TRANSLATOR( BLOG OR POST)

27 de dez de 2006

Peneirando!

Antes dos propósitos para os novos dias, sempre seleciono as lições e alegrias do que ainda está em curso. Não tem graça escrever biografia de um jovem de poucos anos, mas este já está quase na porta de saída, então, a propósito, eis o que ficou na peneira de 2006.



Eu vou lembrar:



-do carinho e presença de meu filho;


- do nascimento de Giovanna, netinha adorável da adorável Lê;


- dos papos mais que deliciosos com Neu, meu amigo do coração;

- da volta de meu grande amigo Waldemar Henrique;

- do nascimento de Laura, netinha de Waldemar Henrique;


- da inocência e amizade da menina- adolescente Bruninha(que eu leio quando o mundo parece sem jeito e quando ele parece com jeito também);

- dos tantos escritos inteligentes, sensíveis, positivos e alegres de tantos e tantos e tantos blogs;

- da chuva que caiu na hora certa;

- dos dias de sol retumbante;

-do susto da ventania quase furacão;


-dos presentes inusitados de aniversário;



- da lição de superação que eu aprendi a ler em Henriquinho, priminho de Laura,



que sem ligar para as dificuldades, joga futebol, sim senhor! e quase derrete o coração do voinho!;


- da sorte que eu tive em não precisar fazer mais uma cirurgia na pança;

- das pessoas que me socorreram, apoiaram e se preocuparam comigo quando adoeci;

- dos banhos de mar;

- das manhãs perfumadas por mais um botão de jasmim que abriu;

- da alma escancarada de Lê;


- da "investigadora" Ângela, que quase virou o Brasil de pernas para o ar para localizar minha ex-colega de faculdade;

- dos novos contatos gaúchos, tchê!;

-do Bruno feliz porque a filha Fernanda passou no vestibular;

-de minha irmã que vendeu para mim um aparelho que não funcionava;

-de todas as flores que ajudei a abrir, adubando, regando, podando, protegendo da chuva, do vento e dos dentes dos gatinhos;


- de amigos e ex-colegas que puseram no olhar e nas palavras a alegria pela amizade e pelo reencontro;


- de todas as manhãs que vi pela janela ao acordar;

- do azul do mar e de sua fúria em dias de ressaca;


- dos passarinhos que cantam no terraço;


- da alegria de viver a cada dia renovada.


E tanto mais...



O ano foi bom para você? Boas lições? Alegrias? Dificuldades?

19 de dez de 2006

Para entrar no clima do Natal

Eu sei. É uma chatice. Todo ano a mesma coisa. Perdeu-se o sentido da data, o mundo anda uma coisa muito confusa. Mas...Chame a criança que está escondida aí dentro de você e clique, clique, clique, clique... arraste, arraste, arraste.

Se a criança for ranheta e não quiser aparecer, mande para alguma criança que esteja mais animadinha.

Experimente esta

Depois esta

Quem sabe esta?

Ou esta?


Se sobrar um tempinho e gostar da brincadeira ainda tem isto!

Dicas: Waldemar Henrique

14 de dez de 2006

Não adianta invejar! Tem que nascer virado para a lua!


Mensagem recebida de Neu, de Curitiba:

Quarta feira, dia 6/12/2003, desço do cata-polaco na Praça Tiradentes, com frio e garoa fina (durante o dia chegou a 28 graus em Curitiba). Paro na banca, compro o Jornal da Tarde, de São Paulo. Sem guarda-chuva e somente com minha velha capa de nylon, desço apressado pela rua Cândido Lopes, em direção ao escritório.

Ao passar em frente ao Hotel Bourboun (o do Lula e das grandes estrelas, percebo um grande ônibus de turismo, 4 eixos e dois andares,estacionado em frente, porém sem qualquer burburinho de turistas ou hóspedes do hotel.

Tenho a mania de reparar nos ônibus de turismo, placas, de onde vêm, tipo dos passageiros e outras manias bobas no assunto. O nome da empresa no ônibus era estranho e foi a primeira vez que vi um por aqui: BBKING SHOW.

Ao passar exatamente em frente à porta principal do hotel, eis que um funcionário, pára em minha frente e num ato de desviar da pessoa, desvio para a direita, em direção à porta e dou uma trombada com um brutamontes de um negão, com mais ou menos uns 120 quilos, todo agasalhado, inclusive com um sobretudo escuro. Um criolão sorridente, olhando para trás e acenando para os funcionários e pessoas que estavam no saguão do hotel.

No encontro involuntário dos corpos, o brutamontes me abraçou, ainda sorridente, falando em espanhol : "Escusa-me, mister" e fez questão de apertar-me como se fosse um velho conhecido.Na pressa falei alguma coisa, me desculpando também e segui calçada abaixo com a garoa fina na cabeça.

SANTA IGNORÂNCIA! Ao chegar ao escritório, folheio o Jornal da Tarde, somente para ler as manchetes e na última página lá estava um histórico do grande músico B.B. King, Rei do Blues, em sua temporada única no Brasil e na América do Sul,fazendo sua despedida dos palcos.

Curitiba foi escolhida como uma das cinco cidades para apresentação de B.B. King, que havia se apresentado na noite anterior no Teatro Guaíra, com ingressos variando de R$ 350,00 a R$ 800,00 per capita e eu ganhei um grande e fraternal abraço, gratuitamente, coisa a que nem o mais vip dos presentes no Guaíra teve direito.


Site oficial do gênio: clique aqui (Aconselho acessar com som ligado.)


Para quem quer saber mais sobre ele(e foi de onde veio a foto): tem tudo aqui
Esquisitos de plantão que por acaso planem por aqui: qualquer menção à cor do gênio foi usada sem qualquer ofensa, apenas para dar idéia do tamanho e da impressão que a figura toda de preto causou em meu amigo.

13 de dez de 2006

Mel, canela e muita saúde!


A gente pensa que já sabe muita coisa sobre ele, mas sempre aparece mais uma utilidade desse verdadeiro tesouro produzido pelas abelhas. Recentemente, descobri que mel é um excelente cicatrizante de ferimentos, queimaduras e cortes de qualquer tipo, inclusive de cortes cirúrgicos!

Além da máscara esfoliante, hidratante e nutritiva, receitada por Susana no comentário do penúltimo post, tem uma lista de maravilhas que podem ser feitas com mel, que veio de um doce amigo e que repasso abaixo, quase integralmente(com algumas correções).

É preciso cuidado na hora de comprar mel. Verificar sua origem e composição é indispensável, para não acabar levando água fervida com açúcar e limão, muitas vezes encontrada nas barraquinhas de vendedores ambulantes e até em mercados.

Não vou perder a chance de falar bem dos que são produzidos aqui em Santa Catarina. São maravilhosos! E por mais caro que possa parecer, o mel , por tudo o que pode ser feito com ele, é uma pechincha!

Tem um vidro com um restinho de mel, já açucarado, esquecido lá no fundo da prateleira? Use. Mel não tem vencimento. Para recuperar a forma líquida é só aquecer em banho-maria, lentamente. Jamais em microondas! Se a quantidade de mel for pequena, basta colocar a vasilha dentro de uma outra com água quente e aguardar alguns minutos. Para que o mel não açucare guarde fora da geladeira e longe de muita claridade.

Vamos às mil e uma utilidades, informações e novidades!

-A mistura de mel e canela cura muitas doenças.
-O mel é produzido em quase todos os países do mundo.
-Apesar de ser doce, a ciência demonstrou que, tomado em doses normais como medicamento, o mel não faz mal aos diabéticos.

A revista "Weekly World New" do Canadá, na sua edição de 17 deJaneiro de 1995, publicou uma lista das doenças que são curadas pelo mel misturado com canela.

DOENÇAS DO CORAÇÃO

Faça uma pasta de mel com canela. Coloque no pão e coma regularmente no café da manhã no lugar da geléia. Reduz o colesterol nas artérias e previne problemas no coração. Também previne novos infartos. O uso regular deste processo diminui a falta de ar e fortalece as batidas do coração.

Nos Estados Unidos e Canadá, utiliza-se essa pasta continuamente nos asilos. Descobriu-se que o mel com canela revitaliza as artérias e veias dos pacientes idosos e as limpa.

PICADAS DE INSETOS

Misture uma colherzinha de mel, duas colherzinhas de água morna e uma colherzinha de canela em pó.Faça uma pasta com os ingredientes e esfregue-a suavemente sobre a picada. A dor e a coceira irão desaparecer em um ou dois minutos.

ARTRITE

Misturar uma xícara de água quente com duas colheradas de mel e uma colherzinha de canela em pó. Beber uma de manhã e uma de noite. Se tomar com freqüência pode até curar a artrite crônica.

PERDA DE CABELO

Os que sofrem de calvície ou estão perdendo o cabelo, podem aplicar uma pasta de azeite de oliva o mais quente que resistirem, uma colherada de mel e uma colherzinha de canela em pó no couro cabeludo. Deixar por 15 minutos antes de lavar. Foi comprovado que é eficiente mesmo para quem deixar a pasta na sua cabeça por somente 5 minutos.

(Como eu acredito nos benefícios do mel , mas não perco a chance de uma ironia, fico imaginando o sujeito emplastrado com essa mistura correndo das moscas, loucas pelo mel! Então sugiro que se quiser tentar, depois de aplicar envolva a cabeça num saco plástico ou numa touca de banho.)

INFECÇÕES DE RINS

Um copo de água morna misturada com duas colheradas de canela em pó e uma colherada de mel, mata os agentes da infecção nos rins.Tomar duas vezes por dia. até que a infecção acabe.


DOR DE DENTES

Fazer uma pasta com uma colherzinha de canela e cinco colherzinhas de mel e aplicar no dente que está doendo, repita pelo menos 3 vezes ao dia.

COLESTEROL

Duas colheradas de mel com três colherzinhas de canela misturados em meio litro de água. Deve-se tomar 3 vezes ao dia. Isto reduz o colesterol em 10% em 2 horas. Tomado diariamente controla os níveis do mau colesterol.


RESFRIADOS

Para curar completamente sinusites, tosse crônica e resfriados comuns ou severos, misturar uma colherada de mel morna com 1/4 de colher de canela em pó e tomar com freqüência.

A mistura de mel com canela também alivia os gases no estômago, fortalece o sistema imunológico e alivia a indigestão.

VELHICE

Misture 4 colheradas de mel, uma colherada de canela e três xícaras de água bem quente. Beba 1/4 de xícara, três ou quatro vezes ao dia. Mantém a pele fresca e suave e diminui os desconfortos da idade avançada. Beber este chá prolonga a vida e promove bem estar.


DOR DE GARGANTA

Tome de quatro em quatro horas uma colherada de mel misturada com meia colher de Vinagre De Sidra.


PARA PERDER PESO E COMO LAXANTE SUAVE

Misture numa xícara de áqua bem quente, uma colher de mel e uma colherzinha de canela e beba à noite antes de dormir e meia hora antes do desjejum.


Observações muitíssimo importantes:

-Esta é uma lista sugerida de benefícios do mel e não uma lista de recomendações médicas. Quem precisa de atenção de médico ou de dentista deve procurar esses profissionais e confirmar a possibilidade de seu uso durante qualquer tratamento.

-Crianças até um ano de idade não devem comer mel, sob risco de terem reações que podem levar a óbito. Só deve ser usado mel na alimentação infantil, depois de consultar um pediatra.

- Depois de misturado com água o mel pode fermentar. Melhor preparar só a porção que vai ser consumida no mesmo dia.

- Mesmo que algumas sugestões pareçam estranhas (e até engraçadas) use mel de vez em quando, nem que seja só para adoçar a vida!

Foto: copiada deste site

11 de dez de 2006

Todo dia é dia de índio!

Era sete de setembro. Alguém havia desfilado de tanga e penacho. A menina, perto da mãe que era professora, se encantou com aquela leveza, aquele movimento de penas, braços e pernas e pinturas no rosto, que viu enquanto os caras-pálidas guardavam suas fantasias nos armários e voltavam a ser alunos. E teimou tanto, pediu tanto, fez bico e tanto chorou, que convenceu a mãe a achar uma fantasia daquela que lhe servisse.


Cara de bugra ela já tinha, nariz arrebitado que lhe valera o apelido desde o berço(que um dia ela gostou e hoje abomina). Depois daquela destemperança de menina de quatro anos, melhor aproveitar o fotógrafo e clicar a cena. Montar a cavalo nem pensar! Então alguém com uma imaginação além das nuvens, resolve montar a cena nos verdes que ficavam em frente à escola e registrar a façanha em preto e branco.

E assim, em 1958, uma menina descendente de italianos, tirou a blusa, vestiu a fantasia e virou índia. Como ela se sentiu antes de se saber gente. Que preserva na sua essência, nos verdes que planta, nos chás que toma, no cuidado com a vida, no carinho com animais, na liberdade que defende com unhas e dentes(e flechas, se necessário), na vida ao ar livre, na aversão a roupas e calçados que lhe tolham os movimentos. Mesmo quando se fantasia de alguma moda de salto alto e meia preta por gosto ou obrigação.


E vários anos depois, não por coincidência e sem qualquer planejamento, aparece um traje em um cor-de-rosa jamais imaginado por qualquer índio e ela nem pensa duas vezes. Traça uns riscos esquisitos no rosto e pula e dança a noite toda! Até hoje jura que não era fantasia.


(Eu lembro daquela manhã com detalhes riquíssimos. Das conversas das outras professoras sobre meu desejo de vestir(?) aquela fantasia, do ruído dos alunos trocando de roupa, de pequenos toques de tambores enquanto eram recolhidos, de pessoas me arrumando entre as folhas e galhos, de alguém pedindo para olhar para frente, levantar o queixo, baixar o olhar. Depois meu choro querendo ficar com a roupa. Não é minha primeira lembrança da vida, mas é uma das mais gostosas. Já a noite de carnaval traz lembranças descartáveis e sem a menor importância.)

2 de dez de 2006

Dan Palatnik


Recebi, há poucos dias, um arquivo com desenhos de carros antigos. Coisa de profissional! Alguns que eu só conheço por fotografias, outros cheguei a ver nas ruas. Mas que desenhos!

Decidi explorar o site que aparecia na telinha. Ele vai além, muito além de carros antigos.

Não sei de vocês, mas eu adoro descobrir esses brasileiros cheios de talento.

Clique aqui , escolha por onde começar. Clique e esqueça o relógio!
Aqui respeitamos propriedade alheia.Todos os desenhos são protegidos por direitos autorais, então, nada de fotos hoje!

1 de dez de 2006

"Nossas roupas assim, dependuradas,..."

Eu já andava pela casa cantando: Pedi pra chuvê, mas chuvê di mansinho e não pra caí toda chuva qui há!

Mal deu tempo da mais tênue nuvem azul aparecer, depois de cinco dias de água, que a cidade inteira fez oferendas à deusa da lavanderia.

E haja varal, cadeira, cabide, mesa, tudo enfeitadinho de roupa. O chão também se aproveita. Tapetes salvos do mofo e um gato feliz, bagunçando seus panos.




Ele deve saber que tem que aproveitar enquando dura, porque o bem-te-vi insiste em fazer cantoria e isso quer dizer mais dias de janelas e portas fechadas.

Como o tempo cinzento afeta você? Muda seu humor?

27 de nov de 2006

Programa de domingo encharcado(ou, onde é que eu vou me esconder disto?)

Essa porqueira chegou na TV!

Quando comecei a assistir, pensei que tivessem esquecido que deveria ser legenda em português. Que eu havia selecionado o idioma errado. Fosse em sueco e eu estaria perdida e perderia um filme até bonzinho. Mas, que nada! É um tal de cyber movie. Repare na carinha de deboche no canto superior direito!

Um sacrifíco para ver o filme até o final. Um cansaço!


Pode ser modernidade, o caramba! Para mim isso é língua de tolo, para não dizer coisa pior. Eu acompanho a vida e novidades, mas nem tratador de gansos da França me convence a usar isso. Vá lá um "vc" de vez em quando, ou um "tb".
Alguém está me devendo 750 miligramas de paracetamol, que eu vi o filme e de brinde levei uma dor de cabeça seleta por conta dessa língua prtgs hrrvl.

Oh, ao fundo vê-se o fogão, sim, e o sinal do flash, que eu nem iria perder tempo editando a foto de um besteirol desses.

24 de nov de 2006

Liquidando a fatura!

Nóis fingimu qui fumo, mas vortemo.

Fechando a matéria com dicas sobre uso do sal.



SAL PARA GOURMETS

- Se você colocou sal demais na sopa, recupere-a, colocando fatias de 1 ou 2 batatas para absorver o excesso (depois é só retirar as batatas e usá-las para outra finalidade).

-Esfregue a grelha com um pequeno saco de pano cheio de sal para evitar que fique grudando e
queimando. Use o mesmo artifício quando fritar peixe, borrifando antes a grelha com um pouco de sal.

LIMPANDO TUDO EM VOLTA

-Para tirar o cheiro e evitar que o cano da pia da cozinha fique entupido pela gordura, use uma salmoura concentrada.
-Esfregue as tábuas de pão e de cortar, não pintadas, com um pano embebido em sal, depois de terem sido lavadas com sabão e água; elas parecerão mais novas.
-As vassouras novas se conservam mais, se mergulhadas em água salgada quente. E você pode dar vida nova às esponjas, colocando-as em água fria salgada, após serem usadas.
BANHEIRO TRATAMENTO DE BELEZA
-Muitas pessoas famosas usam sal com óleo de oliva, como estimulante facial. Misturados em forma de pasta, a fricção do sal e a lubrificação do óleo dão um novo tom à pele cansada, ou bronzeada em excesso.
BANHOS DE SAL

-Para ajudar a relaxar a tensão, massageie a pele úmida com sal antes do banho. É claro, pés cansados sempre respondem bem a um banho quente de água e sal.
TRATAMENTO COM SAL

-Um gargarejo com água e sal muitas vezes alivia irritações da garganta e da boca.
-E o seu dentista, provavelmente, irá lhe ensinar a usar partes iguais de sal e bicarbonato de sódio para limpar os dentes e conservar suas gengivas saudáveis. A mesma mistura perfuma o hálito também.
-Imite a natureza fabricando lágrimas: 1/2 colher de chá de sal em 1/2 litro de água é um bom colírio, que alivia tensões e descansa os olhos.
REALÇANTE DE CORES

Antigamente, era comum as donas-de-casa lavarem chita com água e sal para fixar a cor. Hoje as cores dos tecidos já vêm fixadas, podendo os mesmos irem para a máquina de lavar sem problemas. Entretanto, o sal torna mais claras as cortinas laváveis e os tapetes de fibra.
OUTROS AUXÍLIOS PARA A LAVAGEM DE ROUPAS

-Retire as manchas de suor das roupas, colocando-as de molho em água com sal antes de lavá-las (4 colheres de sopa em 1 litro de água).
-Clareie os tecidos de algodão ou linho amarelecido, fervendo-os por 1 hora em solução de sal e bicarbonato de sódio. Outro segredo: em climas muitos frios, as roupas não irão congelar no varal, se você acrescentar um pouco de sal na última enxaguada.
-Tire as manchas de roupas (inclusive as manchas de sangue), colocando-as de molho em água fria com sal; lave com água morna, depois coloque-as em água com sabão e ferva após a lavagem. Precaução: Proceda assim somente com tecidos de algodão, linho ou outros que possam receber calor alto.
MÁGICA-MOFO

-Quando as roupas ou os artigos de casa mofarem, molhe os locais manchados com uma mistura de suco de limão e sal, e depois estenda-os ao sol, no varal, para um descoramento natural. Complete o tratamento com uma lavagem completa e secagem
QUINTAL CUIDADOS COM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

As pulgas gostam tão pouco de sal quanto os animais de estimação gostam das pulgas. De vez em quando uma boa borrifada na casa do cachorro ajuda a afastar as pulgas.
LIMPEZA DE BRONZE

Maçanetas e outras peças de bronze adquirem novo brilho quando esfregadas com uma pasta de sal, obtida misturando-se partes iguais de sal, farinha de trigo e vinagre. Deixe por 1 hora ou mais e depois limpe com um pano macio ou uma escova para dar o polimento final. Para peças de cobre, proceda da mesma maneira.
PÁRA-BRISA DE CARROS

Esfregue um pouco de sal umedecido na parte externa do pára-brisa de seu carro para evitar aderência do gelo, da neve ou geada.
PASSAGENS E CAMINHOS
-No inverno, espalhe sal nas passagens e caminhos, para evitar o endurecimento do gelo e da neve.

-Para derreter o gelo e a neve, espalhe sal na calçada, na base de 270 gramas por metro quadrado."Zombe" de seus vizinhos espalhando sal assim que a neve começar a cair; ao amanhecer, sua calçada será a única limpa nas redondezas (isto se não nevar mais do que 7,5 cm).
SORO CASEIRO

-Para crianças que apresentam sintomas de vômitos e diarréias: adicionar 1 pitada de sal e 1 punhado de açúcar, ou então, 2 colheres de sopa de açúcar e 1 colher de café de sal, a 1 litro de água filtrada fervida. Dar para a criança pequenas doses de 1/2 em 1/2 hora. O soro caseiro deve ter o gosto da lágrima.
REFERÊNCIAS: Indústria de Processos Químicos
R. Norris Shreve
Joseph A. Brink Jr.
Sodium Chloride
The Production and Properties of Salt and Brine
Dale W. Kaufmann
Revista Superinteressante Nº 07 Origem do Sal

13 de nov de 2006

Aluga-se(um dia desses)



Ela tem uma relação de cheques já despachados, por ordem de data e vai riscando, cada vez que um deles aparece no extrato.

-Mãe do céu! Que isso não acaba mais!

Aos poucos, com o benefício da greve dos bancários, eles vão aparecendo. O orçamento já passou a ponte faz tempo!

E ela a fazer contas. E a comprar. Que faltou veda-rosca, senhora. Depois um adaptador de cano, silicone, mais cimento, mais argamassa, mais um não-sei-quê que ela nunca ouviu falar. E tudo na ponta do lápis, pagando a mão-de-obra conforme estabeleceu no contrato, que a revista recomendou e ela seguiu à risca- o que é uma maravilha, porque quando enxergam o papel eles arregalam os olhos e vão seguindo as letras com o dedo, pra não se colocar em enrascada.

Mas que seja tudo pela grandeza dessa obra adiada por mais de vinte anos. Que começou em agosto deste ano e só Deus sabe quando irá terminar. Porque ela não se rende ao primeiro orçamento do pintor, que é o azulejista goiano. Que enlouqueceu. Onde já se viu cobrar mais pela pintura que para derrubar paredes e encher tudo de reboco, azulejos e piso? E ela sem almoço até 3 horas da tarde.

Depois de gastar a última folha de cheque comprando tintas na loja do amigo (que deu orientações valiosas, desconto e entregou em casa sem cobrar frete), tem que mexer no orçamento com cuidado. E está ficando tão bonitinho que vender já está quase sumindo dos planos(para alguma coisa serve ver tanto programa de decoração na TV!).

Primeiro é preciso alugar para recuperar todo esse desgaste e gasto, sejamos razoáveis.
(Pensando melhor, tem um pátio seguro, gostoso, piscina, jardim, a vinte minutos de qualquer praia, que quase a faz pensar em...deixa prá lá. Tem que alugar mesmo!)

Ela, que sempre viveu a vida e não o dinheiro, sorri e (se) espanta (com)esses pensamentos tão materialistas. Dia desses encheu os olhos d'água, lembrando do tempo em que precisava de amigos para trocar cheques ir levando a vida até o final do mês. No tempo em que um empréstimo na "caixinha" cobria o outro, que era o jeito de pagar o colégio do filho.

Só pobre chora de alegria. Já viu rico chorar de alegria?

Eles lá brigando para saber se será de 5% ou de 16% o aumento e ela na fila do caixa, depois de escolher fechaduras, espelhos de tomada, lâmpada. E o rapazinho se desdobrando, solícito, gentil, ansioso, como só são os que estão começando a trabalhar e gostam do que fazem. Confere duas vezes, sorri da brincadeira da senhora que pergunta tudo, que quer ver a marca, a caixa, os componentes. Menino atento, mostrando o suor da preocupação nos primeiros sinais de bigode. Segurando a cestinha. A senhora não lembrou de mais nada que precise? Preciso caprichar, que ainda sou estagiário. Se estiver muito pesado para senhora eu posso levar até o carro, não se preocupe! (Paulo Henrique, guardem este nome, na loja Milium.)

A primeira quadra foi fácil. Depois de virar a esquina os ombros já reclamavam. Mas que m...! Por que não pediu pro garoto ir com ela? E a sacola maior escorrega. A bolsa quase cai do ombro. O rapaz estende a propaganda e sorri quando vê que não ela não tem uma terceira mão. E bufa! Cristo! Ainda tem a escadaria para enfrentar. O casal passa. A mulher, quase-menina, carrega um bebê dormindo. Cor-de-rosa. O pai percebe o olhar e sorri orgulhoso! Quanta coisa a gente deixa escapar enquanto caminha por aí! Mais uma quadra e quando o estacionamento já parece um oásis, ela bufa e se rende ao manobrista:
-Quem precisa de academia depois disto?

11 de nov de 2006

Só idiotas não falam dele

Sim. Foi-se o tempo em que falar do clima, do tempo e suas mudanças era coisa de gente sem assunto. Hoje quem não cuida do que acontece a sua volta, acima de sua cabeça e embaixo de seus pés é um consumado alienado, tolo e sem noção de seu futuro.

Eu lembro do tempo em que ser " ecológico" e defender a natureza era visto como coisa de gente maluca e chata.

E esta agora? Geada em novembro? Quatro graus em novembro? Aqui no paraíso chegamos a dez graus . Ondas de dois e três metros de altura, ressaca muito forte e ventos de um ciclone mais que assustador.

Eu só não fotografo fantasma e de minha janela treino muitos cliques. Há três semanas, olha o que eu captei com minha maquineta sem zoom.

Ceu negro de assustar e lá no horizonte, abaixo daquela faixa amarela, não são montanhas, não! Aquilo são nuvens do temporal que chegava e enrabichando pelo menos cinco canudos de pequenos furacões, redemoinhos, ou seja lá o que for.

O mesmo local, apenas cinco minutos depois. E eu torcendo por um vento terral que mandasse aqueles monstrinhos embora. Veio a chuva e os monstrinhos deitaram no mar. Ufa!


Compare a mesma paisagem com um dia azul.

7 de nov de 2006

Fazendo Arte



Coisas que eu vi no muro da escola infantil do bairro onde moro. O tema é mais que óbvio. As crianças retratam o mundo que as rodeia.

Eu acho fantástico que as crianças decorem muros das escolas. De vez em quando eu topo com arte que não deve nada a alguns famosos.

Enquanto as crianças mostram arte, os adultos "fazem arte" e dão maus exemplos.
O motorista que derrubou parte do muro talvez não tenha ido à aula na semana em que se ensinou a palavra respeito.

Possivelmente tenha sido um pai ou uma mãe que reclama de tudo, da deficiência das escolas brasileiras, da falta de verba, do valor dos impostos, da safadeza alheia...

Que exemplo para essas crianças!Tomara que o bicho-papão te pegue!


3 de nov de 2006

Série: Dicas de Tia Clara


Você está cansada/o de escolher muito bem uma carne, que tem certeza de que é macia, e quando prepara vira uma sola de sapato e apesar da boa escolha fica ressecada, sem graça? Ou, o que parece ainda pior, a chapa ou frigideira enchem de água e um bife que deveria ser tostado se transforma em um bife encharcado?

Experimente isto:

1. Tire a carne da geladeira, pelo menos 15 minutos antes de colocar na frigideira.

2. Para o bife não "aguar", a frigideira tem que estar bem quente. Se você vai preparar mais de um bife, espere até a frigideira voltar a ficar bem quente para colocar o próximo bife.

2. Mesmo que você goste do bife bem passado, não exagere o tempo de cozimento, ou não tem jeito. Ele vai virar sola de sapato.

3. O tempo de cozimento varia conforme a espessura do bife. Mas dá prá ter uma idéia de como anda a coisa sem recortar a carne.

Para um bife de 2 cm de espessura: Para carne mal passada, bastam 2 minutos de cada lado. Para bife ao ponto 3 minutos. Bem passada? Em 4 minutos deve estar boa.

Para quem sabe um pouco mais, é só apalpar com o dedo indicador. Quanto mais dura, mais passado. Para bife mal passado a carne tem que ter a resistência da área que fica na palma da mão, abaixo do dedão(monte de vênus). Para bife ao ponto, tem que ter a resistência da ponta do nariz. Boa essa, não? Disfarça e apalpa agora!

4. Quando a carne é assada, não importa se na chapa, na frigideira, no forno ou na churrasqueira, os sucos se deslocam para as extremidades. Portanto, depois de preparar(cozinhar) a carne deve ficar fora do calor, descansando, pelo menos 2 minutos, para que os sucos retornem ao centro e a carne fique suculenta. (O que os churrasqueiros acharam desta?)

Então, depois de retirar o bife da frigideira, coloque-o no prato, mas não corte logo. Sirva-se do arroz ou de outros complementos, enquanto isto a carne vai se melhorando. Vale também para carnes assadas inteiras e que são servidas fatiadas.

Entendeu agora por que o prato onde são colocados os bifes prontos ficam com aquela caldinha irresistível e o seu bife fica seco?

5. Para ajudar o bife a se manter macio, ele deve ser salgado somente depois de assado. Isto vale para frigideira, grelha e chapa também. Coloque todas as ervas e demais temperos, se quiser, mas só coloque o sal depois de concluir o cozimento.

6. Para carnes preparadas na grelha, coloque o óleo na carne, não na grelha. Assim sua cozinha não enche de fumaça.

7. Se apesar dessas dicas a carne ficou dura, talvez o boi tenha sido de canga. Aí, não tem jeito!Pegue os bifes, encha uma panela com água e legumes e faça sopa! A carne vai ficar macia, com certeza!

8. Não há dica que salve um bife cortado no sentido errado da carne.

Foto de carne mal passada: de Argentina, por supuesto! Visite o site. Tem dicas muito boas para turistas, mesmo que virtuais.

23 de out de 2006

Que dia é hoje, hein?


Desde que deixei de sem empregada, com horário e estresse a que todo CDF tem direito, vivo deixando passar datas. Até de aniversário de amigos! Eu era a que não esquecia uma data. A agenda funcionava que era uma maravilha e a memória idem.


É tão bom receber um cumprimento, um cartão, uma mensagem, um carinho que atesta a lembrança e o lugar especial que as pessoas ocupam em nossa vida.


Agora, sem calendário e sem relógio(sim, tenho uma agendinha eletrônica, mas tem dia que nem ligo o computador), vivendo um ano inteiro de feriados, passei a ser a que se obriga escrever: Ops! Atrasada de novo.


Assim, a página que deveria servir para homenagear os poetas todos, no dia escolhido, ficou entre listas de compras, notas de material de construção, pasta com documentos do carro e revistas que não tenho conseguido ler.


Sei, esse negócio de dia disto e daquilo é chato, só se presta a vender mais e a deixar nó no coração de quem não ganha presente. Mas quem é do ofício de deixar fluir o que sente, sofrer com a dor alheia e enfeitar páginas e blogs com poesia de todos os tipos, bem que merecia ter lido isto no dia 20, que para quem não sabe, foi dia do poeta.


OS POEMAS


Os poemas são pássaros que chegam

não se sabe de onde e pousam

no livro que lês.

Quando fechas o livro, eles alçam vôo

como de um alçapão.

Eles não têm pouso

nem porto

alimentam-se um instante em cada par de mãos

e partem.

E olhas, então, essas tuas mãos vazias,

no maravilhado espanto de saberes

que o alimento deles já estava em ti...


Esconderijos do Tempo

Mário Quintana

20 de out de 2006

Sai da frente, mané!


Neu, desta vez nem pedi licença e exponho esse devaneio. Imagine que Floripa é igualzinha a essa utopia. Depois acorde e tome um cafezinho por minha conta.
A moda aqui, agora, é xingar o motorista que parar antes da faixa de pedestre, a fim de permitir que alguém passe.

Um dia desses vou repetir o que fez um ex-colega(grande Lauri!). Mal abrira o sinal e já um babaca buzinou atrás do carro dele. Com a maior calma ele desligou o carro, desceu, olhou os quatro pneus, cutucou com o pé o cano de descarga, olhou para o motorista apressadinho e fez sinal de que não havia visto nada de errado. Enquanto isso o sinal mudou para amarelo e vermelho de novo e novamente para verde. Ele entrou no carro e se foi fazendo ciao para o quadrúpede motorizado, que quase explodia atrás do volante.

O sonho de Neu

"Sábado, dia 14 de outubro de 2006, entre 12:00 e 13:30 horas. O movimento de carros é muito grande, porém fluindo bem na ruas de Curitiba. A maioria dos carros, com 3, 4 e até 5 pessoas, porém o modo de dirigirem os veículos era completamente diferente dos dias normais na cidade e dos costumes dos curitibanos.

Nos sinaleiros, o amarelo era o sinal para diminuir velocidade e parar antes da faixa de pedestres. Ninguém acelerava ou buzinava apressando o pedestre na travessia da faixa, mesmo o sinal já mudando do verde para o vermelho.Não se viam freadas bruscas para parar e muito menos veículos em cima da faixa de pedestres.Na praça Tiradentes, ao lado da Catedral e em frente à galeria, todos os carros paravam e aguardavam a travessia de pedestres na faixa ali existente, em local sem sinaleiro.

Passei a reparar as placas dos carros: a maioria de outras cidades e estados.Turistas dando o exemplo de cultura e educação de como dirigir um veículo automotor e respeitar as leis do CNT e a todos os pedestres.

Num momento de devaneio, fiquei imaginando que um dia essa cultura e educação chegarão a Curitiba e passaremos a ter um trânsito menos tenso e violento, pois nunca vale a pena ter pressa para chegar a lugar nenhum.

neu costa - 60 anos - aposentado"



A imagem veio deste site , que tem recomendações fantásticas sobre como evitar acidentes, normas e muito mais. Vale uma visita demorada, sim senhor! Não olhe só as fotos tristes de acidentes.

18 de out de 2006

Simples assim

Alguém, por favor, pode me explicar, como é que funciona isso? É que nunca fui boa aluna de matemática.

Um homem de 50 anos é de meia idade.
Uma mulher de 50 anos é velha.


Antes de responder, anote que as mulheres vivem mais que os homens.

Como dizia o Sued: De leve!

15 de out de 2006

Como se eu fosse tua fada-madrinha



Ângela, se eu fosse, saberia que o aniversário foi no dia 13, mas mesmo assim e porque você merece:

Desejo que as alegrias sejam sempre maiores que as dificuldades.
Que as dificuldades te fortaleçam.
Que a fortaleza te conserve sensível como aprendi a te conhecer.
Que o conhecimento desperte desejo de sempre aprender mais.
Que a fartura sempre exista e te mantenha generosa.
Que o amor seja feito de pequenas coisas que conduzam à verdadeira união.
Que a família esteja ao teu redor.
Que a felicidade seja aquela que se encontra em bons momentos, não em adrenalina ou paixão.
Que a paixão te incendeie e te motive.
Que todos os motivos te façam sorrir.
Parabéns, menina-anjo!

Imagem daqui

Comece por aqui

Para quem não sabe por onde começar as mudanças:








01. Você acha um absurdo a corrupção da polícia?

Solução: NUNCA suborne nem aceite suborno!


02. Você acha um absurdo o roubo de carga e o assassinato de motoristas?
Solução:Peça a NOTA FISCAL sempre!

03. Você acha um absurdo a desordem causada pelos camelôs?
Solução: NÃO compre nada com eles! A maior parte de suas mercadorias são produtos roubados, contrabandeados e que tiram o emprego de brasileiros.

04. Você acha um absurdo o poder dos marginais das favelas?
Solução: NÃO compre nem consuma drogas!

05. Você acha um absurdo o enriquecimento ilícito?
Solução: Denuncie à Receita Federal aquele que enriquece repentinamente.Não o admire, repudie-o.

06. Você acha um absurdo a quantidade de pedintes no sinal ou de flanelinhas nas ruas?
Solução: NUNCA dê nada. Ajude o próximo de outra maneira.

07. Você acha um absurdo que qualquer chuva alague a cidade?
Solução: Só jogue o LIXO na LIXEIRA.

08. Você acha um absurdo haver cambistas para shows e espetáculos?
Solução: NÃO compre deles, nem que não assista ao evento.

09. Você acha um absurdo o trânsito da sua cidade?
Solução: NUNCA feche o cruzamento, deixe o pedestre passar, respeite os sinais.

10. Você acha um absurdo o poder econômico e militar dos Estados Unidos da América?
Solução: Prestigie a indústria brasileira! Escolha bem onde gastar seu dinheiro nas férias.

11. Você está indignado com o desempenho de seus representantes na política?
Solução: Nunca mais vote neles e espalhe aos seus amigos seu desalento e o nome dos eleitos que o decepcionaram.



Aumente a lista!





Texto adaptado de original sem autoria(recebido por e-mail). Buzine se conhecer o autor.
Fotografia: Bebê na areia(minha)

13 de out de 2006

Vai pra Porto, vai!

Mauro Castro, amigo, taxista-escritor, ou escritor-taxista, inspirado pai de Bruninha, manda um e-mail convidando para o lançamento de seu livro, que terá, com certeza, o mesmo sucesso de seu blog motorizado.

Imagino quantas histórias vão nascer dessa festa e virar post!




Se você morar pelas bandas ou estiver por lá, por favor me represente, e abrace essa pessoa fantástica que ele é.

É tão bom ver um amigo alcançar objetivos. Ah, que bom ter razões para comemorar, mesmo a distância.

Se Bruninha estiver por lá, lasque uma beijoca nela por mim, que a menina é um encanto!

E compre o livro, claro!


Parabéns, Mauro! Estou muito feliz por você.

Muitas vendas, muito sucesso!

11 de out de 2006

Um beijo na bochecha!




Feliz dia da criança!




Não a irresponsável, nem a birrenta.
Não a pidona, mas a que estende a mão.
Não a egoísta, mas a que oferece o brinquedo.
Não a chorona, mas a que sorri enquanto seca a lágrima.
Não a que só quer, mas a que divide.
Sempre a que sabe encontrar a alegria e motivos para ser feliz em coisas esquecidas pelos adultos.


Que melhor forma de comemorar que a de oferecer um sorriso a qualquer criança?


Que melhor festa que a de levar um brinquedo, uma roupa, um alimento a qualquer casa, a qualquer creche?


Faça um dia lindo NO DIA DA CRIANÇA. Para todas as crianças que estão perto de você e para a que está mais que perto também.


SMACK!




Na foto, Emmet, netinho de JIM VOVES , meu distante e querido amigo.


7 de out de 2006

DOROGA!



É assim mesmo que se escreve. Quer dizer caminho em alguma língua entre russo, armênio, yugoslavo, afegão ou parente deles.

Tudo começou quando recebi essas fotos de um amigo. Ele não sabe onde fica essa maravilha. Eu também não. E numa dessas decisões que podem até tirar meu sono, resolvi pesquisar. Primeiro o Google, depois o Mooter e assim por diante.

O oráculo teimava em me corrigir"você quis dizer drogas" e espalhava umas duzentas páginas de links. O que tem de droga neste mundo, que coisa!

Aí comecei a brincar com aquilo. Um artigo em inglês na frente, um "s" a mais, aspas, sinal de adição, imagens desfilando, pessoas que parecem ETs, dividir a palavra, trocar por trogas... Até que numa decisão cortante tirei o "s".

EUREKA! Eureka, não! Caminho. Todas as imagens apareciam com algum mapa ou foto de estradas, paisagens belíssimas. Uma perdição! Só podia ser caminho!

Espalhei as fotos no Fotoamigo, depois no Flickr e só cacei uma sugestão: Yugoslávia! Deu água.



O amigo que começou essa caça informa que alguém contou pra ele que, quem sabe, talvez, seja alguma cidade do sul da França. Sim, já convoquei Miladycarol.

Para eu não ficar até o verão caçando doroga, por favor, convoque sábios, experts, viajantes e connaiseurs(socorra-me Dalva, se errei a escrita, que já faz tempo!) e salve esta mulher do triste destino de definhar na frente do computador. Porque eu só vou desistir se realmente a paisagem já foi destruída ou se as fotos são de Marte!



Nem precisaria dizer, mas eu digo, que do jeito que gosto de fotografias, me perdi em tantas imagens, sites, links e desvios e...nada da doroga! Ou melhor, achei muitíssima doroga, mas não a(o?) das fotos.

O sol já se foi, estou só com a luz do monitor para não acordar a gatinha folgada que dorme no meu colo. Nem saí do Google ainda! E nada da montanha, ou falésia, ou rochedo ou seja o que for dar as caras.

Passados zilhões de cliques vi tantos caminhos, que deu vontade de pegar uma bicicleta e virar o mundo.

Se não quiser entrar no time da pesquisa, entre por curiosidade no Google e digite "doroga", depois clique em imagens.



Peça para alguém trazer teu jantar, teu almoço, o café da manhã... Só por garantia.

Não esqueça de me avisar se encontrar alguma coisa, ou se alguém que você conhece encontrar.







Update: É na China!

Pelo óbvio, não tenho como identificar as fotos nem a origem.

2 de out de 2006

O Encontro com a Dor


Hoje eu vou abusar de quem passar por aqui. Porque tem coisa sufocando e isto, no final das contas, é meio assim como um diário. Muito embora pareça que vou abordar eleição, não vou. Já há sábios demais a palpitar e julgar.


DOR SEM FIM

É inevitável que ocorram encontros inusitados em dia de votar. Meu lugar de votar é uma escola. Lugar onde eu só entrei nos últimos anos para votar, que filho que vai à faculdade não leva a mãe a tiracolo.

Eu entro apressada, sempre. Neste domingo ainda mais, já que a previsão era de chuva e o trânsito estava um caos pelas redondezas. Todo mundo quer parar a menos de dez metros do portão. Choveu e chove até agora. Pelo menos essa previsão se cumpriu.

Terminado o dever, espio alguns quadros que deixam à mostra um tantinho da vida escolar, já tão distante, alguma arte nos muros, aquele cheiro de pátio de escola, inconfundível. Quem já foi professor ou perambula por colégios sabe do que eu estou falando. As lembranças desfilam rápidas pela minha cabeça: Escola. Trabalho. Sacrifícios. Vitórias. Risos. Gratidão. É uma mistura de imagens que procuram a porta de saída junto comigo.

Então eu a vi! Depois de muitos anos. Intimamente eu sempre desejei nunca mais encontrar essa pessoa, porque eu tinha certeza de que não saberia o que dizer e o que fazer. A incompetência para lidar com a dor comungada.

Ela passou junto da filha e minha boca agiu independente de minha vontade. Eu a chamei. Eu, que nem tinha sido vista. Quando essas coisas acontecem eu nem procuro explicações.

E foi um cumprimento efusivo de minha parte. Intenso. Porque ela ajudou a educar meu filho. Foi alfabetizado pelas professorinhas que ela escolheu para cuidar dos pequenos preciosos que eram deixados no colo dela. Numa escola chamada Petequinha.

Percebi que foram tantos os alunos e que talvez eu tivesse mudado tanto, que num primeiro momento ela não me reconheceu. Depois que falei o nome de meu filho vieram as perguntas de praxe. Poucas vezes eu me vi em uma situação tão delicada. Eu tinha a impressão de que iria desatar o choro a qualquer momento.

Meu filho e o mais jovem dela passaram muito tempo juntos, na escola e na casa dela. Ela "emprestava" meu filho para passar o final de semana com a família dela. Era uma afeição genuína, forte, e os dois se entendiam muito bem. Meu filho era acarinhado, abraçado e tratado com muito afeto pelo casal e pelos outros três filhos. Do mesmo jeitinho que eles tratavam o menino mais moço. O temporão era alvo de toda a atenção da casa. Era lindo ver como era tratada aquela criança. E sobrava carinho para meu filho.

E ali estava eu, numa escola, num dia de votação, respondendo que meu filho está bem e que trabalha, está um homem. Sem saber o que mais dizer para uma mãe com o rosto profundamente marcado por rugas, mas, principalmente, com os olhos mais tristes que eu já vi. Que eu não queria ver. Porque eu sabia que aqueles olhos ficariam dentro dos meus por muitos dias, por muito tempo. Para sempre.

Há uma dezena de anos atrás esse filho temporão bateu num carro parado, onde estava um casal de namorados, numa avenida em que sempre aconteceram acidentes por excesso de velocidade ou imperícia. A moça morreu. O filho dela foi condenado.

É difícil explicar como isso repercutiu em mim. Mas foi como se uma parte da vida de meu filho tivesse sido roubada, quando eu soube. As duas famílias perderam um filho. E eu perdi uma referência.

E, assim, nesse domingo, cumpriu-se o "Maktub"( sim, estava escrito), fechou-se o círculo, e eu pude, finalmente, abraçá-la, repetidas vezes, silenciosamente, e deixar que só meus olhos dissessem que eu sabia da dor, que eu não deixara de amá-los apesar do erro do filho, apesar do tempo.

E eu espero que ela tenha entendido por que eu a abracei tanto. Eu desejo que ela tenha entendido que quando saí daquela escola, quis carregar comigo um milésimo da dor que mora nos olhos dela. E carreguei.

Na verdade, acho que eu só me enganava. Eu queria esse encontro, mas tinha medo de encarar a dor dela. Porque sabia que dor de mãe que perde um filho nunca acalma.


Foto: Pablo e Clarice em tarde de domingo

29 de set de 2006

Sai dessa!

Sabem aquelas mensagens preconceituosas e até abusadas sobre a imperícia das mulheres ao volante? Eu até concordo, depois de lutar com o trânsito de uma sexta-feira chuvosa, ventosa e frioza, atrás de coisas e mais coisas pedidas pelo tal azulejista(Meu Zeus, essa reforma não acaba mais!).

Desde aquele famigerado celular no ouvido e nenhuma atenção ao trânsito, até aquela que simplesmente encosta sem sinalizar e outras barbaridades, eu testei minha perícia e minha paciência.

Mas não foram só mulheres que me tiraram do sério. Ah, aqueles motoristas quase imberbes, mostrando quanto de volume podem suportar nos seus estrondosos carros! Aqueles fumegantes caminhões sem pressa! Aqueles ousados, mas barbeiros até a última roda, atravessando três pistas para acessar a rótula! Que exercício!

Bem a propósito, recebi de meu cunhado, que sabe que dirijo bem, obrigada, um jogo que desafia não a habilidade ao volante, mas a de tirar um carro estacionado, vencendo obstáculos.

Aviso: é altamente viciante. O grau de dificuldade vai aumentando e a gente vai querendo provar a si mesma que em quatro ou cinco movimentos consegue sair da garagem.

Experimente e chame aquela pessoinha que vive fazendo piadinhas sobre erros femininos.

Meninas: Considerem que a ciência já provou que nesse tipo de jogo o cérebro masculino tem mais habilidade, mas não deixem por menos! Treinem sozinhas antes. E vocês, meninos, nada de tomar conta do jogo.

28 de set de 2006

Sem vontade de trabalhar?

Cansou de abrir mensagens de propaganda política? Está de sacola cheia de ouvir abobrinhas? Chefe enchendo a paciência?

Passe uns minutinhos fotografando aqui.

Boa sorte!
Fique de olho no chefe, por via das dúvidas.

Quem mandou foi Waldemar Henrique, um voinho que sabe ser criança.

26 de set de 2006

VARIAÇÕES SOBRE UM MESMO TEMA

Tenho coisas guardadas, de tão longo tempo, que até os autores desistiram e se apagaram.

Esse disparador de riso, estava entre tantos textos e como sempre me faz rir, não importa quantas vezes eu leia, vai lá procês! E não tem outro mote que o do espanto e certa afetividade pelo minerim, que dá lições de economia no falar.

E se alguém souber quem reuniu o palavrório, indique nos comentários, que eu faço questão de incluir o autor de qualquer coisa aqui escancarada.

Experimente ler em voz alta.

PRESTENÇÃO - é quano ieu tô falano iocê num tá ovino

CADIQUÊ? - assim, tentanu intendê o motivo.

CADIM - é quano ieu num quero muito, só um poquim

DEU - o mez qui 'di mim'. Ex.: Larga deu, sô!

SÔ - fim de quarqué frase. Qué exêmpro tamem?: Cuidadaí, sô!!!

DÓ - o mez qui 'pena', 'cumpaxão': 'ai qui dó, gentch...!!

'NIMIM - o mez qui in ieu. Exempro: Nòoo, ce vivi garrado nimim, trem!... Larga deu, sô!!...

NÓOO - Num tem nada a vê cum laço pertado, não! Omez qui 'nossa!..' Vem de Nòoosinhora!...

PELEJANU - omez qui tentanu: Tô pelejanu quesse diacho né di hoje, qui nó! (agora é nó mez!)

MINERIM - Nativo duistadiminnss.

UAI - Uai é uai, sô... Uai!

ÉMÊZZZ?! - minerim querêno cunfirmá.

NÉMÊZZZ?! - minerim querêno sabê si ocê concorda.

OIAQUI - Minerim tentano chama atenção pralguma coizz...

PÃO DI QUEJU - Iosscêis sabe!... Cumida fundamentar qui disputa com o tutu a preferênça dus minêro

TUTU - Mistura de farinha di mandioca (o di mio) cum fejão massadim. Bom dimais da conta, gentch!!..

TREIM - Qué dize quarqué coizz qui um minerim quizé! Ex: "Já lavei US Trem!" "Qui trem bão!!

"NNN - Gerúndio du minreis. Ex: 'Eles tão brincannn', 'Cê tá innn, eu tô vinnn...'

PÓ PÔ - umez qui pó colocá

POQUIM - só um poquim, pra num gastá muito

JISGIFORA - Cidadi pertin du Ridijanero. Cunfunde a cabeça Do minerim que si acha qui é carioca.

DEUSDE - desde. Ex: 'Eu sô magrelin deusde rapazin!

'ISPÍA - nome da popular revista

'VEJA'ARREDA - verbu na form imperativ (danu órdi), paricido cum sai. 'Arredaí, sô!

"IM" - diminutivo. Ex: lugarzim, piquininim, vistidim, etc.

DENDAPIA - Dentro da pia.

TRADAPORTA - Atrás da porta.

BADACAMA - Debaixo da cama.

PINCOMÉ - Pinga com mel.

ISCODIDENTE - Escova de dente.

PONDIÔNS - Ponto de ônibus.

SAPASSADO - Sábado passado.

VIDIPERFUME - Vidru de perfume.

OIPROCÊVÊ (ou OPCV) - óia procê vê

TISSDAÍ - Tira ISS daí.

CAZOPÔ - Caxa disopor.

ISTURDIA - Otru dia.

PROINOSTOINO? - pronde nós tamo inu?

CÊSSÁ SÊSSE ONS PASSNASSAVASS? - ocê sabe se esse ônibus passa na Savassi?


E no tempo que demora pra você ler e reler, eu vou num instantinho aí na praia, esquentar os costados enquanto caminho, que essa primavera está numa luta feroz com o inverno, que por certo perdeu o relógio, o rumo, o calendário, ou a tramontana! Vai fazer frio assim lá em...Minas, uai!

16 de set de 2006

Capítulo novo de "Rainha das Dicas"



Mais dicas para uso do SAL


FLORES E VASOS

Aquele buquê preferido se conservará por mais tempo se você adicionar um pouco de sal à água da jarra ou do vaso. Um vaso fundo pode ser lavado despejando-se nele uma solução de sal e vinagre. Deixe-o em repouso com esta solução por algum tempo e depois dê uma sacudidela enxaguando-o com água pura. Flores artificiais podem ser arrumadas artisticamente colocando-as em um leito de sal umedecido. À medida que o sal seca, ele
se solidificará, firmando as flores em definitivo no lugar.

COZINHA QUEIJOS

Mofos (fungos) se desenvolvem nos queijos, mesmo naqueles que não desejaríamos ver mofados. Para evitar o mofo, antes de colocar o queijo na geladeira, enrole-o em um pano umedecido em água salgada.

ÁGUA FERVENTE

O sal é condutor de calor. Assim, para esquentar mais rapidamente a comida, ponha-a num prato sobre uma panela com água, com um pouco de sal, e aqueça-a.

PROTEÇÃO CONTRA FORMIGAS

Não deixe as formigas fazerem um piquenique em sua casa. O sal as manterá afastadas do chão da cozinha e do balcão da pia. O segredo é borrifar sal ao longo dos rodapés, nos cantos dos cômodos e nos balcões dos armários.

GELADEIRAS

Sal e solução de bicarbonato de sódio limpam e perfumam o interior de sua geladeira, com a vantagem de não arranhar o esmalte como o fazem alguns produtos mais fortes de limpeza.

PRATOS COM OVOS

O sal torna melhor o sabor dos ovos e facilita, também, a limpeza da louça suja de ovo. Imediatamente após usar, borrife sal nos pratos para então lavá-los quando você tiver tempo.

PANELAS ENGORDURADAS

Panelas de ferro engorduradas poderão ser facilmente lavadas se você puser um pouco de sal nelas e esfregá-las com um papel.

XÍCARAS

Uma esfregada rápida com sal de mesa removerá as mais resistentes manchas de chá em suas xícaras.

LIMPADOR DE FORNO

Você confiaria no sal e na canela? Não como um presente ao paladar, mas como um excelente restaurador do forno? Pois bem, o sal e a canela eliminam o cheiro de comida queimada. Borrife-os enquanto estiver quente. Quando seco, remova as manchas de sal com uma escova dura ou pano.

COMIDA QUEIMANDO?

Jogue sal rapidamente sobre a comida ou sobre a gordura quando estiverem incendiando. Nunca use água. O sal extinguirá as chamas.

AROMATIZANTES SALGADOS

Acredite se quiser, o sal pode perfumar as garrafas térmicas, moringas ou outros recipientes fechados.
Vegetais de aroma forte serão suavizados se forem colocados por 2 ou 3 minutos em água fervente (depois lave-os e cozinhe-os com o tempero de sua preferência).
As aves ficam mais saborosas se esfregadas com sal, por dentro e por fora, antes de serem colocadas para assar.
Retire o amargo das cafeteiras enchendo-as com água e adicionando 4 colheres de sopa de sal. Depois enxague-as em água corrente.
Perfume o hálito, após comer cebolas, mordendo uma ou duas fatias de limão bem salgado.
O cheiro desagradável de *cebola e eventuais manchas de frutas e legumes nas mãos, poderão ser retirados com sal.

(*) Para evitar que as mãos fiquem com cheiro de cebola, lave-as em água corrente sem esfregar Funciona! Esta dica está num comentário, no blog da Cynthia.

Adaptado de :
Indústria de Processos Químicos
R. Norris Shreve, Joseph A. Brink Jr.
Sodium Chloride - The Production and Properties of Salt and Brine
Dale W. Kaufmann
Revista Superinteressante Nº 07 - Origem do Sal

Artigos enviados por Waldemar Henrique
Fotografia deste site


Você precisa mesmo imprimir isto? Salve em seus arquivos. Economize papel. Salve árvores.

8 de set de 2006

Presa no banco de trás

UM PASSEIO PELO RIBEIRÃO DA ILHA







São vinte quilômetros de uma rua de mão dupla, mas estreita, com paisagens de tirar o fôlego. De um lado morros, casas, pedras, vegetação intacta ainda; do outro esse mar que sempre tira meu fôlego. De vez em quando um avião cruza o ar, em busca do aeroporto, que fica a poucos metros, do outro lado do mar.

Conheço há pelo menos trinta anos e tudo o que mudou foi o número de casas, de restaurantes e aqueles pontinhos na água, assinalando que ali há fazendas de ostras. Elas sustentam alguns ex-pescadores, que viraram fazendeiros do mar e enriquecem os que exportam para todo canto do mundo. São ostras de alta qualidade, criadas com a temperatura e nutrientes adequados.

(Igreja de 1806)

Foi a primeira comunidade da Ilha a ser colonizada pelos portugueses e ainda há várias construções que mostram a arquitetura colorida e bem conservada(uma das poucas em Florianópolis). Ainda há pelo caminho que leva à vila, casas de estuque, construídas com óleo de baleia. E para quem gosta de um bom papo à beira d'água é só parar, como eu fiz em uma de minhas visitas, tempos atrás, e descobrir um velhinho simpático, que vende o artesanato da esposa e tem um jeito de falar esmagadinho, como o de Darcy Ribeiro.

Nem tudo eu fotografei, porque meu cunhado dirigia e apesar da curiosidade ele não tinha muita vontade de parar e admirar a paisagem. Algum clic eu arrisquei através da janela. Muita coisa que eu visito de vez em quando ficou sem ser fotografada. Um dia desses eu volto e encho a pangufa! É logo ali, atrás do morro por onde desce o sol, atrás de minha casa!



E há uma palmeira que enfeitou a fotografia de um menino há mais de vinte anos atrás, que continua lá( a palmeira). Hoje eu mostro a palmeira. Um dia desses, o menino.


Fotografias: Ribeirão da Ilha (Iha de Santa Catarina), Florianópolis, SC , by Clarice De Marco

5 de set de 2006

Nada disso!

Claro que não! Nada a ver com esse frio que todo mundo andava reclamando que desaparecera antes do tempo. Nada a ver também com o vento, nem com esse mar bravio que enfeita o horizonte(e que eu nem posso mostrar atualizado- e você já vai saber por que), com ondas imensas, que fazem tremer o monitor de vez em quando, por obra de efeitos no solo arenoso.

Nada a ver com esse céu azul que dói nos olhos, com esse ar de "Ai, meu Deus, parece de plástico de tão bonito". Poderia ser por causa de viagens à cidade, aniversários, plantinhas que mereceram um cuidado(menos lesmas, mais minhocas e casca de árvore).

Quando alguém é assim, metida a resolver tudo sozinha antes de pedir socorro, acontecem alguns imprevistos e cá estou eu, lidando com instalação de sistema, corrigindo, deletando, aprendendo, bufando, desligando tudo. De manhã reinvento a teimosia e religo os cabos e toca a reinstalar, restaurar e abrir, fechar, cancelar, o escambau! Tem hora que dá vontade de seguir o conselho de Cynthia(também não me arrisco a criar link, por enquanto, mas para ler essa moça, clique no link ao lado, com o nome dela), pintar de verde jogar no mato pra ninguém achar(ou de azul e jogar no mar, que está mais perto que o matinho).

Tá bom, valeria os trocados que eles cobram pra instalar, mas nada como teimar assim e aos poucos ressuscitar a tela, os ícones(alguns insistem em dormir) e até conseguir conectar a internet. E o que se aprende com a experiência é inenarrável, senhoras e senhores!

Quase de brincadeira tento um blog e consigo escrever um comentário. Aos poucos reanimo as letrinhas, mas vamos devagar, que de vez em quando preciso ir lá fora esquentar os costados, já que hoje a sensação é de bem menos os graus que aparecem no termômetro. Lá na cidade 16, aqui 12.

Ah, não seja chato! Essa história de que falar do tempo é coisa de quem não tem assunto já era. Hoje em dia quem não fala do tempo é alienado ou insensível. Afinal ele é que decide nossa vidinha. E vai decidir a sua também.

E enquanto as coisas se desfragmentam aí por dentro do bolo de lata, nem vou me arriscar a chamar alguma foto. Mas pode acreditar: o dia está maravilhoso!

Assim que tudo estiver mais ou menos eu encho de fotos, para compensar. Agora, licencinha que eu vou direto para um chocolate quentinho e perfumado com canela. Hummmmmm...

Enquanto isso, em São Paulo, tem gente atolada em caixas de mudança. Vige!

28 de ago de 2006

Quem te viu, quem te vê


Um dia desses, ou uma noite dessas, sei lá, via o Next Top Model. Gosto de ver as transformações, artimanhas e golpes mais que o concurso em si. O ser humano é de uma safadeza quando se trata de vencer, que eu sempre escolho alguém por quem torcer. Inconscientemente. Nem que seja contra. E não que eu precise me justificar, mas ter uma Tv com acesso a trocentos canais e nada mais interessante pra ver naquela hora, a gente se diverte com o que tem, tá bom?

Então Tyra-testa-longa anuncia uma das juradas: Twiggy!

Virge! Há quanto tempo! Alguém lembra daquele espeto de gente, quase um menino, com os olhos maiores que uma xícara e cara de inglesa que não pega sol? Estilo é o que ela tinha, com certeza, e que falta a muita dessa carretada de modelos que nos enchem todos os dias pelas telas e ruas. E ossinhos. Muitos ossinhos!

Repare que a surpresa que eu vi estampada na carinha das concorrentes não foi nada, perto da que eu supostamente exibi, quando ela apareceu na tela. Meu "Ã!?" não podia ser contido. Entrou uma senhora, não! uma "senhoura", elegante, sim, mas gordotinha, quase sem maquilagem, simpática e boazinha nas opiniões, mais para júri de miss, mas com firmeza nas avaliações. Ela sabe do que fala, sem dúvida!

Eu não lembro muito bem de tudo o que aprontaram as moçoilas concorrentes, porque aquela simpática senhoura me remeteu à adolescência, quando mesmo mocinhas lá do interior, assim feito eu, desenhavam aqueles risquinhos nos olhos. E aí a memória foi puxando uma lembrança e outra mais e quando percebi o episódio havia terminado. E eu encarando a doce Madame Twiggy o tempo todo, tentando reconhecer aquela menina que exibia ossinhos vestidos.

Quando essas figuras carimbadas desaparecem por algum tempo, tipo essa menina, que sumiu faz trinta anos, pelo menos de nossas telinhas e revistas, deveriam avisar que ela sofreu os mesmos efeitos que nós todas e todos, pobres e ilustres desconhecidos.

Não sei se só acontece comigo, mas eu me assusto um pouco e quase saio para me olhar num espelho, só pra ver se o tempo foi mais cruel com eles que comigo. Torcendo por mim, claro! Oié!

Contradizendo Caetano, acho que de perto todo mundo é mesmo normal. Os ídolos e pessoas que estiveram na nossa adolescência tiveram um papel tão especial(não necessariamente importante), que quando a gente envelhece pode se surpreender por eles terem envelhecido também.

Juro que se ela passasse na rua, raspando em mim, jamais pensaria que a quase matrona aí da foto era a endeusada. E assim tantas e tantos!

Ela continua linda, o sorriso também. Ela até parece mais feliz do que quando trotava ossinhos! Ah, a futilidade da moda! Nada como ser normal.

Mas que eu levei um susto, levei.

Fotos: meu computador empacou, dias atrás, quando postava e os sites de onde tirei as fotos, foi via internet, mas, sabe-se lá de onde!

24 de ago de 2006

Isso tem gosto de

Uma amiga, há quatro anos atrás, foi visitar a família do namorado na Bolívia. Viagem maravilhosa! Com a memória prodigiosa que tem, soube dizer nome de cidades, lugares, contou histórias lindas sobre a tal família, mostrou mais de trezentas fotografias. Foi um papo daqueles enquanto a gente ajudava o garçon a esvaziar o barril de chopp.

No meio da conversa veio o "mas". Eu sabia! Não tem viagem perfeita! Não foram os problemas com a altitude, nem a implicância do namorado com coisinhas, nem o mau tempo. O que ela quer esquecer para sempre é um tempero que foi usado num dos pratos servidos em um determinado jantar com a família toda.

Essa amiga tem personalidade forte, sabe lidar com situações as mais adversas e perigosas até, mas não teve jeito. Depois do bocado estar entre a língua e o paladar ela teve que fazer um esforço hercúleo para não dar vexame, nem chamar o hugo no meio de todos os tios, primos, madrinhas, um caminhão de parentes do tal moreno namorado. E só de lembrar o quanto a namorada anterior do rapazito havia sido criticada por todas as observações que fez sobre as diferenças de cultura e hábitos, ela foi capaz de (diz ela que para não ofender a família) continuar o jantar e ainda elogiar todos os pratos!

No aconchego do quarto, entre uma ânsia e outra, ela pediu aos prantos para que ele recomendasse à tia que preparou o jantar, para que, pelamor! nunca mais colocasse aquele determinado tempero quando ela fizesse as refeições por lá. E por dois dias não puderam passear por onde não tivesse um bom toalete.

É impressionante o que a pressão familiar pode fazer. E também é impressionante o que algumas pessoas são capazes de fazer para não melindrar seus amados.

Nunca me vi em situação parecida, mas não há namorado que valha um sacrifício desses. Tá louco? Agradar faz parte, mas quando beira ao suicídio...eu hein? Amor é para dar alegria e prazer, não dor de barriga!

E você, já fez algum "sacrifíco" pelo ser amado e do qual se arrepende até hoje, ou morre de rir quando lembra?

17 de ago de 2006

Nem só de pão! (Série "Rainha das Dicas")



Cada um sabe o que lhe convém na hora de comer. Algumas informações podem ajudar a escolher como variar e complementar a alimentação.

O Brasil é farto em frutas e legumes e comer sempre a mesma coisa chega a ser um desaforo.

-Aproveite os preços de frutas, legumes e verduras na época de alta da safra, que é quando os preços ficam mais baixos e há melhor qualidade.

- Sempre que puder compre os orgânicos, com certificado. São mais caros, mas são mais saborosos e de mais qualidade.

-Coma com moderação alimentos que fermentam, produzem gases e provocam má digestão.(Aqui estão incluídos o mamão, as couves, repolho, brócolis, o milho e derivados e o leite de vaca integral. Também os cereias matutinos e pães integrais, que por conterem celulose, necessitam de muito tempo para serem digeridos e produzem alta fermentação.) Sempre que possível troque esses alimentos por outros com índices baixos de lactose e prefira fibras de frutas e vegetais frescos.

-Quem tem problemas digestivos e digestão lenta, deve dar preferência a consumir vegetais crus(legumes e verduras) ao final da refeição ou misturados aos demais alimentos, mas de preferência, depois da carne, do arroz, da batata e das massas. O processo de digestão alcança sempre por último os vegetais e legumes crus. Por que dificultar?

-Experimente tomar um cópo d'água, meia hora depois do café da manhã. É bem mais fácil que tomar água em jejum.

-Para aproveitar melhor todos os componentes das frutas, coma-as antes das refeições e não depois. Alguém aí lembrou da mãe dizendo para não comer frutas antes do almoço para não tirar o apetite?

-Sempre que for possível, coma os alimentos crus. Os que precisam ser cozidos não devem ser exaustivamente fervidos, pois perdem suas melhores qualidades. Cozinhar legumes e verduras no vapor de uma panela, dentro de uma peneira ou escorredor de massa, se não tiver panela adequada, é ótimo. Eles não perdem a cor, ficam crocantes e conservam melhor seus componentes.

-O forno de microondas é ótimo, mas aumenta consideravelmente o teor de radicais livres dos alimentos. Prefira outras fontes de calor para cozinhar.

As dicas a seguir foram enviadas por Jefferson Filomeno, cunhado sempre bem informado, que se alimenta bem(come sempre mais de uma banana por dia), caminha muitos quilômetros todos os dias e parece que tem vinte anos menos que sua idade cronológica.

O texto chegou sem autoria. Dei alguns pitacos, perdoáveis pelo autor, espero.

FRUTAS / VERDURAS / LEGUMES - PROPRIEDADES

· ABACAXI - Facilita tanto a expectoração como a digestão. Pode ser utilizado para amolecer a carne.

· BANANA - Estimula o apetite e as funções digestivas. Combate a diarréia e é um calmante intestinal. Energético e combate cãimbras.

· CAQUI - É um laxativo eficaz, combate a prisão de ventre e é uma grande fonte de Vitamina A.

· LARANJA - Ajuda e acelera a cicatrização de feridas cirúrgicas. Combate a arteriosclerose, além de baixar o colesterol. Aumenta o poder de resistência do homem contra infecções.

.LIMÃO - Muito importante para combater as infecções, pois aumenta a resistência do organismo. O suco do limão é um ótimo tônico e bactericida, mas não deve ser tomado puro pois pode prejudicar o estômago devido a sua acidez.

· GOIABA - Por sua riqueza vitamínica, principalmente em vitamina C, a goiaba é uma arma poderosa contra as infecções, fadiga, processos alérgicos e hemorrágicos. Controla a diarréia.

· JACA - É uma fruta altamente energética. É de maior importância o uso largo e pleno desta fruta, nos casos de grande requerimento de ferro, como é o caso da gestação, lactação e anemia.

· MAÇÃ - É capaz de vencer todos os desarranjos do aparelho digestivo, como a diarréia, diverticulite do colo e prisão de ventre crônica.

· MAMÃO - Regulariza a função intestinal nos casos de constipação. As sementes têm ação vermífuga.

· MANGA - Tem propriedades diuréticas o que a torna aconselhável para as pessoas que tendem a reter líquidos no organismo.

· MARACUJÁ - É indicado como calmante(recentemente descobriu-se que as folhas de determinadas espécies é que têm essa propriedade) e combate processos febris. As sementes têm poder vermífugo.

· MELANCIA - Um caminhão de saúde movido por vitaminas. Promove o crescimento, protege contra doenças e ajuda a manter o bem estar. Recomendação: não deve ser consumida como sobremesa, pois pode dificultar a digestão.

· MELÃO - Atua como reconstituinte do organismo e como suavizante em alguns tipos de inflamação.

· PERA - Usada no tratamento da hipertensão arterial e da prisão de ventre. Serve como ótimo diurético.

· ABÓBORA - As sementes são vermífugas; a polpa, quando cozida, serve como emoliente em aplicações externas.

· ABOBRINHA - Indicado nas doenças coronárias, obesidade, cálculo de vesícula, constipação intestinal, câncer do cólon e veias varicosas.

· ACELGA - Efeito laxativo. Indicado para tratar de desidratação. Alivia as dores daqueles indivíduos portadores de cálculo na vesícula biliar.

· AGRIÃO - Essencial para a vista e para pele, pois é considerado uma das principais fontes de vitamina A. Possui propriedades tônicas estimulantes, que o tornam um alimento ótimo para abrir o apetite e também tem poder refrescante.

· ALFACE - atua sobre o sistema nervoso como calmante, sedativo na insônia e histerias. Combate gripes, tosses, bronquite, catarro e asma. É um vitaminizante, desintoxicante, laxante, diurético e purificador do organismo.

· ALHO - Aumenta o apetite e regula a digestão. Atua contra a diarréia, colite e parasitoses intestinais. No aparelho circulatório funciona como anticoagulante, prevenindo futuras tromboses. É usado no tratamento da hipertensão arterial e nos distúrbios da gordura no sangue. Tem reconhecido efeito expectorante e anti-catarral, sendo o seu uso pleno e largo nas bronquites e asmas.

· BATATA - Acalma as neuralgias e as dores provocadas por queimaduras e fornece energia. Suco de batatinha cru alivia azia.

· BERINGELA - Calmante e diurético.

· BETERRABA - Recuperação do desnutrido e da anemia por carência de ferro. Fortalecimento muscular, facilita a digestão e é diurética.

· BRÓCOLIS - As folhas são calmantes e purificadoras do sangue. As flores são diuréticas e antiflamatórias do tubo digestivo. Boa fonte de ferro.

· CEBOLA - É um bom diurético, ajudando na eliminação das substâncias tóxicas. Combate tosse, gripe, bronquite, asma, prisão de ventre, hemorragia nasal, cólica abdominal, insônia, rouquidão e é um bom vermífugo.

· CENOURA - Auxilia no crescimento e desenvolvimento normal dos ossos. Aumenta a imunidade e evita as infecções. Combate a diarréia. Excelente para ser consumida nos intervalos das refeições por quem faz dietas para emagrecer.

· CHICÓRIA - Diurética e laxante. Indicada nos casos de icterícia, gota e reumatísmo.

· CHUCHU - Indicado para asma e bronquite. É considerado eficiente no combate a vermes, úlceras estomacais, doenças do fígado, cálculos renais, hemorróidas e menstruações dolorosas.

· COUVE - FLOR - Recomendada em casos de desnutrição e no combate à anemia. Vegetal de fácil digestão, neutralizante da acidez estomacal, tem ação contra a prisão de ventre.

· ESCAROLA - Aconselhada para aumentar a resistência do corpo às infecções. Estimula ainda o apetite, conservando a atividade das glândulas e prevenindo a formação de cálculos nos rins, bexiga e fígado.

· ESPINAFRE - Recomendado àás pessoas anêmicas, escleróticas e desnutridas, revigora o sangue, os nervos e o cérebro, vencendo a fadiga. Também aconselhado para combater a pressão arterial alta, hemofilia, cálculos renais, menstruação escassa e dolorosa, artrite e diarréia.

· JILÓ - Indicado nos casos de infecções, queimaduras, grandes cirurgias em geral e pelagra.

· MILHO - Melhora o trânsito intestinal. Indicado para tratar da desnutrição.

· NABO - Possui propriedades tônicas e mineralizantes.

· PEPINO - Atua contra o ácido úrico, os cálculos renais ou da vesícula, a gota, o reumatismo, a prisão de ventre e aumenta a diurese. Em forma de suco combate as impurezas da pele e, em forma de saladas, estimula o apetite.

· PIMENTÃO - Ajuda e acelera a cicatrização das feridas (cirúrgicas e não cirúrgicas). Controla os níveis de colesterol sangüíneo dentro de um ótimo padrão de normalidade.

· QUIABO - Usado no tratamento de várias doenças intestinais. Pelo seu importante e significativo teor de ferro deve ser usado no tratamento de anemias e fazer parte da alimentação normal da gestante.

· RABANETE - Mineralizante, diurético, tônico. Indicado para cura da coqueluche e tosse crônica. Previne cálculos renais, estimula as funções do aparelho digestivo e combate processos alérgicos agudos como a urticária.

· REPOLHO - O repolho branco é utilizado no combate à tuberculose, como depurativo do sangue e estimulante da digestão. O roxo tem ainda a propriedade de estimular a produção de hormônios e queima das gorduras.

· RÚCULA - Digestiva, diurética e refrescante.

· TOMATE - Controla a excitabilidade do músculo cardíaco devido ao seu alto teor de potássio. Cozido, ajuda a previnir câncer de próstata.

· VAGEM - Essencial para o crescimento do corpo. Em associação com outros alimentos a vagem chega a surpreender pelas qualidades de apoio na recuperação de doenças graves.

Colabore com a natureza! Antes de imprimir ALGUMA COISA, pergunte-se: "Preciso mesmo de uma cópia em papel?"

Se for indispensável, imprima no método econômico e pense na utilização do verso da folha. Preserve o meio ambiente!

A NATUREZA AGRADECE

Foto:"Frutas", minha

15 de ago de 2006

Jornalzinho de uma tarde chuvosa

Deixando o pensamento comandar o teclado sem muita censura

Talvez por não deixar escapar nem anúncio de jornal velho, ou porque o ócio é mesmo um conselheiro maravilhoso- se eu ganhasse por pensamento, Bill Gates seria esmoleiro perto de mim- consigo escrever a qualquer hora do dia e esteja acontecendo o que estiver. Não me entendam mal. Eu disse escrever. Não disse escrever bem, nem coisas maravilhosas, nem atraentes, nem emocionantes, nem coisa nenhuma.

É escrever uma palavra e o resto do besteirol segue aflito!

Muitas vezes surge uma idéia e a reservo para compartilhar com meus fiéis e magnânimos quatro ou cinco generosos amigos, mas eu começo a escrever e as mãos seguem sozinhas um rumo próprio. O assunto é trocado, as frases saem em disparada. Apago tudo. Recomeço e lá vem um texto que nem estava nos planos.

Se deixar as palavras fluírem é um exercício praticado até por consagrados(Fernando Sabino fez isso de um modo fantástico e engraçadíssimo em uma crônica- ah, eu não vou levantar daqui agora só para procurar o livro. Além do mais tem uma gata dormindo no meu colo.), por que eu não me daria esse direito?

Nunca tive aquele pânico da folha branca. Talvez por nunca me sentir na obrigação de escrever. (Já me bastam os 30 anos de correspondências, relatórios, atas e um sem fim de textos que os preguiçosos deserdavam no meu colo.)

Aliás, esse é um aspecto de escrever que não combina comigo. Nunca consegui entender como alguém se inspira "por encomenda". Sabe aquilo de fazer música e letra para peças de teatro e cinema? As pessoas que conseguem isso são farsantes e gênios ao mesmo tempo. É diferente de escrever conforme o tema dado por um professor, ou opinar sobre uma notícia, ou escrever um texto como na maioria dos blogs, sobre a vida ou sobre coisa nenhuma. Você fecha os olhos por um segundo e sua mente escreve pelo menos uns três começos. Você escolhe um e segue adiante. Depois purifica o texto, corta, corrige, burila, apaga, reescreve, critica, sente que é medíocre ou que até tem umas expressões bem achadas. Parte de uma inspiração, seja ensaiada ou não.

Fingir inspiração, daquela que coça a alma, que tira o sono e só passa quando a caneta desliza sobre o papel, isso deve ser um castigo ter que fantasiar. Deve tirar o sono, o apetite a vontade de viver. Deve compensar de alguma forma, porque nós mesmos, os brasileiros, tempos especialistas inspiradíssimos. Chico, Tom, Caetano, só para não gastar a memória tentando lembrar.

O/A tal bocó

E pensar que comecei a escrever querendo forçar um leitor a colocar o que pensa sobre o que vê aqui, no lugar apropriado(em todos os sentidos, inclusive esse que você pensou agorinha). O texto deu voltas e saí pelo acostamento, peguei atalhos e desvios e quase esqueci da rota.

É o seguinte: uma vez a cada dois ou três meses ele ou ela coloca um comentário como anônimo. Escrachando, dizendo besteirol, escrevendo em caixa alta, com dizeres chulos e que seriam censurados por mim, se eu soubesse onde raios ele/ela deixou o comentário. Tem que gostar de fazer arte quem entra num arquivo daqueles bem velhinhos e deixa um comentário sobre um texto postado há poucos dias. O que ele/ela não sabe é que eu recebo todos os comentários por e-mail. Ou sabe.

Eu sou curiosa como qualquer pessoa, mas é um(a) doido/doida se pensa que vou me dar ao trabalho de procurar um comentário tão oco só para deletá-lo. Com certeza tenho mais o que fazer.

E os ventos? Uivantes!

E lá fora o vento faz uma força danada para seguir seu rumo. Com chuva. Finalmente! Chegou de madrugada e parece que traz o restinho do inverno que sobrou de algum lugar. Frio aqui. Lá no centro da cidade onde estive pela manhã, calor para blusa de alças.

Sempre que quiser saber como anda o tempo em Floripa, espie aí ao lado. Se clicar duas vezes, entra no site. Tem previsão e mais uma pilha de informações. Pode escolher o país, cidade, rua, CEP que ele conta! Trouxe do site da Milady Carol.


Enquanto isso...

Uma poeta, em São Paulo, que hoje está o caos por conta da greve dos metroviários, se cansa, embrulhando, dobrando, enrolando, protegendo, empacotando, encaixotando alguns anos de sua vida para mais uma mudança.

Que os dias na nova casa sejam alegres e iluminados, cercados de risos, flores, miados e au-aus. Com muito tempo para ler, escrever e espiar aqueles bombeiros pela janela! Mulher de sorte você!

13 de ago de 2006

Rainha das Dicas

Eu adoro dicas! São melhores que sugestões e, de longe, não me irritam tanto quanto os conselhos, ou aquelas perguntinhas de experts de plantão. (Conhece o tipo? Dá palpite em tudo, duvida de tudo que você diz, desde a marca do sapato até a madeira de que é feita a mesa. E ainda pergunta:"Mas, você tem certeza?".)

Leio almanaques, rodapé de página, cavo de lembranças da infância, da época de atividade profissional. Coisas que vieram de avós, de tias, de vizinhas, de colegas, de amigas, de índios, de livros, de documentários, direto de e-mails, de blogs. Sobre cozinha, vinho, queijo, carne, peixe, gente, carro, limpeza, tudo! Adoro ler e colecionar. Mas, mais que tudo, adoro repassar.


Sempre que for possível eu identificarei a fonte ou quem enviou. Mas se eu esquecer, magoa não, viu?

Dicas Salgadas

CARPETES

As cores podem ser restauradas com o auxílio de um pano umedecido em uma solução, meio a meio, de sal e água. Quando usar novos tapetes de lã, lembre-se de que as traças não gostam de sal. O segredo é esfregar o chão com uma solução concentrada de sal e água quente antes de assentar o carpete.


LAREIRAS

Jogue um punhado de sal no chamuscar do fogo. Aprecie as bonitas labaredas amarelas enquanto o sal remove a fuligem acumulada e ajuda a evitar incêndios perigosos na chaminé. É um segredo que vale por dois!

PAREDES

Ficou algum buraco feio na parede de onde você tirou um quadro? Não se desespere, fazendo você mesmo a restauração. Misture quantidades iguais de sal e amido de milho com água suficiente para fazer uma pasta. Os buracos poderão ser facilmente restaurados com esta pasta e ninguém descobrirá o seu segredo.

PEIXINHOS DOURADOS

Ocasionalmente dissolva uma colher de chá de sal em um litro de água fresca, à temperatura ambiente e coloque seus peixinhos dourados para nadar nesta solução por uns quinze minutos, devolvendo-os após essa operação, para o seu próprio aquário. Isto os manterá saudáveis.

MANCHAS NA MESA

Não é novidade que pratos e copos quentes, ou molhados, deixam manchas brancas nas mesas. Aqui está um segredo para removê-las: faça uma pasta rala de óleo de salada e sal em proporções mais ou menos iguais. Esfregue a pasta sobre a mancha e deixe em repouso por uma ou duas horas. Em seguida remova a pasta, esfregando-a até sair. As manchas desaparecerão.

COMIDA NO CARPETE

Manchas de gordura nos carpetes podem ser removidas com uma solução de uma parte de sal para quatro partes de álcool. Esfregue sobre a mancha firmemente até esta desaparecer.

Tem muito mais por vir. Vá colecionando.


Dicas enviadas por Waldemar, por e-mail

REFERÊNCIAS: Indústria de Processos Químicos

R. Norris Shreve
Joseph A. Brink Jr.
Sodium Chloride
The Production and Properties of Salt and Brine
Dale W. Kaufmann
Revista Superinteressante Nº 07, Origem do Sal

Foto: "Sal" , www.geocities.com

12 de ago de 2006

Estivemos fora do ar...

E assim passamos nosso sábado!

(Repare no fiscal de obras!)


E assim passamos nosso sábado. Almoço? Só às 16:00 horas, quando o trabalho terminou!


Graças a um excelente azulejista goiano, que coloca granito que é um capricho só, e a alguns pequenos mas valiosos palpites meus quanto à posição das pedras, nunca mais vou me preocupar com o piso do box(espero!).

Eu recomendo, mas não empresto o azulejista, que assim foi fotografado para não ser identificado.

Não, não é. É um cinto!