TRANSLATOR( BLOG OR POST)

28 de dez de 2011

Para não pagar mico

Seja no reveillon ou em qualquer ocasião, é muito fácil fugir do mico  que alguns pagam ao abrir uma garrafa de espumante.

Depois de retirar a proteção de arame que cerca a rolha, se você não tiver sacarrolhas específico para esse tipo de bebida, não fique cutucando e empurrando a rolha com a ponta do dedão. Além de ser ridícula aquela mímica toda, que mais parece alguém com cólicas intestinais, você ainda poderá  machucar alguém, ou quebrar algum objeto quando a rolha sair.  

Coloque um guardanapo(pode ser de papel) ou pano limpo sobre a rolha (já livre da proteção de arame, não esqueça!), segure a garrafa com uma das mãos e com a outra gire a rolha, firmemente, no sentido anti-horário. A rolha sai fácil e fica na sua mão.

Deixe para  profissionais de verdade aquela façanha de abrir a garrafa com uma espada. Isso só impressiona se você não começar o ano com uma das mãos decepada, caquinhos de vidro no chão ou dentro da garrafa.

Para preservar o sabor do vinho de que é feita a bebida, nada de sair escorrendo ou esguichando espuma. Deixe isso para quem esteja comemorando a chegada ao pódio.

Segure a taça pela haste para conservar a temperatura.

Espumante não é refrigerante. Não beba de estômago vazio. Beba aos poucos e não exagere para não dar espetáculo logo no primeiro dia do ano. Tome água entre uma taça e outra, quando chegar em casa e ao acordar para não ter ressaca.

Se beber uma taça que seja, entregue as chaves do carro a alguém que não bebeu(se morar em Porto Alegre, chame o Mauro). No Brasil agora é crime dirigir depois de beber.
Saúde a todos!!!!

27 de dez de 2011

E lá se vai 2011

Obrigada a quem teve a paciência de me acompanhar em 2011.

Obrigada por me concederem a chance de ler e ver palavras e imagens, que me ajudaram a fazer desse ano um período de serenidade e alegria, reflexão e crescimento.
(Nascer do sol na praia da Joaquina- 1975)

Tomara que em todos os dias do novo tempo a paz nos permita estar juntos novamente e que possamos conceder ao tempo seu papel. Que o sol sempre anuncie coisas boas.

Desejo que todos possam construir um ano novo muito bom e que tenham consciência dos momentos felizes.

Cuidado com os desejos de virada de ano, que eles podem se concretizar, viram?

23 de dez de 2011

Sonho de consumo

Não sei por que chamaram isto de boy's toys. Mas eu quero um.


Veja  o que ele faz.

Imagine dois gatos e um cachorrinho atrás disso.

21 de dez de 2011

Mareada com essa pressa

Não sou muito adepta da urgência de se viver. Não carrego essa ansiedade de ver tudo e não perder nenhum detalhe. Posso, no máximo, ter urgência de ver assuntos resolvidos, flores que floresçam, dores que passem, horários cumpridos. Pessoas ansiosas me perturbam, incomodam. Cansam mentalmente.

Não consigo carregar as horas do dia como se fosse obrigação não deixar nenhum segundo em branco. Não tenho que. Muito mais frequentemente preciso de.

Perderia o rumo e acabaria maluca se vivesse cada dia como se fosse o último, embora tenha consciência aguda dessa finitude desde a correria para o hospital há alguns anos.

Cada dia inicia um novo ano e cada gesto é o mais possível intenso, mas sem muito planejamento. Também não me preocupa saber o que farão com minhas caixinhas de lembranças depois que eu terminar meu tempo. Mesmo que leiam os bilhetes de amor de várias origens e minhas poesias todas, nunca saberão o que elas realmente significaram. Por isso não há apego. O que é meu carrego comigo.
(Clique para aumentar)
Pertenço mais, atualmente, ao time que se dá ao luxo de parar no meio do caminho apenas pra ver uma onda quebrando, um pássaro disputando uns centímetros de um fio elétrico, uma nuvem mudando de forma, um bichinho crescendo, uma criança que me arregala os olhos com tanto progresso, um final de tarde lilás, respirar profundamente para absorver a paisagem.

Todavia, de repente me dou conta de que existe uma certa urgência em reter a paisagem que encanta meus olhos e faz meu espírito vibrar quando abro a janela pela manhã.  A construção está na altura dos meus olhos e a vontade de manter alguma privacidade me fez borrifar tinta nas vidraças. Tinta verde. E o verde fica lá fora.

Essa urgência me expõe e exige revisão de certezas, impõe limites que me incomodam.

Enquanto isso, lá fora os morros continuam lindos, o ceu está num tom de azul feliz, a areia continua sendo pisada e o sol amorena peles sem se importar com minha vã filosofia.

A fotografia foi feita há algum tempo, mas ainda é possível pegar essa paisagem assim vazia fora da temporada de farofeiros.

19 de dez de 2011

Não tem mais jeito!

Agora você só tem duas semanas para cumprir as promessas de virada de ano. 

16 de dez de 2011

Qual é a sua?


Frases Originais de um Fim de Ano
Mário Prata

FELIZ NATAL!
Próspero Ano Novo.
Tudo de bom para você em 94.
Passei na vitrine, olhei, achei a tua cara.
Tinha certeza que era você o meu amigo-secreto.
No ano que vem vou fazer regime.
Imagine, não precisava se preocupar.
Coube direitinho.
Pode trocar, se não servir.
Só isso, pai?
Nossa, como este ano passou rápido.
Não tinha o seu número, infelizmente.
Foi um ano difícil.
Vai ser o ano do tetra.
Deus te ouça.
Saúde pra dar e vender!
Olha só o que eu ganhei.
Nossa, como eles cresceram!
Discurso, discurso!
Não sei como agradecer.
Juro que eu não esperava isso.
No ano que vem vou parar de fumar.
Gente, tou completamente bêbado.
Este peru é Sadia?
Alguém viu o quebra-nozes?
Meu, que ressaca!
Você viu a pobreza do presente que o chefe me deu?
Juro que nunca mais bebo. De estômago vazio.
No ano que vem eu passo, mãe.
Esse verão vai ser de matar.
Que horas são? Já?
Alguém viu o meu filho por aí?
Se você não for bonzinho, no ano que vem o Papai Noel não vem.
Quem foi que sentou no bolo?
Onde foi que você comprou esse uísque? Sei não.
Pior que 93 não vai ser.
Quem vai buscar mais cerveja?
O meu presente sumiu! O meu presente sumiu!
O médico disse que você não pode beber, vó.
Quem foi que vomitou na escada?
Isso que é vinho!
Hoje é Natal, conversa com o seu irmão, meu filho.
Vamos rezar agora. Todo mundo de mãos dadas.
Que horas que é a São Silvestre mesmo?
Pior é que. no ano que vem, o Natal e o Ano Novo caem no domingo.
O pessoal tá fumando lá no banheiro de cima.
Alguém tem uma Bic aí?
Me disseram que não foi hoje que Jesus nasceu.
O shopping estava assim de gente.
E os preços, então?
Gente, acabou o uísque.
Estou morrendo de sono.
Quando é que cai o carnaval?
Puxa, não te via desde o ano passado.
As crianças estão passando com a mãe.
Vai pra onde?
Cadê o balde de gelo?
O que eu não agüento são essas musiquinhas.
É melhor você não ir guiando, meu filho.
Se você continuar guiando assim, eu desço.
Não desce não, que é você quem está guiando.
Boa noite.
Feliz Natal.
Me passa o celular.
Próspero Ano Novo!

A acentuação tremas e afins foram mantidos como no original, de 1993
Para ler mais textos de Mário Prata entre aqui.

15 de dez de 2011

Memória atávica?

Uma cena recente me levou a uma caverna onde homens e mulheres com medo de raios e trovões pediam, apavorados, que o que quer que fosse que estivesse mandando aquelas coisas apavorantes parasse com aquilo. Era preciso proteger seus pares e descendentes.

O quadro seguinte era de vestais e templos com ofertas para agradecer privilégios e pedir mais favores, perdão e clemência.

Os quadros seguintes são fáceis de desenhar? Os pedidos se transformaram em negociação(se você me der eu te agradeço: eu te dou, eu te prometo e você me favorece com propaganda).

Aí vejo minha mãe, aterrorizada com uma tempestade, queimando galhos de plantas bentas, para que aquele horror passasse. Em um fogão a lenha, com chapa de ferro. Se as folhas queimadas não agradassem a quem estava comandando os raios, talvez um deles, atraídos pelo ferro tivesse mudado a história e a fé de quem estava ao redor dele.

Gestos e atitudes que se repetem sem o menor bom senso, sem questionamentos, sem usar as faculdades tão brilhantes do cérebro.

Por que apenas não admirar o universo, sentir a grandeza do amor entre pessoas e compartilhá-lo? Por que é preciso negociar, convencer, se esse pretenso ser é onisciente, bondoso, generoso, onipotente? Será que nem mesmo nessa teoria do divino existe justiça e igualdade? Só merece quem se ajoelhar, quem se humilhar, quem me louvar? Ini, duni, té...você ganha, ele não.

A próxima cena é de centenas de ônibus com pessoas que precisam estar em determinado lugar para suplicar, louvar, agradecer, contradizendo a onisciência desse ser que tudo vê e ouve, mas que ainda precisa de marketing e construções. Lugares onde há vendilhões, que seriam açoitados, se qualquer um dos tantos messias de AC e de DC por lá aparecesse.

Tão frágeis os seres humanos, tão necessitados de recompensas a perder de vista!

A propósito: turismo religioso mata!

14 de dez de 2011

Oha o que você comeu, menina!

- Hummm... E as sementes de maracujá são tão sensíveis assim?
- Não. É que demoram até 50 dias pra germinar.
- Nossa! Isso tudo?
- E, sim!
- E as abóboras, por que será que tenho visto tantas flores caindo? Será que estou regando demais?
- Não, não tem a ver com água. Acontece que existem flores fêmeas, que são as que aparecem a partir do caule já com uma bolinha, que serão as futuras abóboras. E há as flores masculinas, que duram poucos dias.
- ??????

A essa altura eu me senti uma idiota. Logo eu que vi tanta aboboreira no fundo do terreno?  Eu que comi tantas flores? Nunca ouvi dizer que eram machos ou fêmeas. Na minha minúscula sabedoria de cada flor nasceria uma abóbora.

Diante de minha falta de resposta, o técnico acrescentou, para me colocar de vez no chão:

- Repare bem as flores. As masculinas tem um apêndice dentro.

Quêêêê????

Fui lá no terraço e conferi.
Tem!


Obs.: Não reparem nos respingos de barro. É que ontem e hoje choveu furiosamente.

11 de dez de 2011

Telhado verde ou vasinho verde?

Pensando em criar um espaço no telhado para plantinhas? As indicadas para seu telhado estão neste site, conforme incidência de sol, região, cuidados, etc. O que você está esperando para entrar nessa moda?

Se você preferir cobrir aquela laje feiosa ou dar novos ares a qualquer espaço, com uma pequena horta ou misturar flores, legumes e temperos, vá em frente! É uma delícia semar, ver brotar, crescer, florir. Algumas plantinhas são bem pouco exigentes e há até as que nem precisam de muito sol.

É muito barato ter temperos frescos, por exemplo. Pode plantar em vasilhas descartadas da cozinha, latas e até( acreditem, que essa eu fiz), naqueles blocos de isopor que protegem produtos e que nunca se sabe o que fazer com eles. Alguns pedaços já estão quase prontos. É só escavar  um pouquinho, fazer furos no fundo(isso é indispensável), encher de terra de boa qualidade, regar cada uma conforme o recomendado e voilà! Eis salsinha, cebolinha, sálvia, rosmanim, tomilho, hortelã(pega em qualquer lugar e não é nada exigente), calêndula, vagem, fava, amaranto, abobrinha, pimentas, tomate-cereja, cravínea(são comestíveis), amor-perfeito(também é comestível).

Se as embalagens parecerem feias, compre alguns pacotes de grampos de roupa, separe as partes e cole ao redor delas. Passe verniz ou tinta colorida e terá  um cachepot de dar inveja. Palitos de picolé, rolhas cortadas, rolinhos de folhas de  revistas, papel adesivo, use a imaginação.

Não desista se não acertar o plantio da primeira vez. Pesquise sobre plantio, cuidados e dicas. Há dezenas de excelentes sites.

Para semear experimente este site. Para comprar sementes ninguém melhor do que eles.


Comece com um vasinho e verá que aos poucos isso te conquista e com muita frequência vira passatempo, terapia e assunto pra muita conversa.

Boa sorte.

N.B.: Para substituir telhados por plantinhas consulte alguém que entenda do assunto.

A foto é de um hospital com telhado verde. Confira aqui.

10 de dez de 2011

Baleias e bichos-da-seda

Preâmbulo

Eu procuro ser ecologicamente, vejamos..., mais ou menos correta.

Inclusive tentamos, meu filho e eu, há uns 20 anos, ficar um mês sem comer carne. Quase entramos em depressão. Era uma tristeza quando se aproximava a hora da refeição. Naquela época não existiam muitas opções e a tal carne vegetal era um troço simplesmente horroroso. Eu procurava criar e variar pratos e sabores, cores e temperos, mas desistimos de comum acordo. Muito felizes pela desistência, diga-se de passagem.

Meu lado humano reconhece que fica bem ao saber que sem a proteína animal nosso cérebro não teria alcançado o desenvolvimento de homo sapiens(nem sempre tão).Talvez o ato de comer carne tenha transformado o ser humano em algo muito desumano, mas eu me perdoo, por cozinhar e comer alimentos com todo o respeito.

CASO

Um belo dia( há muitos anos) descobri que aquela coisa maravilhosa chamada seda vem de um bichinho (coró) que come folhas de amora.É muito bonito ver os criadouros. Haja folha pra tanta boca!

Então pensei: Pelo menos eles compensam a matança das baleias com criação de bichos-da-seda.

O documentário de uma década atrás, mostrou que os casulos são desenrolados em fios depois de colocados em água fervente.

Nunca mais compro nem uso seda. Nunca mais!

Foto daqui

8 de dez de 2011

E em primeiro lugarrrrrr....

Se essa não é a árvore mais criativa não sei o que é.  Onde mais se criaria uma árvore de redes, que são produzidas ali e vendidas em todo lugar?

Saiu do blog da cadeirinha de arruar. Além de ser uma contadora de histórias de primeira, ela nos encanta com as coisas típicas de sua/nossa terra.


6 de dez de 2011

Decoração Natalina com Reciclados

Sem grandes reservas para gastar com decoração de Natal? Prefere não aumentar o lixo de plásticos? Gostaria de decoração que não se importa com sol e chuva?  Quer que sua decoração vá para a reciclagem em Janeiro?


Não importa o motivo. Neste site mil sugestões com vários materiais.

Explore todos os links e fotos para ver outras ideias. Ainda dá tempo!

Uma penca de abóboras

Ou seria um cacho?

Essa aboboreira cabe em espaços pequenos, porque não rama, não se espalha como a maioria das suas parentes. Numa floreira de um metro cabem três pés. 

É a abóbora papaya, que, pelo óbvio, se parece com o mamão do mesmo nome.
Cresce e dá frutos em menos de um mês. Muitos frutos. As flores são deliciosas se forem fritas envolvidas levemente em ovo e farinha. As abóboras podem ser comidas verdes ou maduras.

Com os quatro pés que tenho na hortinha vai ter abóbora na mesa até enjoar. Nem precisaria dizer que guardarei sementes para sempre.  Nham! Nham! Estão servidos?

5 de dez de 2011

Um velho cheio de recheio

Recebi um vídeo dele e fui pesquisar. Não esse aí embaixo. O do velho ranzinza. O das feministas é imperdível. Não deixe de ver  todos. E morra de rir!




blog também merece visita. Pena que perguntaram se eu estava "afim " de receber  mensagem deles. Não.

1 de dez de 2011

Pra ler de cabo a rabo

Nunca entendi que bicho ou objeto é esse que tem cabo e rabo, mas vamos ao que interessa. De vez em quando eu tento disfarçar o barulho da obra aqui ao lado. Minha mente ocupada consegue baixar o volume das marteladas, gritos, serras e conversas. (Ainda não consegui ignorar o miado ininterrupto de Suki. Mas estou treinando.)

Sai para pescar novidades na rede e achei este post.

Antes de chegar nele li o que estava em outros escritos da moça. Gostei. Marquei como boa colheita e divido com vocês.

Não fiquem só nesse texto. Leiam mais aqui.