TRANSLATOR( BLOG OR POST)

29 de dez de 2008

O dia em que quase joguei dois soldados no mar


Confere comigo se não é maldade.
Policial daqui entrou em greve. Eu só soube por ouvir na TV. Minas Gerais mandou um contingente para dar uma mãozinha na temporada e pegar uma corzinha.

Mas não precisava abusar dessa rapaziada, que é isso?

Hoje fez muito, mas muito calor mesmo. Sem vento. A praia com muita gente caminhando desde cedo. Lá pelas nove da madrugada vou eu, depois daquela rotina de plantas e bichos. Na metade do caminho uma miragem: dois policiais debaixo daquele solão. Caras de soldados rasos, não muito mais velhos do que 21 anos.
Agora a maldade: Traje completo enquanto todo mundo estava de vento a favor. Consegue imaginar? Coturno, calça comprida de algodão grosso, camisa de manga longa e embaixo daquilo tudo aparecia uma pontinha de camiseta branca. E eles sorriam os inocentes!

Gente, andar de tênis nessa areia fofa é um desafio. Imagine de coturno e suando em bicas. Maldade desse comandante, só pode. Será quem em Minas ninguém ouviu falar de uniforme de verão? Bermuda, chinelo de dedo, camisa curta? Oh, sim. Minas não tem mar, mas tem calor, certo?

Bem, pelo menos usavam um boné bico de pato os dois pobrezinhos.

Eu deveria mesmo tê-los jogado na água, os bonitinhos!

28 de dez de 2008

Avisa aí que nóis nun qué

Ângela, uma amiga virtual e de vários papos e comentários chega à minha casa e traz pendurado na corda, bem amarradinho, seu namorado. Uma grande alegria. Coisa boa abraçar e tornar real uma amizade nascida assim quase sem intenção.

Conversa pequena que os dois"coxas brancas" estão doidos por areia. Eles vão primeiro. Sol no capricho, mas muito cedo para uma jovem senhora aposentada.

Dizer que tinha sol era pouco. Ontem foi um dia de encomenda. Mar azul feito um time que eu conheço, praia com gente na medida, e nada de criançada jogando areia, chorando por coisa nenhuma.

O jovem casal desanima do frescobol assim que eu desço a duna."Difícil acertar essa bolinha!", diz ele. Mais fácil sentar na sombra pouca do guarda-sol, que eu chamo de sombrinha e há quem chame de barraca. Barraca!

Bom papo e poucos banhos, que a água ainda não esquentou e vamos levantar os panos, que o casal quer conhecer o restaurante dos bilhetinhos pendurados na parede.

E para provar que ainda faltam vários dias para encerrar essa fase pré-aniversário, a surpresa do dia foi voltar pra casa e descobrir que limparam o carro deles: rádio, telefones, óculos, pasta de trabalho, documentos.

Imagine que final de visita. Imagine minha cara de sem-graça. De fúria. Invadir o carro assim à luz do dia, em frente a um prédio onde não param de entrar e sair pessoas.

Está pensando em dar uma voltinha em Floripa? Se for do bem venha, tranque tudo a sete chaves e faça de conta que nossa vidinha tranqüila já era. Porque já era mesmo! Não vá pensando que porque fica longe do centro, que só porque tem pouco morador a bandidagem não se dê ao capricho de se aproveitar da tranqüilidade.

Tô avisando: tem gente demais no paraíso. Vai-te embora, coisa ruim!

27 de dez de 2008

Inferno astral, que nada!


De Julho para cá foram várias oportunidades de testar minha resistência e paciência e, mais que tudo, minhas emoções:

Julho- casamento do filho
Agosto- internação de emergência
Agosto- morre meu gato Pipoca
Setembro- ventania destrói meu jardinzinho
Novembro-metade do estado sofre desastres por conta de chuvas torrenciais
Novembro-infiltrações do temporal encharcam meu apartamento
Dezembro- um dente quebrado, forno micro-ondas queimado(duas vezes), abajour incendeia em plena madrugada...

Só faltam 30 dias. Calma, Clarice!

A rosa foi uma das três me alegraram em Dezembro e que consegui salvar dos dentinhos dos gatos, depois do temporal. Levantar, ir até o terraço, enfiar o nariz na rosa e começar o dia com o perfume mais doce que existe.

Diga aí: a vida não é mesmo boa?

Não consigo enviar o perfume, mas a rosa é para vocês(cliquem sobre ela para aumentar).

18 de dez de 2008

Só para honestos e descarados

Se você não tem medo de assuntos polêmicos; se prefere palavras inteiras às meias-palavras; se adora encarar um touro de frente, ou se derreter com histórias de amor inventadas, precisa ler vários dos textos que aparecem da mente diabólica e malandra por encomenda dessa dupla de ex e convidados.

Presta atenção aí, espertalhão: com menos de 18 não entra. (Ai, essa ficou terrível de evidente!) O site não é recomendado para menores de idade. (Agora ficou bem rebocado.) Sério, eles são pra lá de inteligentes, engraçados, polêmicos, adoram provocar, mas têm uma mente sem censura e vão fazer aparecer seu melhor e pior lado. Enfim. Só lendo pra saber.

Ah, e quem comenta dá um tempero especial. Cada figuraça! Vai lá, vai!

Exagerei, Sally?

Antes de terminar o ano

Experimente clicar nas figurinhas deste relógio. Um jeito interessante e divertido de ver o final de um ano e o começo de outro.

Em tempo: Não tenho nada a ver com a empresa. Recebi, gostei e passo a brincadeira adiante.

17 de dez de 2008

Achou!

Procurando por isto?

Já está em um milhão de blogs. Só faltava aparecer aqui.

16 de dez de 2008

Adorei isto!


AVISOS PARA QUEM VISITAR MINHA CASA


1. Seja bem-vindo.

2. Lembre-se de que os cachorros vivem aqui. Você não.

3. Se você não quer pelos de cachorros em suas roupas, fique longe dos móveis.

4. Sim, os cachorros/gatos têm hábitos desagradáveis. Eu também, assim como você. E daí?!

5. CLARO que eles cheiram a cachorros. Já percebeu como nós, humanos, cheiramos ao final de um dia de trabalho? Coloque-se no lugar de alguém que tem um olfato 2.000 vezes mais sensível que o seu e que mesmo assim sempre o receberá com explosões de carinho no retorno ao lar. 6. É da natureza deles tentar cheirar você. Por favor, sinta-se à vontade para cheirá-los também.

7. Se existisse algum risco dos cachorros mordê-lo, eu não os deixaria se aproximar de você. Porém, não posso impedi-los de responder a agressões, as quais podem ocorrer até em pensamento, seja para com eles, seja para comigo a quem devotam fidelidade. Os cachorros percebem, tenha certeza.

8. Você já tentou beijar alguém e recebeu em troca um empurrão? Se um cachorro tentar lambê-lo é porque aprova sua presença e quer demonstrar isso carinhosamente a você; e lembre-se que cachorros não mentem ou fingem.

9. Aqui cachorros recebem devidos cuidados veterinários, alimentação sadia e cuidados higiênicos. São mais vacinados e desverminados do que a maioria dos humanos. Sua companhia é altamente recomendada pelos médicos, como fonte inesgotável de carinho, estímulo e anti-stress. Lembre-se que a maioria das doenças que contraímos ao longo da vida com certeza nos são transmitidas por outros humanos.

10. Há diversas situações nas quais cachorros são preferíveis a pessoas. Afinal de contas, sempre podemos confiar inteiramente em sua fidelidade e sinceridade. Como disse o Cat Stevens: "I love my dog as much as I love you, but your love may fail, his love will always come true"*.
11. Para alguns eles são simples cachorros. Para mim são seres que andam de 4 e não falam tão claramente mas se expressam muito bem. Eu não tenho problema em nenhum desses pontos. E você?

12. Volte sempre que quiser, pois será bem-vindo. Até pelos cachorros. Eles são mais sensíveis que nós, bastando se aproximar para distinguir com clareza verdadeiros amigos de pessoas falsas.


AVISOS PARA QUEM ANDAR NO MEU CARRO


1. Seja bem-vindo.

2. Lembre-se de que os cachorros usam este carro aqui sempre. Você não.

3. Se você não gosta de pelos e odor de cachorros, não aceite minha carona.

4. Os cachorros me cuidam e me amam. Eles são passageiros constantes e importantes. Assim como eles, sinta-se livre para latir ou rosnar para os estranhos que se aproximam.


Luciana De D. Pinheiro


(*) Mais ou menos isso: Amo você como amo meu cão. Mas você pode deixar de amar. Ele não.

15 de dez de 2008

Um exagero!

Não bastava que fossem bonitos. Eles ainda cantam!

http://www.youtube.com/watch?v=IOBzcHKOAxs

Bom para quem está cansado de vozes anasaladas e gritinhos sem sentido.

Enviado por WHD

13 de dez de 2008

Aquelas coisinhas velhas

Quando sobrar um tempinho, dê uma espiada nos seus armários e veja se consegue encontrar aquelas panelas e pratos, talheres e utensílios de cozinha que você não usa há tanto tempo que nem lembrava mais. Aquela faca de ponta partida, a colher de cabo torto...

Eu sei que muito já foi dado e muito seremos sempre agradecidos por tanta generosidade. Sou apenas mais uma voz transmitindo os apelos. Os sem casa e também os que retornaram as suas casas e perderam tudo, estão precisando de apetrechos de cozinha, algum eletrodoméstico usado que está largado num canto, funcionando, mas velhinho.

Eles não ligam a idade, não. É de alguma coisa assim pra peprarar uma comidinha de criança, um ventilador velho, mas que ajude a diminuir o calor de algum idoso, de alguém já cansado de limpar o barro de dentro de casa.

É de tanta coisa que eles precisam que eu nem sei como fazer o pedido, mas eu sei que quando você trocar seus velhos apetrechos de cozinha vai lembrar dessa água toda e do tanto que doeu ver tudo seguir o caminho do rio e do mar. Voltar pra casa e só ter paredes.

Aquelas cadeiras sem par, alguma mesinha lascada, um sofá abandonado. Uma cama que você vai dispensar. Qualquer móvel, qualquer um. É só deixar nos postos de entrega da Defesa Civil, que eles mandam pra essas pessoas, que pelo menos poderão ter onde sentar, onde dormir e uma colher, um garfo para comer.

Para eles isso vai ser um presentão de Natal

Mil, mil e mais mil vezes obrigada!

10 de dez de 2008

9 de dez de 2008

Danou-se!

Pronto! Não tem mais jeito! Agora é que não vai sobrar um trocadinho no final do mês.

Como resistir a
isto?

Eu quero tudo o que vou clicando. Claro que vou ter que me mudar para um galpão, mas não é aquilo que a gente sonha desde que começou a olhar para o fogão?

Nossa Senhora das panelas e apetrechos que me proteja!

8 de dez de 2008

Os 12 Mandamentos dos Médicos do SUS




Os mandamentos se estenderam também para os médicos que nos atendem pelos convênios, em hospitais particulares. A diferença é só o preço que pagamos pelos convênios, e o SUS, que também não é barato. Além da fila, que nos dois casos também não anda.


01- Se você não sabe o que tem, dê VOLTAREN.
02- Se você não entende o que viu, dê BENZETACIL.
03- Apertou a barriga e fez 'ahnnnnnnnn', dê BUSCOPAN.
04- Caiu e passou mal, dê GARDENAL.
05- Está com dor bem grandona, dê DIPIRONA.
06- Se você não sabe o que é bom, dê DECADRON.
07- Vomitou tudo que ingeriu, dê PLASIL.
08- Se a pressão subiu, dê CAPTOPRIL.
09- Se a pressão deu mais uma grande subida, dê FUROSEMIDA.
10- Chegou morrendo de choro, ponha no SORO.
11- Arritmia doidona, dê AMIDARONA.
12- Pelo não pelo sim, dê ROCEFIN.
13- Se nada deu certo, não tenha neurose, diga que é uma nova VIROSE.
Autor desconhecido, por enquanto.

A foto veio desta notícia. Recomendo a leitura.

7 de dez de 2008

Gaste seu dindim aqui!

Na sexta-feira ficamos sem telefones, inclusive celulares, aqui no sul do paraíso. Hoje sem energia elétrica a manhã toda. Agora tentei fazer um texto para acompanhar esse cartaz e evaporou nos meandros da conexão. O céu avaiano* que tivemos hoje compensou.

Era sobre uma reportagem que vi no Globo Rural. De partir o coração ver a impotência recém-descoberta nos olhos dos agricultores, que mal conseguiam esconder as lágrimas com as mãos cheias de marcas do duro trabalho que tiveram.

Os olhos deles têm uma dor difícil de disfarçar. É um olhar de quem espera acordar desse sonho mau. Como consolar quem perdeu parentes, quem foi obrigado a abandonar sua casa e lavoura, animais de criação e de estimação para morrerem de fome ou afogados? O que dizer à mulher que conta como teve que enxotar os três cachorrinhos para longe do helicóptero e partir sem olhar para trás?

Que venham os turistas e investimentos! Eu prometo que neste ano vou tentar não reclamar da invasão, da barulheira que eles trazem para o prédio, do caos no trânsito...Vou tentar.

Jandir, obrigada pela dica e que comprem muito do vinho de tua adega, logo ali, no bairro Santa Mônica!

*Depois de 4 meses, pés na areia. Oh, glória!


5 de dez de 2008

Pau de virar tripa ou rolha de poço?

Você está quase desmaiando de passar fome e não emagrece de jeito nenhum? Malha e malha e não vê diferença?

Acesse esse site e confira se não se enquadra em alguma situação descrita: Cinco razões


Se não der certo assim, copie e cole: http://www.bancodesaude.com.br/obesidade/5-causas-surpreendentes-voce-estar-ganhando-peso



**** Conversa quebra osso*******

Na sessão de quiropraxia, um dia desses:

Ela: Você tem caminhado, andado de bicicleta? E academia?

Eu:Xi! Detesto academia de paixão!

Ela: Mas por que isso?

Eu: Como é que pode fazer bem alguém ficar gastando energia daquele jeito, colocando em risco o coração, aumentando o nível de radicais livres? Já viu a cara daquela turma que é viciada em exercício? Parecem umas ameixas secas!

Ela: É mesmo...

Eu: E além do mais, você sabe que volta e meia vem alguém e derruba um monte de conceitos. Hoje faz bem, amanhã mata! Hoje é pra fazer, amanhã é proibido!

Ela: ?!?!

Eu: Eu prefiro ficar na dúvida!

(Gargalhada em dupla. Fecha o pano.)

O desenho veio daqui: deste site aprovado

4 de dez de 2008

Pedido Urgente da Defesa Civil Santa Catarina

Peço que passem aos seus contatos, divulguem nos seus espaços pessoais, comunidades e afins:

A Defesa Civil de Santa Catarina pede que sejam interrompidas as remessas de roupas e comida, por enquanto, porque não há mais onde armazenar nos galpões. Assim que houver espaço, emitirá novo aviso.

Todavia, apela para que seja feita doação de colchões, artigo em falta para muita gente, que está dormindo sobre papelão, quando encontra. De qualquer tamanho e de qualquer tipo, desde colchonete até para criança, solteiro e casal.

Encaminhe através dos mesmos locais onde estão recolhendo outras doações.

Obrigada. Mil vezes obrigada!

3 de dez de 2008

A garrafa que vira lâmpada solar

Pesquisando para comprar uma luminária de segurança, encontrei um blog que divulga idéias geniais.

Clique aqui onde se ensina, entre muitas outras coisa muito interessantes, como aproveitar garrafas pet para transformá-las em lâmpadas solares.

Genial! Criatividade do brasileiro para o bem.

Assista, copie, divulgue.

Uma questão de autoria

O que segue por si só se explica. Fico feliz em divulgar aqui o texto enviado desta vez pelo autor, ad litera. A única alteração foi o link para a prefeitura e um acento que não constava do texto "Fênix"original.

"Boa tarde, Clarice, prazer !

Vi no outro blog da Patrícia, que vc pedia autorização à ela para colocar a crônica em seu blog. Como autor da mesma, envio ela por arquivo e fique a vontade para divulgá-la também.

Meu nome é Márcio Volkmann, sou de Blumenau mesmo, e sou também autor da letra do Hino Oficial da cidade, hino este que está inclusive citado em um trecho da crônica também.

O hino vc pode conferir também no próprio site da prefeitura, no site da prefeitura

(símbolos da cidade), conferindo assim as informações que lhe passei acima.

A internet tem um poder absurdo de divulgação, mas tem esse "problema", onde muitos repassam emails retirando a parte dos créditos da matéria. Grande abraço.

Márcio Volkmann"


Fênix

A natureza é impiedosa. Blumenau foi e é manchete nos noticiários não como estávamos acostumados. Aconteceu...

Soterrados foram muitos corações. Inundados muitos sonhos. Lembro de Carlos Drummond de Andrade, em seus versos:

“ E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José ? “

E agora? E agora Blumenau?

E agora? Agora Blumenau voltará a ser a cidade que impressionou todo o mundo nos primórdios dos anos oitenta. Tal qual fênix, ela ressurgiu. E agora não será diferente.

Foram-se vidas, foram-se paredes, muros, morros, mas ficou algo que não escoa nos bueiros. A essência. A essência do nosso povo. O povo que se doa, calça suas botas, troca carro por canoa e que estende o braço a quem precise. O povo que levanta as mangas e junto com a lama leva pra fora de casa um passado que quer esquecer.

O povo que inunda de esperanças toda uma região devastada, com doações de todos gêneros, que trazem alento a quem precisa. Logo, suas chaminés estarão de volta. O progresso, tal qual em nosso hino, mora aqui. E como nossa gente, não irá abandoná-la.

Breve, nossas bandinhas estarão de volta, em coretos limpos, sem a água como vizinha. E em breve, nossos irmãos de todo o Brasil, blumenauenses honorários de coração e que transformaram as estradas do nosso estado em um verdadeiro corredor de solidariedade, serão acolhidos aqui com a mesma alegria de sempre, em nossas casas enxaimel, em nossas ruas limpas, em nossas festas.

Pra frente Blumenau ! Seu povo é sua força motora, e juntos faremos uma Blumenau ainda melhor, pra quem quiser ver. Eu quero. E você ???

Márcio Volkmann (filho orgulhoso de Blumenau)"


*********

Por uma questão de justiça, é preciso dizer que a autora do blog, que eu citei neste post , divulgou o nome do autor, mas as mensagens divulgadas por e-mail retiraram a autoria.

Se o link do site da prefeitura não abrir, clique aqui: http://www.blumenau.sc.gov.br/novo/site/index/. Tem notícias e informações recentes e muito interessantes.

2 de dez de 2008

Beijo onde?


Mau Humor


Lula Vieira - Publicitário


Não me lembro direito, mas li numa revista, acho que na Carta Capital, um artigo levantando a hipótese de que todo o cara que tem mania de fazer aspas com os dedinhos quando faz uma ironia é um chato. Num outro artigo alguém escreveu que achava que jamais tinha conhecido um restaurante de boa comida com garçons vestidos de coletinho vermelho.

Joaquim Ferreira dos Santos, em 'O Globo' de domingo, fala do seu profundo preconceito com quem usa 'agregar valor'.Eu posso jurar que toda mulher que anda permanentemente com uma garrafinha de água e fica bebendo de segundo em segundo é uma chata. São preconceitos, eu sei.Mas cada vez mais a vida está confirmando estas conclusões.

Um outro amigo meu jura que um dos maiores indícios de babaquice é usar o paletó nos ombros, sem os braços nas mangas.Por incrível que pareça, não consegui desmentir. Pode ser coincidência, mas até agora todo cara que eu me lembro de ter visto usando o paletó colocado sobre os ombros é muito babaca.

Já que estamos nessa onda, me responda uma coisa: você conhece algum natureba radical que tenha conversa agradável?O sujeito ou sujeita que adora uma granola, só come coisas orgânicas, faz cara de nojo à simples menção da palavra 'carne', fica falando o tempo todo em vida saudável é seu ideal como companhia numa madrugada? Sei lá, não sei. Não consigo me lembrar de ninguém assim que tenha me despertado muita paixão.

Eu ando detestando certos vícios de linguagem, do tipo 'chegar junto', 'superar limites', 'focar', 'fazer uma colocação', essas bobagens que lembram papo de concorrente a big brother.

Mais uma vez, repito: acho puro preconceito, idiossincrasia, mas essa rotulagem imediata é uma mania que a gente vai adquirindo pela vida e que pode explicar algumas antipatias gratuitas.Tem gente que a gente não gosta logo de saída, sem saber direito por quê. Vai ver que transmite algum sintoma de chatice.

Tom de voz de operador de telemarketing lendo o script na tela do computador, repetindo a cada cinco palavras a expressão 'senhoooorrr' e dizendo que 'vou estar anotando' e 'vamos estar providenciando' me irrita profundamente.

Se algum dia eu matar alguém, existe imensa possibilidade de ser um flanelinha. Não posso ver um deles que o sangue sobe à cabeça. Deus que me perdoe, me livre e me guarde, mas tenho raiva menor do assaltante do que do cara que fica na frente do meu carro fazendo gestos desesperados tentando me ajudar em alguma manobra, como se tivesse comprado a rua e tivesse todo o direito de me cobrar pela vaga.

Sei que estou ficando velho e ranzinza, mas o que se há de fazer? Não suporto especialista em motivação de pessoal que obrigue as pessoas a pagarem o mico de ficar segurando na mão do vizinho, com os olhos fechados e tentando receber 'energia positiva'.

Aliás, tenho convicção de que empresa que paga bons salários e tem uma boa e honesta política de pessoal não precisa contratar palestras de motivação para seus empregados. Eles se motivam com a grana no fim do mês e com a satisfação de trabalhar numa boa empresa.

Que me perdoem todos os palestrantes que estão ficando ricos percorrendo o país, mas eu acho que esse negócio de trocar fluidos me lembra putaria.

E para terminar: existe qualquer esperança de encontrar vida inteligente numa criatura que se despede mandando 'um beijo no coração'?

Eu aplaudo de pé e acrescento que se alguém der um beijo no meu coração eu dou-lhe uma porrada, porque pra beijar meu coração eu deverei estar anestesiada, de peito aberto, seu aproveitador!

E o que dizer do beijo na alma, meu zeus? O que essa gente inventa!

Nota: Para meus leitores do outro lado, flanelinha é o rapaz que fica na rua com um pano na mão, pronto para limpar o vidro ou lavar o carro e, geralmente, se apropria, indevidamente, de vagas. Mesmo que as vagas sejam gratuitas, ai de quem não lhe der um trocado! Corre o risco de ter pneu esvaziado e lataria riscada.

Texto enviado por WHD. Desenho via Google

1 de dez de 2008

Fotografias da Inundação em Santa Catarina

Reuni quase todas as fotos que recebi, selecionei e deixei o registro no meu espaço:

http://www.flickr.com/photos/clariceflop/

As fotografias não mostram a dor, as perdas, a calamidade com todas as cores. Não recebi com o crédito, mas isto não invalida a intenção de mostrar algumas das razões para ajudar.

Obrigada de novo e de novo!

CHAME AS CRIANÇAS


Clique no link e quando o site abrir abra a mala e clique no rolo de filme:

http://www.circoripopolo.be/photobook.php?frm=61

Importante: não aumente a tela!

Recebi do outro lado do Atlântico, de Cláudio, refiz o caminho e achei a fonte. O link enviado por e-mail tem erros na página.Demora um tempão para abrir. Se quiser mandar para alguém, copie a URL acima e cole na mensagem.
Foto: Google