TRANSLATOR( BLOG OR POST)

29 de set de 2006

Sai dessa!

Sabem aquelas mensagens preconceituosas e até abusadas sobre a imperícia das mulheres ao volante? Eu até concordo, depois de lutar com o trânsito de uma sexta-feira chuvosa, ventosa e frioza, atrás de coisas e mais coisas pedidas pelo tal azulejista(Meu Zeus, essa reforma não acaba mais!).

Desde aquele famigerado celular no ouvido e nenhuma atenção ao trânsito, até aquela que simplesmente encosta sem sinalizar e outras barbaridades, eu testei minha perícia e minha paciência.

Mas não foram só mulheres que me tiraram do sério. Ah, aqueles motoristas quase imberbes, mostrando quanto de volume podem suportar nos seus estrondosos carros! Aqueles fumegantes caminhões sem pressa! Aqueles ousados, mas barbeiros até a última roda, atravessando três pistas para acessar a rótula! Que exercício!

Bem a propósito, recebi de meu cunhado, que sabe que dirijo bem, obrigada, um jogo que desafia não a habilidade ao volante, mas a de tirar um carro estacionado, vencendo obstáculos.

Aviso: é altamente viciante. O grau de dificuldade vai aumentando e a gente vai querendo provar a si mesma que em quatro ou cinco movimentos consegue sair da garagem.

Experimente e chame aquela pessoinha que vive fazendo piadinhas sobre erros femininos.

Meninas: Considerem que a ciência já provou que nesse tipo de jogo o cérebro masculino tem mais habilidade, mas não deixem por menos! Treinem sozinhas antes. E vocês, meninos, nada de tomar conta do jogo.

28 de set de 2006

Sem vontade de trabalhar?

Cansou de abrir mensagens de propaganda política? Está de sacola cheia de ouvir abobrinhas? Chefe enchendo a paciência?

Passe uns minutinhos fotografando aqui.

Boa sorte!
Fique de olho no chefe, por via das dúvidas.

Quem mandou foi Waldemar Henrique, um voinho que sabe ser criança.

26 de set de 2006

VARIAÇÕES SOBRE UM MESMO TEMA

Tenho coisas guardadas, de tão longo tempo, que até os autores desistiram e se apagaram.

Esse disparador de riso, estava entre tantos textos e como sempre me faz rir, não importa quantas vezes eu leia, vai lá procês! E não tem outro mote que o do espanto e certa afetividade pelo minerim, que dá lições de economia no falar.

E se alguém souber quem reuniu o palavrório, indique nos comentários, que eu faço questão de incluir o autor de qualquer coisa aqui escancarada.

Experimente ler em voz alta.

PRESTENÇÃO - é quano ieu tô falano iocê num tá ovino

CADIQUÊ? - assim, tentanu intendê o motivo.

CADIM - é quano ieu num quero muito, só um poquim

DEU - o mez qui 'di mim'. Ex.: Larga deu, sô!

SÔ - fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamem?: Cuidadaí, sô!!!

DÓ - o mez qui 'pena', 'cumpaxão': 'ai qui dó, gentch...!!

'NIMIM - o mez qui in ieu. Exempro: Nòoo, ce vivi garrado nimim, trem!... Larga deu, sô!!...

NÓOO - Num tem nada a vê cum laço pertado, não! Omez qui 'nossa!..' Vem de Nòoosinhora!...

PELEJANU - omez qui tentanu: Tô pelejanu quesse diacho né di hoje, qui nó! (agora é nó mez!)

MINERIM - Nativo duistadiminnss.

UAI - Uai é uai, sô... Uai!

ÉMÊZZZ?! - minerim querêno cunfirmá.

NÉMÊZZZ?! - minerim querêno sabê si ocê concorda.

OIAQUI - Minerim tentano chama atenção pralguma coizz...

PÃO DI QUEJU - Iosscêis sabe!... Cumida fundamentar qui disputa com o tutu a preferênça dus minêro

TUTU - Mistura de farinha di mandioca (o di mio) cum fejão massadim. Bom dimais da conta, gentch!!..

TREIM - Qué dize quarqué coizz qui um minerim quizé! Ex: "Já lavei US Trem!" "Qui trem bão!!

"NNN - Gerúndio du minreis. Ex: 'Eles tão brincannn', 'Cê tá innn, eu tô vinnn...'

PÓ PÔ - umez qui pó colocá

POQUIM - só um poquim, pra num gastá muito

JISGIFORA - Cidadi pertin du Ridijanero. Cunfunde a cabeça Do minerim que si acha qui é carioca.

DEUSDE - desde. Ex: 'Eu sô magrelin deusde rapazin!

'ISPÍA - nome da popular revista

'VEJA'ARREDA - verbu na form imperativ (danu órdi), paricido cum sai. 'Arredaí, sô!

"IM" - diminutivo. Ex: lugarzim, piquininim, vistidim, etc.

DENDAPIA - Dentro da pia.

TRADAPORTA - Atrás da porta.

BADACAMA - Debaixo da cama.

PINCOMÉ - Pinga com mel.

ISCODIDENTE - Escova de dente.

PONDIÔNS - Ponto de ônibus.

SAPASSADO - Sábado passado.

VIDIPERFUME - Vidru de perfume.

OIPROCÊVÊ (ou OPCV) - óia procê vê

TISSDAÍ - Tira ISS daí.

CAZOPÔ - Caxa disopor.

ISTURDIA - Otru dia.

PROINOSTOINO? - pronde nós tamo inu?

CÊSSÁ SÊSSE ONS PASSNASSAVASS? - ocê sabe se esse ônibus passa na Savassi?


E no tempo que demora pra você ler e reler, eu vou num instantinho aí na praia, esquentar os costados enquanto caminho, que essa primavera está numa luta feroz com o inverno, que por certo perdeu o relógio, o rumo, o calendário, ou a tramontana! Vai fazer frio assim lá em...Minas, uai!

16 de set de 2006

Capítulo novo de "Rainha das Dicas"



Mais dicas para uso do SAL


FLORES E VASOS

Aquele buquê preferido se conservará por mais tempo se você adicionar um pouco de sal à água da jarra ou do vaso. Um vaso fundo pode ser lavado despejando-se nele uma solução de sal e vinagre. Deixe-o em repouso com esta solução por algum tempo e depois dê uma sacudidela enxaguando-o com água pura. Flores artificiais podem ser arrumadas artisticamente colocando-as em um leito de sal umedecido. À medida que o sal seca, ele
se solidificará, firmando as flores em definitivo no lugar.

COZINHA QUEIJOS

Mofos (fungos) se desenvolvem nos queijos, mesmo naqueles que não desejaríamos ver mofados. Para evitar o mofo, antes de colocar o queijo na geladeira, enrole-o em um pano umedecido em água salgada.

ÁGUA FERVENTE

O sal é condutor de calor. Assim, para esquentar mais rapidamente a comida, ponha-a num prato sobre uma panela com água, com um pouco de sal, e aqueça-a.

PROTEÇÃO CONTRA FORMIGAS

Não deixe as formigas fazerem um piquenique em sua casa. O sal as manterá afastadas do chão da cozinha e do balcão da pia. O segredo é borrifar sal ao longo dos rodapés, nos cantos dos cômodos e nos balcões dos armários.

GELADEIRAS

Sal e solução de bicarbonato de sódio limpam e perfumam o interior de sua geladeira, com a vantagem de não arranhar o esmalte como o fazem alguns produtos mais fortes de limpeza.

PRATOS COM OVOS

O sal torna melhor o sabor dos ovos e facilita, também, a limpeza da louça suja de ovo. Imediatamente após usar, borrife sal nos pratos para então lavá-los quando você tiver tempo.

PANELAS ENGORDURADAS

Panelas de ferro engorduradas poderão ser facilmente lavadas se você puser um pouco de sal nelas e esfregá-las com um papel.

XÍCARAS

Uma esfregada rápida com sal de mesa removerá as mais resistentes manchas de chá em suas xícaras.

LIMPADOR DE FORNO

Você confiaria no sal e na canela? Não como um presente ao paladar, mas como um excelente restaurador do forno? Pois bem, o sal e a canela eliminam o cheiro de comida queimada. Borrife-os enquanto estiver quente. Quando seco, remova as manchas de sal com uma escova dura ou pano.

COMIDA QUEIMANDO?

Jogue sal rapidamente sobre a comida ou sobre a gordura quando estiverem incendiando. Nunca use água. O sal extinguirá as chamas.

AROMATIZANTES SALGADOS

Acredite se quiser, o sal pode perfumar as garrafas térmicas, moringas ou outros recipientes fechados.
Vegetais de aroma forte serão suavizados se forem colocados por 2 ou 3 minutos em água fervente (depois lave-os e cozinhe-os com o tempero de sua preferência).
As aves ficam mais saborosas se esfregadas com sal, por dentro e por fora, antes de serem colocadas para assar.
Retire o amargo das cafeteiras enchendo-as com água e adicionando 4 colheres de sopa de sal. Depois enxague-as em água corrente.
Perfume o hálito, após comer cebolas, mordendo uma ou duas fatias de limão bem salgado.
O cheiro desagradável de *cebola e eventuais manchas de frutas e legumes nas mãos, poderão ser retirados com sal.

(*) Para evitar que as mãos fiquem com cheiro de cebola, lave-as em água corrente sem esfregar Funciona! Esta dica está num comentário, no blog da Cynthia.

Adaptado de :
Indústria de Processos Químicos
R. Norris Shreve, Joseph A. Brink Jr.
Sodium Chloride - The Production and Properties of Salt and Brine
Dale W. Kaufmann
Revista Superinteressante Nº 07 - Origem do Sal

Artigos enviados por Waldemar Henrique
Fotografia deste site


Você precisa mesmo imprimir isto? Salve em seus arquivos. Economize papel. Salve árvores.

8 de set de 2006

Presa no banco de trás

UM PASSEIO PELO RIBEIRÃO DA ILHA







São vinte quilômetros de uma rua de mão dupla, mas estreita, com paisagens de tirar o fôlego. De um lado morros, casas, pedras, vegetação intacta ainda; do outro esse mar que sempre tira meu fôlego. De vez em quando um avião cruza o ar, em busca do aeroporto, que fica a poucos metros, do outro lado do mar.

Conheço há pelo menos trinta anos e tudo o que mudou foi o número de casas, de restaurantes e aqueles pontinhos na água, assinalando que ali há fazendas de ostras. Elas sustentam alguns ex-pescadores, que viraram fazendeiros do mar e enriquecem os que exportam para todo canto do mundo. São ostras de alta qualidade, criadas com a temperatura e nutrientes adequados.

(Igreja de 1806)

Foi a primeira comunidade da Ilha a ser colonizada pelos portugueses e ainda há várias construções que mostram a arquitetura colorida e bem conservada(uma das poucas em Florianópolis). Ainda há pelo caminho que leva à vila, casas de estuque, construídas com óleo de baleia. E para quem gosta de um bom papo à beira d'água é só parar, como eu fiz em uma de minhas visitas, tempos atrás, e descobrir um velhinho simpático, que vende o artesanato da esposa e tem um jeito de falar esmagadinho, como o de Darcy Ribeiro.

Nem tudo eu fotografei, porque meu cunhado dirigia e apesar da curiosidade ele não tinha muita vontade de parar e admirar a paisagem. Algum clic eu arrisquei através da janela. Muita coisa que eu visito de vez em quando ficou sem ser fotografada. Um dia desses eu volto e encho a pangufa! É logo ali, atrás do morro por onde desce o sol, atrás de minha casa!



E há uma palmeira que enfeitou a fotografia de um menino há mais de vinte anos atrás, que continua lá( a palmeira). Hoje eu mostro a palmeira. Um dia desses, o menino.


Fotografias: Ribeirão da Ilha (Iha de Santa Catarina), Florianópolis, SC , by Clarice De Marco

5 de set de 2006

Nada disso!

Claro que não! Nada a ver com esse frio que todo mundo andava reclamando que desaparecera antes do tempo. Nada a ver também com o vento, nem com esse mar bravio que enfeita o horizonte(e que eu nem posso mostrar atualizado- e você já vai saber por que), com ondas imensas, que fazem tremer o monitor de vez em quando, por obra de efeitos no solo arenoso.

Nada a ver com esse céu azul que dói nos olhos, com esse ar de "Ai, meu Deus, parece de plástico de tão bonito". Poderia ser por causa de viagens à cidade, aniversários, plantinhas que mereceram um cuidado(menos lesmas, mais minhocas e casca de árvore).

Quando alguém é assim, metida a resolver tudo sozinha antes de pedir socorro, acontecem alguns imprevistos e cá estou eu, lidando com instalação de sistema, corrigindo, deletando, aprendendo, bufando, desligando tudo. De manhã reinvento a teimosia e religo os cabos e toca a reinstalar, restaurar e abrir, fechar, cancelar, o escambau! Tem hora que dá vontade de seguir o conselho de Cynthia(também não me arrisco a criar link, por enquanto, mas para ler essa moça, clique no link ao lado, com o nome dela), pintar de verde jogar no mato pra ninguém achar(ou de azul e jogar no mar, que está mais perto que o matinho).

Tá bom, valeria os trocados que eles cobram pra instalar, mas nada como teimar assim e aos poucos ressuscitar a tela, os ícones(alguns insistem em dormir) e até conseguir conectar a internet. E o que se aprende com a experiência é inenarrável, senhoras e senhores!

Quase de brincadeira tento um blog e consigo escrever um comentário. Aos poucos reanimo as letrinhas, mas vamos devagar, que de vez em quando preciso ir lá fora esquentar os costados, já que hoje a sensação é de bem menos os graus que aparecem no termômetro. Lá na cidade 16, aqui 12.

Ah, não seja chato! Essa história de que falar do tempo é coisa de quem não tem assunto já era. Hoje em dia quem não fala do tempo é alienado ou insensível. Afinal ele é que decide nossa vidinha. E vai decidir a sua também.

E enquanto as coisas se desfragmentam aí por dentro do bolo de lata, nem vou me arriscar a chamar alguma foto. Mas pode acreditar: o dia está maravilhoso!

Assim que tudo estiver mais ou menos eu encho de fotos, para compensar. Agora, licencinha que eu vou direto para um chocolate quentinho e perfumado com canela. Hummmmmm...

Enquanto isso, em São Paulo, tem gente atolada em caixas de mudança. Vige!