TRANSLATOR( BLOG OR POST)

30 de abr de 2013

Essas mães!

- Filho, o que você quer ser quando crescer?
- Grande, ué!
- Não, filhote. Quero dizer que o que você deseja ser: engenheiro, professor, pesquisador, atleta, motorista...

O menino olha impaciente para a mãe, suspira fundo, abre os braços e declara como se ela fosse uma imbecil, que tem dificuldade de entender as coisas.
- Mãe, quando eu crescer eu quero ser feliz!


Outra?

Mossa ex-vizinha de Seara- lá se vão mais de 35 anos-, louca pra incutir nos filhos o interesse pelo conforto, dinheiro, segurança, quem sabe luxo, travou um diálogo que é lembrado de vez em quando. 

Ela: Filho, quando você ficar grande vai trabalhar com quê? Será que vai construir casas, cuidar de doentes...

O menino com talvez uns 4 anos: Tem também *carpiná...




*Capinar.

23 de abr de 2013

Se eu Fechar os Olhos Desapareço?

As coisas por estas bandas andam assim um pouco conturbadas. Nada que mereça ser colocado em portais ou fachadas, mas de qualquer modo tiraram meu ritmo, minha energia. Experimente morar no quarto andar e ficar sem elevador por mais de uma semana!

Para levantar um pouco o termômetro comecei a olhar para os lados e reparar no que há tempos vem esperando um socorro. Dentro de casa eu quero dizer, que de mim mesma e meus achaques já nem me aguento, quanto mais escrever sobre eles.

Olha daqui e dali e entre tantas coisas precisando de renovação(estou na fase de quanto menos, melhor), resolvo que a arte felina já fez o que deveria no sofá e é hora de trocar os panos. 

O toldo não, que é coisa de cachorro grande. Vai aguentar esse rasgo por mais uns ventos, sim senhor.

O armário-quase uma despensa-, que se ofendeu com a infiltração causada pela mesma chuva que detonou o elevador, saiu alegrinho na semana passada e causou uma despesa impossível de adiar.

Pois sim! É só mexer em alguma coisa da casa e parece reforma de cozinha. Começa na pia e acaba no quarto, depois de passar pela lavanderia, sala e por aí vai. Sabe como é isso?

Bateu a ciumeira em todo o canto. Assim sem qualquer anúncio o ventilador/esquentador de banheiro tirou umas de difícil e adeus! Como ficar sem aquecedor com o frio chegando? Toca a clicar na internet. 

E aquele ventilador, apenas entrando na adolescência, com 11 anos, já deu tudo e mal consegue espantar o cheiro de peixe frito? Vamos aproveitar a oferta e usar o mesmo frete?  Vá lá, que custa menos depois da temporada de suores e cabe no orçamento.

Bastou fechar a conta e ir até a cozinha para aquecer a comida do cão. Adivinha a ciumeira do microondas. Um barulhão assustador. Cheiro de queimado. Fico olhando pra ele e ele pra mim. 

Como é fácil acostumar com um microondas! Tão acostumado esse cara comigo. Pensando bem, será que ele também com 11 anos, combinou com o ventilador e o aquecedor? Depois de dois consertos é hora de dizer adeus. Lá se foi o que seria uma roupinha nova de inverno.

Enquanto o moço anota os panos que quero para o sofá, olho desconfiada para a geladeira, que tem a mesma idade dessas coisinhas temperamentais.

Nem vem que não tem, minha filha. Segura as pontas aí! Este mês, não!  Imagine o tamanho do rombo. Além do que, quem é que vai subir quatro andares com uma geladeira nas costas?

6 de abr de 2013

Para quem acredita em santos

Pitanguinha está às voltas com dodoi no joelho(isso sem acento parece que nem doi!). Por conta disso desafia o santo que deveria proteger essa parte tão forte e tão delicada do corpo.

Na versão robinwoodiana feminina, seja lá o que isso for, fui bater na porta desses tipos. É inacreditável, Pitanga. 
Tem protetor de qualquer coisa,  menos de seu precioso joelho.

Quem sabe você encontre algum que se prontifique.

Pessoas, o que a mente humana é capaz de criar para satisfazer sua ânsia de responsabilizar alguém por suas dores e culpas, só essa lista explica. Se duvidar, clique no link e veja para quem a ignorância dirige sua fé.

Juro que eu queria saber por que essa tal São Fiacre fez para merecer tal encargo.

2 de abr de 2013

Mineiros da vez.


Dois mineiros ao celular no meio da multidão.

Explicação necessária aos difora: O povo de Minas Gerais, principalmente do interior, tem um jeito único de falar, escondendo letras e às vezes até palavras. Emendam uma palavra na outra. Letras viram reticências ou só um gemido.

Seria maldade mandar sem traduzir. Maizé dificisô!


DOIS MINEIROS AO CELULAR NO MEIO DA MULTIDÃO

- Deksetá?  (
Onde é que você está?)
- Tokicocê  (
Estou aqui com você.)
- Nôndikikocêtá? (
Não! Onde que você está?)
- Trazdocêssô (
Atrás de você, sô!)
- Faverdadsô. Oncocetá? (
Fala a verdade, sô. Onde que você está?)
- Otoonkocetá (
Eu estou onde que você está.)
- Maonkotô? (
Mas onde que eu estou?)
- Onkocetássô ??? Cetáonkotô! (
Onde que você está? Você está onde que eu estou!)
- Numtotivenusô! (
Não estou te vendo, sô!)
- To-inaí! (
Estou indo aí!)
- Yondékinoisvai? (
E onde que nois vai?)
- Cevaoncovô! (
Você vai onde que eu vou!)
- Issossêissô. Maoncocevai? (
Isso eu sei, sô. Mas onde que você vai?)
- Vococê! (
Vou com você!)
- Covocoêisissossei! Maoncovocossê? (
Que eu vou com você eu sei,sô! Mas onde que eu vou com você?)
- Seindanumsá? Ticontásso! (
Você ainda não sabe? Vou te contar, sô!)
- Xotifalá. Socevaionconumgodií-cevaissóssô! (
Deixa eu te falar. Se você vai onde que eu não gosto de ir, você vai só, sô!)
- Nenchusákussô! Sototifalano-ototifalanu! (
Não enche o saco, sô! Se eu estou te falando- eu estou te falando! )
- Vemkikocêvaivêkekébompatóss! (Vem aqui que você vai ver o que que é bom pra tosse!)
- Tobrincânussô.(Não estou brincando, não, sô! )
- Godissunão! (Não gosto disso, não!)
- Tocheganaí (Estou chegando aí.)
- Tsper! (Te espero!)

Ufa! Diades manu o papo no blututi.