TRANSLATOR( BLOG OR POST)

30 de jan de 2012

Na Melhor das Hipóteses- Parte II

Leia aqui a Parte I

Parte II

Depois de enfrentar o mesmo tormento da manhã, finalmente você coloca o carro na garagem. Na porta do apartamento- o próximo será, no máximo, no terceiro andar, você jura!-, de língua de fora, louco por um banho, lembra que não tem nenhuma reserva de água para o chuveiro, nem para o vaso sanitário ou para a cozinha. A lava-louças está cheia, a de lavar roupas idem.

Sem televisão, sem MP4 e sem computador você anda pelo apartamento. Não sabe o que fazer para passar o tempo. Escolhe sentar perto da janela por onde entra uma brisa refrescante e o nervoso som de buzinas. Lê até que escurece.

Olha o caos lá embaixo. Escuta vozes alteradas vindas dos apartamentos vizinhos, crianças que choram. Algumas dormirão sem banho, outras sem comer direito. Como pregar o olho com esse calor?

Depois de meia dúzia de lenços úmidos pelo corpo e desodorante em dose dupla, você coloca um pijaminha leve. Encontra uma vela de aniversário no fundo de uma caixa. Mas não tem fósforos. Você sempre achou ter fósforos um atraso.

Surrupia a lâmpada de emergência do corredor, ignorando os protestos da vizinha suada, que se abana perto da janela.

Perspectivas para amanhã: serviço atrasado, clientes de outras cidades e estados reclamando, cobrando descontos. Isso vai exigir que todos virem a noite trabalhando, você pensa.

Você se contenta com o que tem na geladeira, que deve conservar a temperatura por mais 12 horas. Come tudo frio. Deixa todas as janelas abertas para suportar o calor. Em pleno dezembro no hemisfério sul, logo hoje precisava falhar tudo junto?

Desiste de perambular pelo apartamento e vai para o quarto.Confere esperançoso o sinal do celular e a lâmpada de cabeceira. Escova os dentes e enxágua a boca com um resto de água tônica. Absurdo, você fala  baixinho. Tropeça no tapete e se deixa ficar na cama do jeito que cai.

Amanhã voltará tudo ao normal. É seu último pensamento otimista antes de dormir. Afinal, subir e descer mais de trezentos degraus tem seus benefícios.

Continua...

27 de jan de 2012

Triângulo amoroso

O amor pressupõe certo afastamento. Sempre em busca da medida certa entre as partes.

25 de jan de 2012

Na melhor das hipóteses- Parte I

Leia aos poucos. Não quero ser responsável por seu infarto precoce.


Você vai dormir depois de aquecer o lanche no microondas, toma banho quase morno, vê um filme, joga um pouquinho, dá uma espiadinha em alguns blogs e na sua caixa de mensagens, usa o Skype pra uma conversa ligeira e barata, abre a geladeira, escolhe uma cerveja gelada, ou um vinho branco especial. Depois regula a temperatura do quarto, confere o rádio-relógio, coloca o telefone celular na mesinha de cabeceira, puxa o lençol sobre a orelha. Mal tem tempo de lembrar do dia e dos compromissos do dia seguinte e dorme o sono dos justos.

O relógio não desperta, mas você acorda suando em bicas. Ar-condicionado parado. Sem energia elétrica ele virou decoração. Banho gelado e com um fiozinho d'água. Pensa em ligar para o porteiro, mas resolve falar na saída. Quando coloca o celular no bolso repara que está sem sinal. Vai até a cozinha e se dá conta de que os equipamentos elétricos não funcionam. O fogão a gás está aí, mas você não tem acendedor manual, nem isqueiro, nem fósforos. Café será no trabalho. Corre para o elevador. É obrigado a descer os 14 andares a pé. 

Para sair do prédio precisa abrir a porta com chave. Droga! Esqueceu desse detalhe e precisa subir os 14 andares. Na metade do caminho reduz a velocidade, porque está suando demais e não há tempo para outro banho. Desce tudo de novo. Pega o carro na garagem e repara que alguém já deixou o portão da garagem levantado. O GPS, o computador do carro e os vidros elétricos não funcionam. Na rua decide abastecer o tanque, mas em cada posto uma fila quilométrica. Afinal não há energia elétrica, você lembra.

Vai passando pelas ruas e percebe que tudo está estranho. Sinaleiras não funcionam, engarrafamento além do costumeiro, pessoas com cara de ontem e sem café no estômago brigam mais do que sempre. Muitos carros com pane.

Quando chega no escritório descobre que a cidade inteira está sem energia elétrica, computadores e telefones não funcionam e nas torneiras só pingos d'água. Os sistemas de água, luz, telefone, gás, gasolina foram modernizados para funcionar por computador na cidade toda. No estado inteiro. No país inteiro. No mundo inteiro.

O dia vira um caos. Quem consegue chegar, bufando, chega atrasado, reclamando, sem vontade de trabalhar. Mesmo que quisessem não poderiam.  Não há cafezinho, não há como pedir almoço, o office-boy não chegou, o ambiente está a mais de 36'C e o celular ainda está sem sinal.

Alguém resolve usar o que tem na geladeira. O computador da porta dela tem cheiro de queimado. Só tem o suficiente para os quatro, com muita economia. Melhor comer tudo antes que estrague por falta de energia.

No meio da tarde resolvem ir embora. Atrás da porta fica o cheiro do vaso sanitário sem água para descarga.

Continua...

24 de jan de 2012

Aviso aos paroquianos

Os meios de comunicação fazem manchete da tempestade solar que atinge a Terra nesta terça-feira. A maior dos últimos seis anos.

Nós só assistindo. Não há abrigo para todos. Nos Estados Unidos há um abrigo subterrâneo gigantesco sendo construído para uns poucos, que acreditam na ciência e sabem do que o Sol é capaz de fazer, além de permitir a vida e estragar nossa pele.

Amanhã contarei a primeira parte de uma historinha inspirada no assunto.

Se essa energia solar não perturbar a rede elétrica da cidade e meu computador.

19 de jan de 2012

Vem comigo!

Dizia o famoso rapaz, que pensava o mesmo que eu a respeito daquela torre horrorosa de Paris, que o único lugar de onde gostava de olhar a cidade era a partir dela, porque não a via.

Pois bem, esse gigante sem a menor noção de arte e símbolo de adoração a cimento armado, serve de ponto de vista para ver, aí sim! uma cidade surpreendente. 

Comece por onde quiser, mas primeiro entre aqui.

16 de jan de 2012

Criando com Liberdade

O autor é promotor aposentado.
O recorte foi enviado por e-mail, sem identificação do jornal e data. Se reproduzir, mantenha a autoria.

13 de jan de 2012

Olha o Passarinho!

Chovendo muito? Chovendo nada? Frio? Calor demais?  Use a desculpa que quiser e gaste o final de semana para explorar  isto.

Guarde o link, porque eu garanto, um final de semana não será suficiente.

12 de jan de 2012

Variações sobre o mesmo tema

Juro que ele tem cruza com bode, cabrito ou rato.
Onde já se viu um carinha tão inocentezinho, de 4 meses, fazer isto?Alguns segundos de distração e ele encontra o que engolir.

Começou assim
e foi aumentando
depois veio o roubo e o rombo no guardanapo.
E ele foi xuxando, roendo e comendo
comendo
xuxando
roendo
minha manta, que estava sobre a cama
 roendo pano de prato e
o trilho de mesa.

O pano da pia só achei um dia depois, roído, embaixo do armário. Na hora de limpar a areia, lá estava colorida, a prova do crime.

As folhas de funcionárias públicas ele come como sobremesa.

Ele roi e eu estou ficando paranoica com panos. Medo que fique entupido com alguma coisa que eu não tenha escondido, guardado, protegido.

A quantidade de ração aumentou na esperança de que se acalmasse. Em vão. O floral, por enquanto, não fez diferença.

Dos ossinhos de cartilagem caninos, uma tentativa de saciar a vontade de roer, ele engole os pedaços inteiros e nem pisca.

Estou há dois dias procurando um apito que estava dentro de um bichinho de feltro que ele comeu. Até agora não ouvi nenhum assobio andando pela casa. Ainda há esperança.

11 de jan de 2012

De que são feitos os ídolos

O pai dele era contabandista de bebidas, dominador, autoritário. A mãe teve muitos filhos, entre eles uma com deficiência mental, que foi lobotomizada.

Ele não queria ser político, tinha dificuldade para falar, sofria de dores crônicas, era viciado em drogas para a dor e mulheres. Foi forçado pelo pai a concorrer a cargo público em lugar do irmão, que morrera.

Quando já ocupava posição de destaque traía sua esposa descaradamente. Ela se vingava gastando horrores. Ela também era viciada em analgésicos, vício que começou depois que se casou.

Ele foi um mandante medíocre e atrapalhado. Morreu, como outros dois irmãos, assassinado.

A viúva e um irmão dela negociaram um casamento com um bilionário estrangeiro, por uma cifra com muitos zeros, quando ele ainda estava ligado a uma cantora de ópera, que morreu de desgosto.

A mulher, viúva duas vezes, morreu de câncer. Seu filho, bonito e bem sucedido, casou com uma mulher temperamental e antipática.  Morreram os dois num acidente aéreo muito mal explicado.

Sobrou uma filha daquele presidente, sem qualquer brilho e fama. O tio dela, que se envolveu na morte de uma de suas amantes, num acidente de carro, morreu de câncer no cérebro.

De perto os ídolos são tão iguais a todos!

10 de jan de 2012

Curtindo o verde

Uma delicada flor.

Que se transforma, rapidamente...
nessa curiosa e deliciosa
vagem pretzel.

Quem cultiva essas pequenas coisas dá um valor diferente ao que tem no prato. Ou, como dizia o "seu Perri": Foi o cuidado que tiveste com tua rosa que a fez tão importante.

*"Seu Perri" é como ficou conhecido e é citado por pescadores mais velhos da Praia do Campeche, onde se diz que o aviador foi obrigado a pousar e que o inspirou a escrever O Pequeno Príncipe.

9 de jan de 2012

A Sopa que Virou Televisão

Como você se sentiria quando, depois de fazer contribuições para sopas e sustento dos atendidos pela LBV,  ligasse a televisão e descobrisse que eles compraram um canal exclusivo?

Tem alguém distribuindo canais gratuitamente, ou será tão barato que qualquer sopa compra um?

Eu acho que aí tem um angu mal explicado.

5 de jan de 2012

Com o dedo na tomada*

Houve um tempo que eu não ganhava presentes no meu aniversário. Tempo que não havia costume, tempo que não havia dinheiro. Tempo em que a distância transformava tudo em cartinha, telefonema, cartão. E tempo que a família trocou de mal comigo por eu virar mãe. Também há tempo em que os mimos são entregues no decorrer do ano. Isso eu adoro!  Muito gostoso receber presente atrasado.

Assim acostumei a me dar coisinhas, sabe? Coisinhas para sossegar meu espírito e meu coração na data marcada. Já me dei florzinha de mato, revistinha de palavra cruzada, grampo de cabelo, roupas, coisas inusitadas e até coisas normais que sempre comprava. Tirava da sacola de compras e dizia: este é pelo meu aniversário. Sem drama.

Este ano, por garantia, me apaixonei por um aparelho maluquinho, que tem tocador de disco de vinil, fita cassete e CD. Tudo junto e misturado. E ainda tem rádio.  Esse aqui, ó:

Bonitão na foto, né?

Aí escolho site daqui e de lá e decido por um que a intuição soprava: Vai!
Fui.

Onde está o drama?  Repare que foi feito na China e por lá não deve ser como é aqui. Aqui onde diz 220V deve ficar o seletor, certo? Lá deve ser diferente, porque onde está escrito 220V seleciona 110V.

Já sabe o que aconteceu, adivinhão! Quando, finalmente, consegui ler como abrir o drive do CD e apertar o play...um puta estouro e um cheiro ruim como só.

E lá dentro ficou o CD do Tom Jobin. De coleção. Bateu o desespero, porque não podia ligar de novo na tomada sem correr o risco de explodir tudo e não tinha aquele furinho mágico onde se coloca um clip esticado pra tirar mecanicamente.

Resumo da ópera: depois de variados telefonemas com excelente atendimento, diga-se de passagem, quilômetros de escritos em e-mails, lá se foi de volta, meu presente de aniversário pelo correio. A minha cara no guichê era de dar dó. Até o atendente reparou no clima.

Não acredito em reza, mas se alguém aí quiser se unir à torcida para que um dia ele volte para mim e a tempo...

Se não chegar até a data marcada, eu me dou um cascudo pra aprender a não comprar  nessa época em que o saco do inferno astral já está pelas bordas.

Mas pelo menos o CD do Tom eu salvei.
_____________________________________________________
* Essa expressão copiei de Glória, que não está no inferno astral, mas passa por umas de fechar o barraco.

3 de jan de 2012

Esse site é da hora!

Se você está a ponto de explodir de tanta chamada de telefones de telemarketing, empresas que fazem várias chamadas e desligam na sua cara, ou querem vender até passagem para o planeta Vênus, enfim, se não quer mais atender esses idiotas de meio cérebro, tem jeito.

A campainha do telefone pode continuar tocando, mas vocè não atende mais.

Primeiro precisa instalar identificador de chamada. Alguns aparelhos tem esse dispositivo, mas é preciso solicitar o serviço a sua operadora. Custa? Bem menos do que a chatice que te faz atender 10 chamadas por dia. O preço do sossego varia de R$12,00 a R$15,00 por mês. Pelo menos enquanto alguém não tomar uma atitude mais drástica. Tanto deputado coçando o saco! Tanto vereador jogando paciência no computador!

Para quem já tem identificador de chamada é só entrar nesse site e ver se o número que chama é um da extensa lista. E não atenda mais.

Eu acabo de descobrir que um dos idiotas que liga pelo menos uma vez por dia é da RBS(048 32294700)Assino o jornaleco há uma quinzena só para o cão ter onde fazer pipi. Assim que o semestre acabar...adiós. Se não respeitam nem assinante vou procurar outra turma.

Outro telefone que abusa desse spam telefônico é o 1135638600, que já foi identificado como Editora Abril e Bradesco. Não atendam ou nunca mais terão paz! Ligam até 4 vezes por dia em qualquer horário, inclusive à noite. Quando você atende ninguém fala. Se retornar a ligação identificam-se como uma dessas duas empresas. Há quem diga que é da SKY.

Alô! Alguém na linha para tomar alguma providência? Cabe o PROCON  ou um B.O.?

Foto de Stock R. Free