cumplicidade?

Cada dia o esforço para manter a emoção cristalina aumenta. Ou você dispersa e vira hipócrita ou arrebenta a cabeça na parece.

2 de jan de 2014

A hora de dar uma clareada

Nem pense naquelas promessas de sempre. Faça hoje, ou quem sabe amanhã, uma limpezinha no seu copritcho. Afinal, só não comeu nem bebeu além da conta quem perdeu a festa, não é?

Assim:

Um litro de água numa vasilha que vai para o fogão.
Ferveu? Coloque de uma vez cabelo de milho(peça pro feirante), um belo maço de salsa e outro de funcho.

Desligue o fogo, tampe a vasilha, espere uns 10 minutos, coe e passe o dia bebendo.

Pode colocar na geladeira, mas nada de açúcar, nem mel, nem melado, nem adoçante. É pra limpar não pra sujar, minha filha, meu filho!

Com esse calor é bem provável que você beba até mais de um litro.

Nos trinques pra enfrentar o final de semana.

Importante: Nunca use chá feito no dia anterior. 



Cansada disso

E ai? Mudou alguma coisa de ontem pra hoje? 

Passada a ressaca...

O ser humano é tão programável, tão permeável. Difícil não deixar transparecer essa alegria programada de horas e depois, cara, o que vem depois?

Fiquei um dia inteiro sem telefone. Último dia do ano. Só acesso tv por internet, que vem por telefone, porque a SKY, essa joia, demora mais de uma semana pra substituir um controle remoto. Então, fiquei sem Tv, sem telefone, sem conexão. Nada de fogos. Só os daqui. Muitos.

Nada de reveillon de rotina. Fiz o meu. Debaixo de chuva. Comi um porquinho e chupei umas uvas.  Champanhe atrás da orelha. A romã me espera no refrigerador. A onda me carrega.

Hoje acordei, a conexão voltou, vi os mesmos fogos de dez anos seguidos e as notícias continuam as mesmas. Controle remoto chega em 7 dias.

Quando aprendi a filosofar, mal sabia dessa armadilha que é estar consciente da hipocrisia, da mesmice, da enganação. E de cair nela pra fazer sentido. No dia seguinte recolhem setenta toneladas de lixo só numa praia.

Melhor comemorar quando o sol bate no olho, de manhã, enquanto leva o cãozinho pra fazer xixi, pra ter certeza de que vem mais um dia por aí. Limpo. O resto é evolução da humanidade. 

Henry Thoreau e sua Pandora. O ano que finda sempre é uma praga a ser abandonada. Que venha a peste de Camus no próximo ano, certo? Que apague da história esses mandantes coreanos, sírios, brasileiros, israelenses, russos, sudaneses, americanos, paquistaneses, afegãos, caramba, quantos!... Assim o mundo será..., ai! ai! sei não. Quando se pensa que não pode ser pior, surge uma dilminha medíocre e nos bota na cesta do pão e circo.

Na geladeira o champanhe choca esperando um motivo.

Enquanto isso eu amanheço e comemoro a vida. Simples assim. Sem tv, sem conexão, sem telefone.