TRANSLATOR( BLOG OR POST)

29 de abr de 2008

Cataploft!


Rede foi feita pra descansar, ler um livro, deixar a brisa atravessar os fios da barra, ninar um cachorrinho, um gato, ajeitar uma preguiça. Certo? Errado!!!!

A distraída aqui conseguiu a proeza de desabar com uma delas embaixo. A alça caiu exatamente desse gancho que você está quase vendo. Tudo porque no mesmo gancho se pendura a vara de metal que enrola o toldo. A dita vara foi retirada para seu mister e eu não vi que a rede havia ficado por alguns fios. Coisa que eu sempre confiro, mas desta vez...o que prova que acidentes não existem. Existe é falta de cuidado mesmo.

E assim, desde sábado, estou mais do que enquadrada na fase do condor. Não há o que não doa da cintura para baixo e não há o que não doa da cintura para cima.

Porque quando eu faço, faço bem feito, sem dúvida. Consegui atingir, no tombo, as duas pontas daqueles ossos que se sente no meio das "nádegas da bunda"(ilíaco?), pois a rede escorregou da alça quando eu já estava com os dois pés sobre ela, quase deitada.
Assim, consegui, numa queda de um metro, deslocar as vértebras que ficam logo onde começa a divisão do cofrinho(ou busanfa) até o cócxis, e comprovar que não estou ainda vítima de osteoporose, ou teria fraturado qualquer coisa dessa região. E nem precisa dizer que toda a extensão do nervo ciático acordou e nunca mais dormiu, prensado que ficou nas tortas curvas das vértebras!
Resta dizer que, após vários analgésicos, noites mal dormidas e massagem relaxante, finalmente, finalmente!!!!a mágica das manobras(quiropraxia) voltou do congresso em Buenos Aires e colocou, não sem muitos gemidos e reclamações cheias de razão, tudo no lugar.
Agora é gelo várias vezes por dia(nas articulações nada de calor, viu?), descanso e paciência. E necas de rede. Pelo menos enquanto sopra esse vento sul cheio de água.

E porque ficar sentada por muito tempo é compreensivelmente complicado, resta visitar alguns blogs por dia, ler algumas mensagens e torcer para que elas sejam pelo menos interessantes. Com as minhas desculpas pela ausência.
Oh! a busanfa da imagem não é minha. É daqui.

28 de abr de 2008

Daqui, ó!

Aspirina

É da casca do salgueiro que vem o princípio ativo da aspirina. A salicina e o salicilato, extraídos dessa árvore, eram usados contra a cefaléia na Mesopotâmia, 3 mil anos a.C. No entanto, a aspirina foi patenteada pela indústria alemã Bayer em 10 de outubro de 1897. O químico Felix Hoffmann, com a ajuda do professor Heinrich Dreser, sintetizou o ácido acetilsalicílico para aliviar as dores reumáticas do seu pai. O nome do remédio mais popular do século foi formado assim: "a" vem de acetil; "spir" é a raiz do ácido epírico (substância quimicamente idêntica ao ácido acetilsalicílico); e o "ina" é um sufixo que se adicionava ao nome de todos os medicamentos no final do século XIX.



Alka-Seltzer

No inverno de 1928, Hub Beardsley, presidente dos Laboratórios Dr. Miles, visitou uma redação de um jornal e viu que nenhum funcionário havia faltado por causa da gripe que estava contagiando todos. Explicaram-lhe que eles tomavam uma combinação de aspirina e soda cáustica. Beardsley pediu aos seus químicos para testarem a fórmula. O químico Maurice Treneer foi mais longe e criou o Alka-Seltzer 3 anos depois.


Creme Nívea

Foi criado em dezembro de 1911 pela farmácia de manipulação do doutor Oskar Troplowitz, que descobriu como unir água e óleo para hidratar a pele. O Eucerit, retirado da lanolina e combinado com óleos, água, compostos de glicerina, ácido cítrico e essências de rosas e lírios, formava o creme. "Branco como a neve", foi batizado de Nívea e era comercializado numa latinha amarela. A embalagem ganhou a cor azul com letras brancas em 1925. Depois da Segunda Guerra Mundial, a marca Nívea foi expropriada. A partir de 1952, a empresa Beiersdorf iniciou uma longa jornada pelos países para readquirir os direitos sobre a marca.

Cotonetes


A idéia de uma haste com a ponta de algodão foi lançada nos Estados Unidos pela Johnson & Johnson em 1921. No começo, o Wooden Applicator, uma haste de madeira com algodão em apenas uma das pontas, tinha o seu uso restrito a hospitais, na aplicação de remédios. Em 1947, o sucesso do produto fez a Johnson & Johnson lançar o Johnson's Cotton Tipped Applicator, disponível para venda direta ao consumidor e indicado para o público infantil. Em 1963, as hastes foram mudadas de madeira para plástico.

Créditos das imagens

Aspirina: http://atuleirus.weblog.com.pt/
Alka Seltzer: http://www.bbc.co.uk/
Cotonete: http://bien-estar.com/
Nívea: http://www.aviation-health.com/

Informações recebidas por e-mail(Filó). Um dia desses tem mais!

22 de abr de 2008

Obrigada, Campeão!


Eu estou muito cansada de heróis que voam, que desaparecem, que fazem mágica, que soltam fogo pelas mãos, que se curam de tudo, que viram vidro, que viram pedra, que matam todo mundo, que sabem tudo de tudo.

Eu quero ver seres humanos. Como você.

Valeu, Guga! E continuará valendo.

A foto veio do Estadão

Este é o site oficial dele

21 de abr de 2008

Se você diz...


que um amor como esse não é coisa de cinema...eu acredito.

Vou até a cidade comprar uma bicicleta e já volto!

A bici romântica veio deste site.
Acho que Berta Helena caiu do céu já escrevendo bonito assim por ser bonita por dentro.
Tá bem. Não vou contar que a historinha é de verdade. Fica só entre eu, você e uns vinte invejosos.

19 de abr de 2008

Você precisa ver isto!


O tipo de filme do qual você detestaria perder uma cena.

Se quiser espiar antes de alugar ou comprar o filme,
entre aqui(http://www.terra.com.br/cinema/drama/nenhum.htm). Porém, se eu fosse você, simplemente apreciaria a surpresa. Sentaria e só sairia da sala para disfarçar a emoção.

Não é o tipo de filme para assistir com barulho, gritaria e muito menos enquanto faz outra coisa. Crianças podem(e deveriam) ver junto, com certeza!

16 de abr de 2008

SEGUUUUUUUUURAAAAA, PEÃO!

Oração para o anjo da guarda dos gatos e cachorrinhos

Anjinho, não sei se tenho algum crédito por essas tuas bandas, mas se tiver algum, por favor, permita que eu use para pedir um tempinho para respirar sem susto e dormir sem medo de encontrar surpresas a cada dia.

Se for possível, quando o cachorinho estiver com diarréia, porque a veterinária esqueceu de dar reforço do vermífugo contra giárdia, conduza-o sempre para o mesmo lugar para deixar suas sujeirinhas e não pela casa toda.

Quando ele fizer xixi, que não seja na minha cama, nem no tapete, nem na caminha dele, nem no cobertor dos gatos, porque os tempos são de chuva, valha-me Zuzuis!

Deixe-me ainda pedir que aos gatos seja permitido algum probleminha, que são todos senhores e senhoras com mais de 5 anos, um com mais de 10, mas Anjinho, por favor, puuuurrrr favorrrr, que um fique doente de cada vez. Se mais de um tiver problemas , que eu perceba no mesmo dia , ou vou fazer 5 viagens por semana até o veterinário. Às vezes duas por dia!

Enquanto Orfeu(aqui ao lado) estiver internado (três vezes em menos de 20 dias, com consultas de emergência, sempre em feriados e domingos, que são mais caras!) com constipação intestinal, que a veterinária não venha me recomendar paciência, pois foi ela que trocou a ração e entupiu o meu gato voador. Ilumina essa mulher para que perceba que fui eu que pesquisei e achei a solução(por enquanto) para esse problema. Escolhi a ração e dei o nome do remédio. É bem verdade que ela decidiu a dose.

Agradeço, anjinho, por ter permitido que Sun, o
cachorrinho, tivesse otite cada semana em um ouvido e não nos dois a mesmo tempo, tadinho!. Todavia, se tivesse os dois ao mesmo tempo ficaria internado menos dias. É impossível dar medicação oral a esse furacãozinho sem a ajuda de alguém durante duas semanas. Imagine colocar remédio no ouvido!

Foi muito bom que Penélope, a gatinha princesinha, tivesse fungos só no ouvido esquerdo, viu? Assim eu pude dar ração(três tipos diferentes) a cada duas horas para os gatos. Também pude dar caldo de carne com seringa para o Orfeu, que quase não toma água, dar pastinha de malte para os 4 gatinhos, ração com probiótico para o cachorrinho, limpar o chão a cada vinte minutos( depois que Sun ficou internado, esqueceu que lugar de faxer xixi e cocô é no jornal). (Olha o Pipoca ensaiando um mergulho!)

E quando o gato com problemas renais se negar a comer, que seja fácil tirar sangue para exame e que ele não volte a brigar com todos os outros amigos, por puro stress.

E agora, enquanto Orfeu faz seu cocozinho todos os dias, Bambina(ali ao lado-puro charme!) só come se eu colocar a comida no chão, Pipoca( o do rins, lembra? que só pode comer a sua ração e coisa e tal?) faz charme para comer e quando eu menos espero, ataca a ração do cachorrinho, Sun tem brotoeja, Penélope(logo ali embaixo, se bronzeando com a moça) está internada(repare, depois de três visitas, uma no domingo, claro! para aplicar injeções para interromper a cagança).

Resolveram que seria melhor internar para tratar de infecção intestinal(que pegou sabe lá como, pois só come ração- a não ser que aquela perninha de barata, ai que nojo! seja o que sobrou de uma caçada). Com essas coisas eu cada vez tenho mais certeza de que medicina e astrologia são muito, mas muito parecidas. Pois não dava para desconfiar de infecção na primeira consulta?

Se não conseguir atender isso tudo sozinho, não se acanhe, peça ajuda para aquele tal São Chiquinho! Ou acabo eu pedindo ajuda ao santo protetor dos doidos!

Enquanto você resolve isso, eu vou limpar os olhos de Sun com soro, clarear seus bigodes com Cristal Eye, escovar seu pelo uma vez ao dia com desembaraçador. Também acho um jeito de escovar os gatos e fazer caber no meu colo pelo menos dois, enquanto tento ler e desisto.

E meu amigo me pergunta o que tenho planejado para os próximos 30 anos! Bruno, pelamor!

Aquele anjo? Ninguém é de ferro, né? Veio daqui. Visite e comente.

12 de abr de 2008

Simples assim

Não basta apenas matar os mosquitos. É preciso evitar que os ovos eclodam.

O texto me chegou por e-mail. Editei, corrigi e atualizei.Vi uma professora da Fiocruz ensinando a fazer a armadilha na televisão, e achei interessante mostrar aqui.

Vale para qualquer mosquito.

A “mosquitoeira” foi inventada por um professor da UFRJ (MAULORI CABRAL) em parceria com biólogos da Fiocruz. Foi testada por eles e realmente funciona

É muito simples sua construção.

Ferramentas necessárias
- Tesoura
- Garrafa PET
- Lixa para madeira
- Fita isolante
- Tecido microtule (usado em véu de noiva)
- Grãos de alpiste, arroz ou ração para gato triturados.

Pegue uma garrafa PET de 1,5 litros ou mais.

Corte a parte superior para fazer uma espécie de funil.
Corte cerca de 10 cm da Pet, parte da base da garrafa.

Lixe a parte interna do pedaço similar a um funil, (pode ser utilizada uma lixa para madeira granulação 60, 100 0u 120. O objetivo é deixar a superfície interna bem áspera em toda a sua extensão.
Utilizando o “anel de segurança” da tampa da própria garrafa, faça um fechamento com um pedacinho de tela dobrado, (microtule: tela mosquiteira com buraco de tamanho suficiente para que o mosquito não passe) . Coloque cinco grãos de arroz, ou de alpiste amassados, ou ainda ração para gatos dento da parte inferior da garrafa Pet.
Sele as duas partes com fita isolante.
Está pronta a armadilha para a fêmea do mosquito transmissor da dengue.

Encha com água limpa até cerca de 3 cm da borda do funil. Complete a água à medida que a mesma for evaporando

Coloque a armadilha no quintal ou onde ficam os mosquitos. É necessário ser um local sombreado, a fêmeas do mosquito não gostam de sol.

A fêmea do mosquito, verifica onde está havendo evaporação da água para colocar os seus ovos.

Porque é necessário lixar o “funil”?
A superfície fica corrugada e com isso a água sobe por capilaridade, aumentando a taxa de evaporação atraindo mais facilmente a fêmea do mosquito “Aedes Aegypti”.

Porque é necessário colocar os grãos de arroz ou alpiste amassados?
A fêmea só põe ovos onde ela identifica que a água possui alimento para as larvas. Até os mosquitos têm instinto materno.

Os ovos descerão pelos buracos da tela e ficarão na parte inferior do recipiente. A tela serve de elemento de ligação entre as duas partes e não permite que as larvas passem para a parte superior do recipiente. A presença da barreira de tela é muito importante. Se ela estiver rasgada/destruída ao invés de um armadilha para o mosquito você estará fornecendo um criatório para o mesmo.

Periodicamente esvazie a parte inferior e mate as larvas com cloro. Verifique se está tudo bem com a tela e encha novamente a armadilha com água. Verifique a sua armadilha todos os dias.

O mosquito adulto vive de 30 a 35 dias. As fêmeas põem ovos de quatro a seis vezes, nesse período. Em cada vez ela põe cerca de 100 ovos, sempre em locais com água limpa e parada. Se não encontra recipientes apropriados para depositar seus ovos, a fêmea pode voar distâncias de até três quilômetros até localizar um ponto que considere ideal.

A temporada de chuva, complica as coisas: um ovo de aedes aegypti pode sobreviver até 450 dias – um ano e dois meses – mesmo que o local em que ele foi depositado fique seco. Se esse local receber água novamente (quando há uma chuvarada, por exemplo), o ovo volta a ficar ativo, podendo se transformar em larva e depois em pupa e atinge a fase adulta em até 3 dias.


A MATEMÁTICA DA MOSQUITOEIRA.

Construa dez armadilhas, espalhe 5 pelo seu quintal e dê as outras 5 aos vizinhos, amigos, parentes. Peça que cada um deles faça o mesmo.

Ou seja, se cada um fizer a sua parte em 3 rodadas apenas teremos 1.560 armadilhas, enganando as fêmeas do mosquito. Em até 35 dias a fêmea do mosquito estará morta e se não tiver colocado os ovos em local onde os ovos se transformem em mosquitos, teremos (1.560 x10 x 100 = 1.560.000) mosquitos a menos.

O nº é este mesmo: mais de 1,5 milhões de mosquitos, considerando que cada armadilha engane pelo menos 10 fêmeas e que estas fêmeas coloquem ovos apenas 4 vezes na sua vida adulta.

Número de mortes por dengue no Rio sobe para mais de cem.Número de mortes por dengue no Rio de Janeiro neste ano já supera o total de 2007.

Vamos dar a nossa contribuição para interromper esta situação. Divulgue.

OBS: Se desejar, acesse o link abaixo para ver o vídeo do professor MAULORI, que foi veiculado pelo Jornal Hoje (da Globo), em 15/03/2008.

http://rjtv.globo.com/Jornalismo/RJTV/0,,MUL347258-9101,00.html

9 de abr de 2008

1,2,3 e... já!


Eu juro que até criança faz este:


Bolo de milho verde no liquidificador



3 ovos grandes inteiros, ou 4, se forem pequenos

1 lata de milho verde sem a água, ou 4 espigas raladas

4 colheres de sopa de leite

3 colheres de sopa de farinha de trigo

1 lata de leite condensado

l colher de sopa rasa de fermento em pó

3 colheres de sopa de manteiga em temperatura ambiente

Coloque tudo no liquidificador. Bata até o milho estar bem fininho. Coloque em forma untada. Leve ao forno médio alto até ficar bem dourado(moreninho).

Depois de crescer ele baixa um pouco porque é úmido.

Arrisque-se! Coma uma fatia dele bem quentinho. Duvido, de ó dó, que você fique só numa fatia.

Pode ser servido quente, em temperatura ambiente ou até gelado.

Minhas sugestões:

Jogue um pouco de melado ou mel sobre as fatias antes de servir.

Pode servir com queijo fresco, ricota, iogurte, creme de leite, doces de frutas, calda de chocolate...Use a imaginação!

Se você tiver tempo( e se sobrar algum até esfriar), corte fatias fininhas quando ele estiver frio, forre a vasilha onde você costuma servir sorvete, esconda-se e coma tudo!

Para essas tardes frias que estão chegando ou indo embora(atenção hemisfério norte!) é uma perdição, se for comido com uma xícara de chocolate quentinho ou café feito com capricho.


Para quem gosta de fazer experiências na cozinha:


Depois de colocar a massa na forma, espalhe sobre ela alguns pedacinhos de chocolate meio amargo, ou uvas passas. Para quem gosta(que não é meu caso) sementes de erva doce moídas, ou mesmo inteiras, também combinam. Eu prefiro puro, com um generoso melado de cana. Ai, Zuzuis!


A foto saiu deste blog, que de meu bolo não sobrou nem farelo, imagine foto!

7 de abr de 2008

Os perigos e as arapucas.

Pessoas: tem havido, com certa freqüência, a introdução de comentários-cilada, isto é: gente que pouco tem a fazer e distribui spam. Alguns com muito perigo. Em razão disto, se essa safadeza persistir, muito contrariada, serei forçada a colocar uma barreira para meus fiés e corajosos leitores(particularmente detesto aquelas letrinhas, mas...).

É verdade que todos sabem que jamais devem abrir links duvidosos, de pessoas desconhecidas, mas, sabe como é, aquela curiosidade e, de repente....puft! arranja-se uma sujeira no computador.

Por enquanto fica o alerta para não clicarem(estalarem) em links escritos em inglês nos comentários deste blog.

Boa semana a todos!

4 de abr de 2008

E dá-lhe listas!


Os Doze Meses do Ano:

Janeiro: homenagem ao Deus Janus, protetor dos lares;

Fevereiro: mês do festival de Februália (purificação dos pecados), em Roma;

Março: em homenagem a Marte, deus guerreiro;

Abril: derivado do latim Aperire (o que abre). Possível referência à primavera no Hemisfério Norte;

Maio: acredita-se que se origine de Maia, deusa do crescimento das plantas;

Junho: mês que homenageia Juno, protetora das mulheres;

Julho: No primeiro calendário romano, de 10 meses, era chamado de quintilis (5º mês). Foi rebatizado por Júlio César;

Agosto: Inicialmente nomeado de sextilis (6º mês), mudou em homenagem a César Augusto;

Setembro: era o sétimo mês. Vem do latim septem;

Outubro: Na contagem dos romanos, era o oitavo mês;

Novembro: Vem do latim novem (nove);

Dezembro: era o décimo mês.

A imagem veio deste site que é uma loucura! Ou será que não?