TRANSLATOR( BLOG OR POST)

31 de jan de 2011

O Luxo da Hora Marcada

Imaginem que hoje foi dia de atravessar o oceano e ir até o bairro Jardim Atlântico. Isso deve dar uns 45km aqui de casa. Prepara o espírito, Dona Mariquinha!
Levantei antes do sol subir o morro. O dia promete mais um calorão. Providências com bichinhos antes de sair de casa, um ovo esticado no fundo da frigideira(proteína pra fome atrasar), café preto, que eu sei o que me espera. Uma blusa fresquinha, batom, perfume e escova no cabelo. Tá de bom tamanho para o destino.

Acho que dá tempo de tirar mais uma foto. Afinal não é todo dia que levanto a essa hora.
Calorão? O dia promete ser uma chapa quente!

Toda essa economia de sono - não esqueça que estamos no horário de verão!- para chegar um pouco antes do horário marcado na oficina.

Surpreendentemente, apesar de ser o último dia do mês e segunda-feira, o trânsito flui lento, mas constante. Maravilha  isso de turista estar de ressaca! Meu pensamento saltita de feliz: Chego antes da hora, entrego a carreta, uso o leva-e-traz até o centro, ônibus executivo até em casa. Muito a tempo de preparar almoço. IUPIIII!!!!

Pois sim!

Por essas eficiências da Wolkswagen, estou esperando a finalização de um processo para uso de garantia desde Outubro/2010. Em consideração a essa demora(a senhora desculpe, por favor! Tivemos uma época atribulada...) marcaram hora pra mim. Telefonaram para confirmar. Não é um luxo?

Então, Dona Mariquinha, que acordou uma hora antes de bater as fotos e chegou uma hora adiantada, ouve da recepcionista:

-Infelizmente, não podemos receber o carro antes do horário marcado.

Depois, quando um cara entra numa loja e mete um taco de golfe numa vitrine...

28 de jan de 2011

Em se plantando tudo dá

Essa foi a fala do cara que aqui chegou e anunciou que nesta terra tudo poderia ser explorado, assassinado, roubado e...plantado. Sim, mas para colher há que se plantar.

Assim, espremi sementes de uns tomates-cereja(os mais graúdos) trazidos da feira. Coloquei as sementinhas para secar e, sem muita fé, esperei que germinassem debaixo de 5 centímetros de terra. Transplantei as melhores mudas(quem disse que  beleza não importa?) e me surpreendi com a rapidez das florezinhas amarelas, que pareciam tão delicadas frente a esses ventos que sopram de todos os lados.

Dessa penca colhi nove
É pegar cor e vão para a fruteira(antes que algum bichinho se aventure a furá-los) até que apeteçam a mim, ao cachoro e à gata, a qualquer hora. Todos lambemos os beiços.

Já vamos para a segunda semeadura. Se esse sol voltar a brilhar, em breve faço concorrência com a feira que me vendeu os primeiros.

Experimente plantar. Um vaso pequeno também serve, que as raízes são poucas.Umas sementes, sol meio período e água sem encharcar.  

26 de jan de 2011

Para enfeitar o dia

Semana passada alegrei meus olhos e nariz com esses lírios, que divido com vocês, agradecendo o carinho que recebi hoje e durante o ano 56.


O LAÇO E O ABRAÇO


   Mário Quintana
   Meu Deus! Como é engraçado!
 Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço... uma  fita    dando voltas.
Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o
laço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de
braço. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,
em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando...
devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.
Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então, é assim o amor, a amizade.
Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.
Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,
deixando livres as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço
afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum
pedaço.
Então o amor e a amizade são isso...
Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!


A poesia me foi enviada por WHD, bem a tempo.

24 de jan de 2011

Era uma vez um paraíso

Esse cara não desiste nem quando chove. Só com temporal ele dá uma folga para nossos ouvidos. Das 7:40 até 19:00 horas. À direita desse buraco tem outro igual, que ele fez no capricho, em 20 dias de ronca e bufa.

Depois virão os construtores, mais tarde os moradores. E esses vizinhos(de dois prédios) terão piscina. Tem noção?

Não demora vou me mudar pra Rancho Queimado. Se o mundo não acabar em 2012.

20 de jan de 2011

Há quanto tempo não se conta uma piadinha por aqui!

Uma mulher foi presa por roubar no supermercado.
Quando estava no tribunal, o juiz perguntou-lhe:
 - O que é que a senhora roubou?
Ela respondeu:
- 1 lata pequena de pêssegos.
 O juiz perguntou-lhe o motivo do roubo e ela respondeu:
 - Porque estava com fome.
 O juiz então perguntou à senhora quantos pêssegos tinha a lata:
- Tinha 6 pêssegos.
O juiz então disse:
- Vou mandar prendê-la por 6 dias, 1 dia por pêssego.
 Mas antes que o juiz pudesse terminar a sentença, o marido dela perguntou se poderia ter uma palavra com o juiz sobre o  acontecido. O Juiz disse que sim e perguntou o que queria ele dizer.
Então o marido disse:
- Ela também roubou uma lata grande de ervilhas!!!

Valeu, Pacheco.
Imagem sem identificação do autor

Quando toca o interfone

- Pois não!
- Aqui é Glória, de Porto Alegre, e vim entregar uma encomenda.
- ????? Encomenda????
- É Glória, de Porto Alegre e vim entregar uma...
- Ai, meu deus(nessa hora esqueci que não creio)! Não acredito!  Suba já!
-Não, não vamos demorar.

Depois de mais meia dúzia de palavras, enfim o abraço da blogueira que tem emocionado e encantado com sua arte, bichos e textos.

Lá vai a tonta sem câmera. Um abraço de verdade numa amiga que agora tem imagem. Poucas palavras e pouca demora. O roteiro justifica(espia as fotos no blog dela).

Deixa um presente e me deixa emocionada, mas meio sem graça. Por falta de telefone e computador, nem desconfiava da vinda  e assim abracei de coração cheio, mas de mãos vazias. Desculpe, vizinha!
Reparem nos detalhes do presente.

Nunca mais meus grampos de roupa ficarão envergonhados dentro de um pote de sorvete. Mas dá até pena de guardar essa caixa num armário.

Beijo, vizinha e volte logo!

Visitem o blog e façam suas encomendas. Uma peça mais linda que a outra.

19 de jan de 2011

Repeteco

Então, gostou da viagem?

Repeteco por conta de uma certa correria inesperada atrás de providências exigidas por...enfim, falta de tempo.

Beijos a todos.

18 de jan de 2011

Se você não acredita

Se você não acredita em inferno astral, entre em minhas sandálias:

Primeiro uma tromba d'água entupiu um ralo que fica debaixo de um deque. Lá se foi a Dona Mariquinha a cutucar com vara de metal pra que a água não invadisse a cozinha. Faça ideia da cena: chuva de verdade.  A pessoa de joelhos com uma lanterna para espiar entre as tábuas e uma vara a raspar o invisível, tentando sentir a diferença no piso.

Dias depois a escavadeira passa do terreno em frente para o terreno ao lado. Das 8 da matina até 19 horas. O computador fica com vista para o barulho, óbvio! Já estamos nisso há um mês.

Aí a vizinha resolve pendurar uns metros de tela de mosquiteiro, no cabo que leva sinal de satélite para meu apartamento. Na calada da noite. Pensando que sou cega, ou o quê? Ofereci parafusos para pendurar dentro de sua propriedade, rapariga se ofendeu e colocou um selo na minha testa: A senhora não é muito simpática! (Ai, que quase enfartei de preocupação!)

Terceiramente, comprei uma briga com um elemento da família. Do tipo que $ó $oma o que $ai de $ua "ca$inha" e e$quece o que já $aiu da minha.

Em seguida minha mãe resolve se pendurar numa cadeira, a troco de mexer numa basculante do banheiro e desaba. Por enquanto hematomas. Mas a notícia chegou de tal modo alarmista, que já ia organizando as poucas emoções que me restam.

Na televisão aquele desastre que atinge inclusive amigos e eu sem contato nenhum. Nada.

O que vem e vai com a bicharada conta? Repeteco, repeteco e repeteco! 

No sábado, finalmente voltei a ter telefone, depois de uma semana de silêncio. Nem fixo, nem celular, nem nada. Chove em Buenos Aires -não vou nem falar dos gringos que gritam e batem portas até a madrugada, me nego- aqui apaga a luz e ficamos sem comunicação.

Computador ficaria de fora? Nada! Deu pra desligar sozinho. Lá vai a Dona Mariquinha até o centro pra levar e no dia seguinte pra buscar. E esse trânsito um coisa, pra não dizer uma m... A chuva me prende no acostamento. Os turistas ficam perdidinhos, perdidinhos.

Finalmente acontece algo de bom: toca o interfone e duas blogueiras se conhecem. Assim, rapidinho, com brasa nos calcanhares. No próximo post coloco a foto da obra de arte que veio junto. Oh, Glória! Você salvou minha semana.

Acordo na segunda-feira com água no cérebro. Sabe como é? Vira a cabeça no travesseiro e o mundo gira. Anda de elevador e parece estar andando de lado. Baixa a cabeça e vai até Marte. Quem não sabe o que é labirintite pode rir, mas a coisa tá ficando feia por aqui. Cinco passos e uma paradinha para alinhar os olhos. O que escrevo tenho que ler várias vezes para não inventar palavras.

Erro a pontaria e fico sem som no computador. Mas será o pé do cabrito?

Assim, com o perdão pela lista,  justifico minha ausência e deixo uma viagem para vocês. Usem as figurinhas da base para encontrar detalhes. Viagem muito, que eu não sei quando escreverei de novo. Visitas conforme os zoinhos permitirem.

11 de jan de 2011

Perguntinha que não quer calar

Um minuto de silêncio nos EUA. Só depois de tantos outros episódios da mais alta violência e ignorância. Atos de jovens que, invariavelmente, são classificados como doentes mentais(hã?) e que tiveram acesso fácil a armas.

Estarei sendo muito cínica ao perguntar se esse minuto de silêncio só ocorreu porque há uma representante política(que virará heroína, sobrevivendo ou não) entre as vítimas? 

Até tu, Obama?

O país deveria fazer silêncio pelo resto de seus dias, em memória de tantos inocentes vítimas de erros de pais e sistemas permissivos.

Silêncio de tanta vergonha pelos pais que geram filhos e não só fazem questão de enviá-los para guerras idiotas, mas ficam orgulhosos se eles morrerem nelas.

Que vergonha!

5 de jan de 2011

Visita para uma conversinha

Todos os dias eles aparecem para uma visão geral da área de caça.  

Ontem um deles aceitou meu convite e deu o recado pra gatinha. 

3 de jan de 2011

Escolha múltipla

Você vai por aqui?

Ou prefere ir por por aqui? Aumente o ritmo no controle e a velocidade dos movimentos aumenta junto. Para ter graça é preciso ver até o final.

1 de jan de 2011

Ilha de Santa Catarina (Florianópolis)

Por favor, não entre.
Siga em frente até Capão da Canoa, Torres, Balneário Camboriú, Barra Velha, Itapoá, Santos, Copacabana...

Se você já faz parte da bagunça, aprenda a sair de casa para ir à praia quando os que foram pela manhã estão voltando.